Dourados – MS domingo, 25 de julho de 2021
Dourados
34º max
16º min
Política

Marçal quer correção na tabela do IR

19 Jan 2011 - 18h18
Marçal, membros da COBAP, da Central Sindical e  Marco Maia - Crédito: Foto: DivulgaçãoMarçal, membros da COBAP, da Central Sindical e Marco Maia - Crédito: Foto: Divulgação
Brasília - O deputado federal Marçal Filho (PMDB) está ao lado das Centrais Sindicais, Força Sindical, CUT, UGT, Nova Central, CGTB, CTB, cobrando a aprovação do salário mínimo em R$ 580,00 e a correção da tabela do Imposto de Renda em 6,47%. O benefício do IR, previsto em lei, terminou em 2010, depois de a correção anual da tabela seguir por quatro anos consecutivos graças ao acordo realizado, em 2006, entre sindicalistas e governo.

Na última terça-feira (18) houve diversas manifestações por todo país pela correção da tabela do IR. Porém, após 12 dias sem retorno, os sindicatos aproveitaram os protestos e também protocolaram ação civil pública na subseção judicial da Justiça Federal de São Paulo contra a União.

No retorno do recesso da Câmara Federal o assunto certamente estará em discussão e o deputado colocou-se a favor da medida. “A tabela do IR já acumula, desde 1995, uma defasagem de 70%, é essencial que a correção aconteça”, declarou Marçal Filho.

Sem definição para as novas correções os trabalhadores, que antes eram isentos do pagamento do tributo, e receberam reajustes salariais, podem ser enquadrados em pisos da tabela que exijam o recolhimento.

Segundo o parlamentar, o reajuste do salário mínimo é outra luta contra a atual posição do governo em manter o valor em R$545. “Assim como a UGT (União Geral dos Trabalhadores) divulgou nota na qual repudia este reajuste eu me mantenho a favor dos R$580. Os trabalhadores, aposentados e pensionistas já contam com um salário muito pequeno para desistirmos deste aumento”, declarou o deputado.

#####2010

No fim do ano passado, o deputado federal Marçal Filho acompanhou as lideranças das maiores centrais sindicais brasileiras no encaminhamento ao presidente da Câmara dos Deputados, Marco Maia (PT) e do Senado, José Sarney (PMDB) da elevação do salário mínimo para R$ 580,00partir de 1¹ de janeiro de 2011. Marçal Filho também encaminhou ao presidente do Congresso Nacional as reivindicações da Confederação Nacional dos Aposentados e Pensionistas (Cobap). O deputado foi o único parlamentar da bancada do Centro Oeste a participar da reunião que aconteceu com as lideranças da Força Sindical, Central Única dos Trabalhadores (CUT) e do presidente da Cobap, Warley Gonçales.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Governador sanciona LDO, que prevê receita de R$ 18,47 bilhões para MS em 2022
Política

Governador sanciona LDO, que prevê receita de R$ 18,47 bilhões para MS em 2022

23/07/2021 08:00
Governador sanciona LDO, que prevê receita de R$ 18,47 bilhões para MS em 2022
Senador Ciro Nogueira assumirá comando da Casa Civil, diz presidente
Política

Senador Ciro Nogueira assumirá comando da Casa Civil, diz presidente

22/07/2021 15:00
Senador Ciro Nogueira assumirá comando da Casa Civil, diz presidente
Governo nomeia Youssif Domingos para o cargo de diretor-presidente da Fertel
Política

Governo nomeia Youssif Domingos para o cargo de diretor-presidente da Fertel

21/07/2021 14:00
Governo nomeia Youssif Domingos para o cargo de diretor-presidente da Fertel
Presidente diz que deve vetar dinheiro para o fundo eleitoral
Política

Presidente diz que deve vetar dinheiro para o fundo eleitoral

20/07/2021 09:00
Presidente diz que deve vetar dinheiro para o fundo eleitoral
Após alta, presidente diz que se reunirá com ministro da Saúde
Política

Após alta, presidente diz que se reunirá com ministro da Saúde

19/07/2021 09:00
Após alta, presidente diz que se reunirá com ministro da Saúde
Últimas Notícias