Dourados – MS sábado, 18 de maio de 2024
18º
Política

Plenário analisa redução de pena para crimes contra relações de consumo

Atualmente a penalidade é de detenção de dois a cinco anos, ou multa

09 Mai 2022 - 21h30Por Agência Senado
Projeto altera penas para práticas como venda de produto em condição imprópria e indução do consumidor a erro - Crédito: José Paulo Lacerda/CNIProjeto altera penas para práticas como venda de produto em condição imprópria e indução do consumidor a erro - Crédito: José Paulo Lacerda/CNI

O Plenário do Senado vai analisar nesta terça-feira (10) o Projeto de Lei (PL) 316/2021, que reduz a pena imputada aos crimes contra as relações de consumo. A proposta já chegou a entrar na pauta em fevereiro passado, mas recebeu críticas e não chegou a ser votada. O relator é o senador Angelo Coronel (PSD-BA), que ainda não apresentou seu voto. 

De autoria do deputado Aureo Ribeiro (Solidariedade-RJ), o texto altera a Lei 8.137, de 1990, que define os crimes contra a ordem tributária econômica e as relações de consumo, reduzindo as penas para detenção de seis meses a dois anos, ou multa. Atualmente a penalidade é de detenção de dois a cinco anos, ou multa. 

Entre atos considerados crimes, estão a venda de produtos em condições impróprias, indução do consumidor a erro, venda casada e favorecimento de clientes em detrimento de outros. 

Por outro lado, o projeto altera o Código de Defesa do Consumidor (Lei 8.078, de 1990) para inverter o ônus da prova em relação às condições de consumo dos produtos. Segundo a nova redação, caberá aos estabelecimentos a comprovação de que os produtos vendidos estão em condições próprias para uso e consumo.

Em ofício enviado ao Senado, a Associação Brasileira de Supermercados (Abras) se manifestou a favor do projeto. A alegação é de que as penas atuais são desproporcionais com relação à gravidade das condutas, já que a pena máxima prevista pelo Código de Defesa do Consumidor é de dois anos.

Idade máxima de juízes

Na pauta desta terça-feira também está a proposta de emenda à Constituição (PEC) que aumenta de 65 para 70 anos a idade máxima para nomeação de juízes e ministros de tribunais regionais federais e de tribunais superiores. A PEC 32/2021 é do deputado Cacá Leão (PP-BA) e tem relatoria do senador Weverton (PDT-MA).

Conforme o texto, a elevação da idade para nomeação atingirá o Supremo Tribunal Federal (STF), o Superior Tribunal de Justiça (STF), os tribunais regionais federais (TRFs), o Tribunal Superior do Trabalho (TST), os tribunais regionais do Trabalho (TRTs), o Tribunal de Contas de União (TCU) e os ministros civis do Superior Tribunal Militar (STM).  

Na prática, a proposta de 70 anos como idade máxima para nomeação de magistrados é um ajuste à Emenda Constitucional (EC) 88, que, desde 2015, alterou o limite de idade da aposentadoria compulsória dos ministros do STF, tribunais superiores e TCU de 70 para 75 anos. A mudança de 2015 surgiu da chamada PEC da Bengala. 

Publicidade e eleições

Os senadores devem avaliar ainda o PL 4.059/2021, também do deputado Cacá Leão, que muda o limite de gastos com propaganda do governo em anos eleitorais. O senador Eduardo Gomes (PL-TO) é o relator. 

O projeto muda a forma de cálculo para determinar quanto os governos federal, estaduais e municipais podem gastar com publicidade em anos eleitorais. O texto permitirá ao governo federal um aumento de R$ 25 milhões nessas despesas. 

O relator apresentou parecer pela aprovação do texto que veio da Câmara dos Deputados, sem alterações, e decidiu rejeitar todas as emendas apresentadas por outros senadores.

Advocacia

Os dois outros projetos na pauta são o PL 5.026/2019, da deputada Luizianne Lins (PT-CE), que torna obrigatória a divulgação do Estatuto da Juventude; e o PL 5.284/2020, do deputado Paulo Abi-Ackel (PSDB-MG), que faz uma série de alterações no Estatuto da Advocacia e limita buscas em escritórios. 

Deixe seu Comentário

Leia Também

Polícia Civil prende homem por descumprimento medida protetiva de urgência
Ivinhema

Polícia Civil prende homem por descumprimento medida protetiva de urgência

18/05/2024 09:45
Polícia Civil prende homem por descumprimento medida protetiva de urgência
Comissão vota criminalização de apologia a tortura e instauração de ditadura
Senado

Comissão vota criminalização de apologia a tortura e instauração de ditadura

18/05/2024 06:45
Comissão vota criminalização de apologia a tortura e instauração de ditadura
Ordem do Dia: Aprovado projeto que autoriza renegociação de dívidas com Agehab
ALEMS

Ordem do Dia: Aprovado projeto que autoriza renegociação de dívidas com Agehab

16/05/2024 18:30
Ordem do Dia: Aprovado projeto que autoriza renegociação de dívidas com Agehab
MP recomenda limites para prefeito contratar artistas para shows
Política

MP recomenda limites para prefeito contratar artistas para shows

16/05/2024 16:30
MP recomenda limites para prefeito contratar artistas para shows
TSE aprova súmula de fraude à cota de gênero em eleições proporcionais
Política

TSE aprova súmula de fraude à cota de gênero em eleições proporcionais

16/05/2024 12:30
TSE aprova súmula de fraude à cota de gênero em eleições proporcionais
Últimas Notícias