Dourados – MS domingo, 07 de junho de 2020
Dourados
27º max
14º min
JBS (Fazer o bem)
Política

MS e PR unem esforços por integração

07 Fev 2011 - 22h26
Os governadores André Puccinelli e Beto Richa durante encontro em Curitiba - Crédito: Foto: Rachid WaquedOs governadores André Puccinelli e Beto Richa durante encontro em Curitiba - Crédito: Foto: Rachid Waqued
Campo Grande - O governador André Puccinelli e o governador do Paraná, Beto Richa, se reuniram ontem em Curitiba (PR), para unir esforços em torno de um projeto de integração ferroviária entre os dois estados. O objetivo é viabilizar a construção de um ramal interligando a Ferrovia do Pantanal, na região de Maracaju e Dourados, até Cascavel, no Paraná, passando por Mundo Novo e Guaíra.

O empreendimento é um dos nove projetos estratégicos do governo de Mato Grosso do Sul na área de infraestrutura e sua concretização vem sendo discutida por André desde sua primeira gestão, junto com os demais governos do Conselho de Desenvolvimento e Integração Sul (Codesul) e ao governo federal. “É uma obra fundamental.

Além de baratear o custo de escoamento da safra agrícola do centro-oeste e norte do Brasil, vai proporcionar o desenvolvimento econômico e social de toda a região e fortalecer o Porto de Paranaguá”, disse o governador paranaense, que assumiu em janeiro para seu primeiro mandato.

O traçado da ferrovia foi incluído no Programa de Aceleração do Crescimento (PAC 1), do governo federal, em 2008. “Volto agora com a receptividade do governador Beto Richa, para que os interesses comuns dos nossos estados possam ser atendidos”, disse o governador André Puccinelli. “Queremos os dois estados unidos pela continuação do traçado da ferrovia Norte-Sul”, afirmou, com a expectativa de ver o projeto avançar com participação do novo governo do Paraná.

Pela proximidade geográfica e pelo volume transportado em outros portos, a saída por trem por Paranaguá é a melhor alternativa para escoar a produção da região centro-sul de Mato Grosso do Sul, que chega a 5 milhões de toneladas de grãos; 2,5 bilhões de litros de álcool; e 1,5 milhão de toneladas de açúcar para exportação, por ano. O governador Puccinelli busca a parceria administrativa do Paraná para a construção de um ramal de 350 km entre Dourados (MS) e Cascavel (PR). “O barateamento do frete que esta ferrovia proporcionará é muito vantajoso ao nosso estado e a movimentação econômica que os dois estados terão trará muito progresso socioeconômico”, afirma Puccinelli.


Na semana passada, André esteve com o ministro dos Transportes, Alfredo Nascimento, e com o diretor da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), Bernardo Figueiredo, para discutir uma adequação do traçado da ferrovia para atender melhor os interesses do Paraná e de Mato Grosso do Sul. O próximo passo é marcar uma audiência conjunta entre os parlamentares federais dos dois estados, para defender a idéia, que já foi aceita pela ANTT e pelo Ministério dos Transportes. Puccinelli acredita que o volume de mercadorias para transporte entre os dois estados deve atrair interesse da iniciativa privada ao projeto.

#####Ferroeste

O presidente da Ferroeste – ferrovia da qual o governo do Paraná é o maior acionista -, Mauricio Teodoro Quirino, disse que o projeto de uma ferrovia ligando Cascavel a Guaíra está pronto, e aguarda a alocação de recursos para iniciar a obra. O Exército Brasileiro também se colocou à disposição para fazer o acompanhamento do projeto e da execução da obra.

Quirino afirmou ainda que o produtor economiza em torno de um dólar por tonelada transportada por ferrovia em relação ao transporte rodoviário. “É um dinheiro a mais que fica na cadeia produtiva. No caso do Mato Grosso do Sul são aproximadamente 5 milhões de dólares apenas da safra de grãos. No Paraná podem ser pelo menos outros 8 milhões de dólares”, afirma o presidente da Ferroeste.

Outra vantagem é o tempo ganho no transporte. De caminhão, do Mato Grosso do Sul a Paranaguá a viagem dura em torno de três dias. Pela ferrovia, o percurso pode ser feito em 18 horas. “É tempo, rentabilidade, retorno do que o centro-oeste precisa, que são os fertilizantes e combustível para tratores e colheitadeiras no campo. É um grande ganho para toda a cadeia produtiva”, disse ele.

A reunião dos governadores aconteceu no Palácio das Araucárias, e teve as presenças do secretário estadual Carlos Alberto Menezes (Meio Ambiente, Planejamento, Ciência e Tecnologia); dos deputados federais Edson Giroto e Reinaldo Azambuja; dos secretários do governo paranaense José Richa Filho (Transportes e Obras Públicas), Cássio Taniguchi (Planejamento e Coordenação-geral), Luiz Carlos Jorge Hauly (Fazenda), José Durval Mattos do Amaral (Casa Civil); dos deputados federais Osmar Serraglio e Eduardo Sciarra; do presidente da Assembleia Legislativa do Paraná, Valdir Rossoni, e os deputado estaduais Maurício Quirino Theodoro e Plauto Miró.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Bolsonaro diz que Brasil pode sair da OMS
POLÍTICA

Bolsonaro diz que Brasil pode sair da OMS

06/06/2020 17:09
Bolsonaro diz que Brasil pode sair da OMS
Câmara conclui votação de MP que autoriza sorteio de prêmios na TV
Brasil

Câmara conclui votação de MP que autoriza sorteio de prêmios na TV

04/06/2020 19:55
Câmara conclui votação de MP que autoriza sorteio de prêmios na TV
Weintraub deve ser ouvido hoje pela Polícia Federal
JUSTIÇA

Weintraub deve ser ouvido hoje pela Polícia Federal

04/06/2020 13:22
Weintraub deve ser ouvido hoje pela Polícia Federal
Azambuja faz apelo e Geraldo Resende abre mão de disputar prefeitura
POLÍTICA

Azambuja faz apelo e Geraldo Resende abre mão de disputar prefeitura

04/06/2020 13:04
Azambuja faz apelo e Geraldo Resende abre mão de disputar prefeitura
Senador Jean Paul Prates: Bolsonaro dificulta demarcação de terras indígenas
Brasil

Senador Jean Paul Prates: Bolsonaro dificulta demarcação de terras indígenas

03/06/2020 17:13
Senador Jean Paul Prates: Bolsonaro dificulta demarcação de terras indígenas
Últimas Notícias