Dourados – MS terça, 18 de fevereiro de 2020
Dourados
35º max
23º min
Política

Marçal quer salário mínimo de R$ 580

10 Nov 2010 - 19h51
Marçal Filho usando a palavra na reunião que aconteceu na Câmara com as centrais sindicais
Foto: Bruno Diniz - Marçal Filho usando a palavra na reunião que aconteceu na Câmara com as centrais sindicais Foto: Bruno Diniz -
O deputado federal Marçal Filho (PMDB) acompanhou as lideranças das maiores centrais sindicais brasileiras ontem no encaminhamento ao presidente da Câmara dos Deputados, Marco Maia (PT) e do Senado, José Sarney (PMDB) da elevação do salário mínimo para R$ 580 a partir de 1o de janeiro de 2011.

Marçal Filho também encaminhou ao presidente do Congresso Nacional as reivindicações da Confederação Nacional dos Aposentados e Pensionistas (Cobap). O deputado foi o único parlamentar da bancada do Centro-Oeste a participar da reunião que aconteceu ontem com as lideranças da Força Sindical, Central Única dos Trabalhadores (CUT) e do presidente da Cobap, Warley Gonçales.

Além de Marçal Filho, a reunião com os representantes das centrais também foi prestigiada pelo presidente em exer-cício da Câmara Federal, Marco Maia, do Senado, José Sarney, bem como do senador Paulo Paim (PT) e dos deputados federais Paulinho da Força (PDT), Arnaldo Faria de Sá (PTB).

“Todos sabem da minha luta em defesa dos aposentados e dos trabalhadores de todo o Brasil e não poderia deixar de encaminhar aos presidentes da Câmara e do Senado as pro-postas que elevam o salário mínimo para R$ 580, além do fim do Fator Previdenciário e da aprovação do relatório que apresentei ao Projeto de Lei nº 4434/2008 que recompõe as perdas nas aposentadorias”, explica Marçal Filho.

O deputado enfatiza que tão logo tomou conhecimento que os líderes sindicais estariam em Brasília, manifestou a vontade de acompanha-los no encaminhamento das reivindicações aos presidentes da Câmara e do Senado. “Colocamos o mandato em defesa de causas plurais, que beneficiam não apenas os moradores de Mato Grosso do Sul mas de todo o Brasil e, desta forma, não mediremos esforços na defesa que reivindicações que transformam para melhor a vida dos brasileiros”, garante Marçal Filho.

O presidente em exercício da Câmara, deputado Marco Maia, recebeu Marçal Filho, acompanhado dos demais depu-tados e líderes sindicais, e defendeu o diálogo em busca do consenso para definir o melhor valor para o reajuste do salá-rio mínimo e das aposentadorias. Maia disse ter percebido uma boa vontade da equipe da presidente eleita, Dilma Rous-seff, em manter a política de recuperação do mínimo e das aposentadorias. Segundo ele, é preciso encontrar as dotações orçamentárias corretas e ressaltou que “deputados e senadores terão responsabilidade para viabilizar, no Orçamento, os recursos necessários”.

Para Marçal Filho, ainda há uma distância considerável entre o que está previsto na proposta orçamentária do governo para 2011, que prevê um mínimo de R$ 538,15, e o valor pretendido pelas centrais sindicais, que é de R$ 580. “Mesmo assim, entendo que a mobilização dos deputados e senadores dará a resposta que as centrais sindicais e que a Confedera-ção Nacional dos Aposentados e Pensionistas esperam do Congresso Nacional”, argumenta Marçal Filho.

#####NO SENADO

Já o presidente do Senado, José Sarney, que também recebeu dos parlamentares e representantes das centrais a proposta para o salário mínimo em 2011, garantiu que o novo valor vai ser negociado com o relator do projeto de lei orçamentária de 2011, senador Gim Argello (PTB), numa decisão que não é técnica e sim política. “Não tem como ser reajuste técnico. Tecnicamente é 5,5%, que é a inflação. Queremos um reajuste político, como sempre foi feito”, dis-se. O percentual de reajuste defendido pelas centrais para o mínimo é de 13%, enquanto para os aposentados e pensio-nistas é de 9,1%.

Além das emendas parlamentares à proposta orçamentária para garantir recursos ao pagamento dos reajustes, os sindi-calistas defenderam a edição de medidas provisórias (MPs) para embasar legalmente os aumentos a serem concedidos, já que há o temor de o projeto orçamentário de 2011 não ser aprovado até o final deste ano. Os salários e aposentadorias são reajustados no dia 1º de janeiro.

“O Orçamento só coloca os recursos para o aposentado e o salário mínimo, mas tem que ter um instrumento legal, seja um projeto de lei ou uma MP, para que o reajuste seja concedido a todos já a partir do dia 1º de janeiro”, explicou o senador Paulo Paim.

O deputado Arnaldo Faria de Sá, outro integrante da comitiva recebida por Sarney, lembrou ainda dois projetos que tramitam na Câmara e interessam aos aposentados: o PL 4434/08, que teve relatório do deputado federal Marçal Filho e que recompõe o valor das aposentadorias, e o PL 3299/08, que prevê o fim do fator previdenciário.

Para João Batista Inocentini, presidente do Sindicato Nacional dos Aposentados, Pensionistas e Idosos da Força Sin-dical, é fundamental garantir a recomposição do poder de compra das aposentadorias, pois a cada ano os aposentados ganham menos, e a reposição inflacionária não cobre os custos com medicamentos e planos de saúde.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Bolsonaro diz que espera enviar reforma administrativa esta semana
Congresso

Bolsonaro diz que espera enviar reforma administrativa esta semana

18/02/2020 06:22
Bolsonaro diz que espera enviar reforma administrativa esta semana
Plenário pode votar alterações em MP sobre crédito rural
política

Plenário pode votar alterações em MP sobre crédito rural

17/02/2020 11:14
Plenário pode votar alterações em MP sobre crédito rural
Presidente da Assembleia discute parcerias com países asiáticos para viabilizar Rota Bioceânica
Mato Grosso do Sul

Presidente da Assembleia discute parcerias com países asiáticos para viabilizar Rota Bioceânica

17/02/2020 10:55
Presidente da Assembleia discute parcerias com países asiáticos para viabilizar Rota Bioceânica
Ministra diz que escolha de candidato a prefeito não pode ser feita de forma irresponsável
política

Ministra diz que escolha de candidato a prefeito não pode ser feita de forma irresponsável

17/02/2020 06:05
Ministra diz que escolha de candidato a prefeito não pode ser feita de forma irresponsável
Barbosinha diz que candidatura a prefeito de Dourados é irreversível
Política

Barbosinha diz que candidatura a prefeito de Dourados é irreversível

14/02/2020 12:26
Barbosinha diz que candidatura a prefeito de Dourados é irreversível
Últimas Notícias