Dourados – MS segunda, 25 de outubro de 2021
Dourados
29º max
17º min
Ranking Valor Econômico
Política

Marisa critica politização e erros em livros

18 Mai 2011 - 22h20
foto: div. - foto: div. -
BRASÍLIA - Senadores da comissão de Educação criticaram o livro \'Por uma vida melhor, da coleção Viver, Aprender, distribuído pelo MEC para cerca de 485 mil alunos jovens e adultos de mais de 4 mil escolas. O livro aceita erros de concordância na linguagem oral. A publicação diz ser válidas construções como “nós pega o peixe”.

O senador Cristovam Buarque (PDT-DF), ex-ministro da Educação, disse que o país não pode criar duas formas de se falar e lembrou que, nos concursos públicos, cobra-se o português correto. “É um erro nós dividirmos português de rico educado e de pobre não educado”. As críticas também foram feitas pelos senadores Paulo Bauer (PSDB-SC), Waldemir Moka (PMDB-MS), e Roberto Requião (PMDB-PR).

Em nota enviada pelo MEC, a autora Heloisa Ramos diz que é preciso deixar de lado a conotação de certo e errado na língua e adotar os termos adequado ou inadequado.

A comissão de Educação do Senado deve ouvir o Ministro Fernando Haddad na próxima semana sobre a politização de livros didáticos e a presença em livros de português de exemplos de frases com erros de concordância. O Ministro foi convidado para participar de audiência pública nesta terça-feira , mas não compareceu.

A audiência pública era sobre as \"críticas ao governo de Fernando Henrique Cardoso e elogios ao governo de Luís Inácio Lula da Silva\" nos livros didáticos aprovados pelo Ministério da Educação. Os parlamentares ouviram apenas o presidente da Associação Brasileira de Editores de Livros Didáticos (‘Abrelivros), Jorge Yunes. Os representantes do MEC não participaram da Mesa.

Para a senadora Marisa Serrano (PSDB-MS), tanto a politização quanto os erros de concordância nos livros didáticos são duas questões muito sérias e que vieram à tona na mesma época. “Preocupação com conteúdo, ideologia, é preocupação do MEC, sim! Quem tem que ser responsável pela boa formação dos nossos estudantes não é a editora, mas quem dirige a educação no país”.


Ao condenar críticas presentes em alguns livros didáticos ao governo do presidente Fernando Henrique Cardoso, o senador Cyro Miranda (PSDB-GO) observou que a legislação em vigor proíbe a doutrinação política ou religiosa em livros didáticos.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Douradown: Pais de crianças criam associação para garantir inclusão
Saúde

Douradown: Pais de crianças criam associação para garantir inclusão

24/10/2021 09:00
Douradown: Pais de crianças criam associação para garantir inclusão
Zé Teixeira pede para governo anistiar dívidas de IPVA de motocicletas
Política

Zé Teixeira pede para governo anistiar dívidas de IPVA de motocicletas

24/10/2021 08:00
Zé Teixeira pede para governo anistiar dívidas de IPVA de motocicletas
Lei de Marçal Filho combate crime Stalking em MS
Política

Lei de Marçal Filho combate crime Stalking em MS

24/10/2021 07:30
Lei de Marçal Filho combate crime Stalking em MS
Alan terá quase R$ 1,3 bilhão para administrar em 2022
Política

Alan terá quase R$ 1,3 bilhão para administrar em 2022

24/10/2021 07:00
Alan terá quase R$ 1,3 bilhão para administrar em 2022
Relatório de Renan Calheiros pede 68 indiciamentos
CPI da Pandemia

Relatório de Renan Calheiros pede 68 indiciamentos

21/10/2021 08:00
Relatório de Renan Calheiros pede 68 indiciamentos
Últimas Notícias