Dourados – MS domingo, 07 de junho de 2020
Dourados
27º max
14º min
JBS (Fazer o bem)
Política

Marçal quer correção na tabela do IR

19 Jan 2011 - 18h18
Marçal, membros da COBAP, da Central Sindical e  Marco Maia - Crédito: Foto: DivulgaçãoMarçal, membros da COBAP, da Central Sindical e Marco Maia - Crédito: Foto: Divulgação
Brasília - O deputado federal Marçal Filho (PMDB) está ao lado das Centrais Sindicais, Força Sindical, CUT, UGT, Nova Central, CGTB, CTB, cobrando a aprovação do salário mínimo em R$ 580,00 e a correção da tabela do Imposto de Renda em 6,47%. O benefício do IR, previsto em lei, terminou em 2010, depois de a correção anual da tabela seguir por quatro anos consecutivos graças ao acordo realizado, em 2006, entre sindicalistas e governo.

Na última terça-feira (18) houve diversas manifestações por todo país pela correção da tabela do IR. Porém, após 12 dias sem retorno, os sindicatos aproveitaram os protestos e também protocolaram ação civil pública na subseção judicial da Justiça Federal de São Paulo contra a União.

No retorno do recesso da Câmara Federal o assunto certamente estará em discussão e o deputado colocou-se a favor da medida. “A tabela do IR já acumula, desde 1995, uma defasagem de 70%, é essencial que a correção aconteça”, declarou Marçal Filho.

Sem definição para as novas correções os trabalhadores, que antes eram isentos do pagamento do tributo, e receberam reajustes salariais, podem ser enquadrados em pisos da tabela que exijam o recolhimento.

Segundo o parlamentar, o reajuste do salário mínimo é outra luta contra a atual posição do governo em manter o valor em R$545. “Assim como a UGT (União Geral dos Trabalhadores) divulgou nota na qual repudia este reajuste eu me mantenho a favor dos R$580. Os trabalhadores, aposentados e pensionistas já contam com um salário muito pequeno para desistirmos deste aumento”, declarou o deputado.

#####2010

No fim do ano passado, o deputado federal Marçal Filho acompanhou as lideranças das maiores centrais sindicais brasileiras no encaminhamento ao presidente da Câmara dos Deputados, Marco Maia (PT) e do Senado, José Sarney (PMDB) da elevação do salário mínimo para R$ 580,00partir de 1¹ de janeiro de 2011. Marçal Filho também encaminhou ao presidente do Congresso Nacional as reivindicações da Confederação Nacional dos Aposentados e Pensionistas (Cobap). O deputado foi o único parlamentar da bancada do Centro Oeste a participar da reunião que aconteceu com as lideranças da Força Sindical, Central Única dos Trabalhadores (CUT) e do presidente da Cobap, Warley Gonçales.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Bolsonaro diz que Brasil pode sair da OMS
POLÍTICA

Bolsonaro diz que Brasil pode sair da OMS

06/06/2020 17:09
Bolsonaro diz que Brasil pode sair da OMS
Câmara conclui votação de MP que autoriza sorteio de prêmios na TV
Brasil

Câmara conclui votação de MP que autoriza sorteio de prêmios na TV

04/06/2020 19:55
Câmara conclui votação de MP que autoriza sorteio de prêmios na TV
Weintraub deve ser ouvido hoje pela Polícia Federal
JUSTIÇA

Weintraub deve ser ouvido hoje pela Polícia Federal

04/06/2020 13:22
Weintraub deve ser ouvido hoje pela Polícia Federal
Azambuja faz apelo e Geraldo Resende abre mão de disputar prefeitura
POLÍTICA

Azambuja faz apelo e Geraldo Resende abre mão de disputar prefeitura

04/06/2020 13:04
Azambuja faz apelo e Geraldo Resende abre mão de disputar prefeitura
Senador Jean Paul Prates: Bolsonaro dificulta demarcação de terras indígenas
Brasil

Senador Jean Paul Prates: Bolsonaro dificulta demarcação de terras indígenas

03/06/2020 17:13
Senador Jean Paul Prates: Bolsonaro dificulta demarcação de terras indígenas
Últimas Notícias