Dourados – MS quinta, 17 de janeiro de 2019
WhatsApp
WhatsApp
Política

PGR denuncia ex-ministro do Trabalho e 5 deputados por organização criminosa

27 Ago 2018 - 16h40Por da Redação
PGR denuncia ex-ministro do Trabalho e 5 deputados por organização criminosa - Crédito: Wilson Dias/Agência Brasil Crédito: Wilson Dias/Agência Brasil

A procuradora-geral da República, Raquel Dodge, apresentou denúncia nesta segunda-feira contra cinco deputados federais, o ex-ministro do Trabalho Helton Yomura e o presidente do PTB, Roberto Jefferson, pela formação de uma organização criminosa que realizava negociações ilícitas de registros sindicais em troca de propina e de vantagens políticas, informou a Procuradoria-Geral da República (PGR).

No total foram denunciadas 26 pessoas em consequências das investigações realizadas no âmbito da operação Registro Espúrio, que foi deflagrada em maio deste ano e que resultou no afastamento do então ministro do Trabalho Yomura, que fora nomeado para o cargo pelo presidente Michel Temer.

Além do ex-ministro também foram denunciados os deputados federais Jovair Arantes (PTB-GO), Cristiane Brasil (PTB-RJ), Nelson Marquezelli (PTB-SP), Wilson Filho (PT-PB) e Paulo Pereira da Silva (SDD-SP), o Paulinho da Força, além do presidente nacional do PTB, Roberto Jefferson, e de servidores e ex-servidores do ministério.

A defesa de Cristiane Brasil refutou a denúncia e disse que a deputada provará sua inocência “como já o fez em outras ocasiões”.

“A Polícia Federal e o Ministério Público insistem em tratar pedidos políticos —comuns a todos os parlamentares, de todos os partidos, em todos os ministérios— em crime. Crime é acusar sem provas, como fazem a PF e o Ministério Público, com objetivos puramente político-partidários”, afirmou o advogado Gustavo Pereira da Cunha.

Outros denunciados citados acima não responderam de imediato a pedidos de comentários. O Ministério do Trabalho também não respondeu de imediato a um pedido de comentário.

A denúncia foi enviada pela PGR ao Supremo Tribunal Federal (STF) e será analisada, inicialmente, pelo relator do inquérito, ministro Edson Fachin.

De acordo com a PGR, o esquema criminoso consistia na cobrança de vantagens indevidas, como o pagamento a servidores públicos, apoio, financiamento e votos para partidos e agentes políticos, em troca da concessão fraudulenta de registros sindicais.

Apenas pela liberação irregular de um único registro sindical houve pagamentos que envolviam,, segundo os investigadores, valores que chegaram a 4 milhões de reais.

A PGR pede na denúncia a decretação da perda da função pública para os condenados detentores de cargo público ou mandato eletivo, além de pagamento do valor mínimo de 4 milhões de reais por danos materiais e outros 4 milhões por danos morais.

A operação Registro Espúrio foi lançada inicialmente no final de maio, quando a PF fez buscas nos gabinetes de Paulinho, Arantes e Wilson Filho, além das sedes dos partidos PTB e Solidariedade e em centrais sindicais.

Na segunda etapa, lançada semanas depois, o principal alvo foi Cristiane Brasil, que chegou a ser indicada no início do ano pelo presidente Michel Temer para ser ministra do Trabalho, mas não tomou posse porque a Justiça barrou seu nome sob alegação de que ela não tinha condições de assumir o cargo por ter sido condenada em processo trabalhista.

Em julho, na terceira etapa da operação, o STF decretou o afastamento de Yomura do cargo, o que levou o então ministro a pedir demissão.

Defesa de Cristiane

Em nota, a defesa de Cristiane Brasil afirmou que as acusações à deputada foram feitas sem provas e com objetivo de “criar um fato contra políticos”.

“A Polícia Federal e o Ministério Público insistem em tratar pedidos políticos comuns a todos os parlamentares, de todos os partidos, em todos os ministérios como crime. Crime é acusar sem provas, como fazem a PF e o Ministério Público, com objetivos puramente político-partidários. A deputada provará sua inocência mais uma vez, como já o fez em outras ocasiões, com a consciência tranquila de que nada fez de errado.”, diz a defesa de Cristine. 

Deixe seu Comentário

Leia Também

Empossado para o segundo mandato, Reinaldo Azambuja aposta em alinhamento com Governo Federal
Governo de MS

Empossado para o segundo mandato, Reinaldo Azambuja aposta em alinhamento com Governo Federal

02/01/2019 08:00
Empossado para o segundo mandato, Reinaldo Azambuja aposta em alinhamento com Governo Federal
Ministério da Agricultura fica responsável por demarcar terra indígena
Questão Indígena

Ministério da Agricultura fica responsável por demarcar terra indígena

02/01/2019 07:56
Ministério da Agricultura fica responsável por demarcar terra indígena
Bolsonaro toma posse como presidente para mandato até 2022
Novo Governo

Bolsonaro toma posse como presidente para mandato até 2022

01/01/2019 15:15
Bolsonaro toma posse como presidente para mandato até 2022
Após 5 meses detidos, Puccinelli e filho são soltos pelo STJ
Soltos

Após 5 meses detidos, Puccinelli e filho são soltos pelo STJ

19/12/2018 14:58
Após 5 meses detidos, Puccinelli e filho são soltos pelo STJ
Marco Aurélio manda soltar condenados em segunda instância, inclusive Lula
FIm de Ano

Marco Aurélio manda soltar condenados em segunda instância, inclusive Lula

19/12/2018 13:40
Marco Aurélio manda soltar condenados em segunda instância, inclusive Lula
Últimas Notícias