Dourados – MS sábado, 22 de fevereiro de 2020
Dourados
30º max
18º min
Política

Marçal Filho quer maior reajuste

07 Jan 2011 - 09h43
O deputado Marçal Filho com representantes da COBAP e da Central Sindical
 - Crédito: Foto: DivulgaçãoO deputado Marçal Filho com representantes da COBAP e da Central Sindical - Crédito: Foto: Divulgação
DOURADOS - Coordenador em Mato Grosso do Sul da Frente Parlamentar em Defesa dos Aposentados no Congresso Nacional, o deputado federal Marçal Filho (PMDB) luta para que a classe tenha um maior reajuste. A Frente considerou insuficiente o aumento do salário mínimo de R$ 510,00 para R$ 540,00 e justifica que há R$ 5,6 bilhões no orçamento para melhorar a margem de reajuste.

O governo concedeu aos aposentados e pensionistas, que recebem mais do que o salário mínimo, um reajuste de 6,41%. O aumento é menor do que o concedido em 2010 e oferece apenas a inflação acumulada em 2010, o que não aconteceu com o salário mínimo definido pela equipe de Lula.

Marçal é a favor dos aposentados e sindicalistas que querem 10% de aumento, ”Quero que o aumento seja repassado para aqueles que ganham mais que um salário mínimo”, declarou o parlamentar.

A favor da proposta que eleva o salário mínimo para R$ 580,00 o deputado apoia a decisão do PMDB para votação de um novo salário mínimo. Marçal já apresentou no ano passado um projeto que propõe o reajuste e mantém sua posição em defesa dos trabalhadores.

Apesar de a medida já estar em vigor, o valor pode ser alterado depois do dia 2 de fevereiro, quando começam os trabalhos no Congresso Nacional. O valor proposto representa um reajuste de apenas 5,88% sobre o mínimo que vigorava anteriormente (R$ 510).

#####Contribuição previdenciária

A portaria divulgada pelo governo estabelece as novas as alíquotas de contribuição do INSS dos trabalhadores empregados, domésticos e trabalhadores avulsos. As alíquotas são de 8% para aqueles que ganham até R$ 1 106,90; de 9% para quem ganha entre R$ 1.106,91 e R$ 1.844,83; e de 11% para os que ganham entre R$ 1.844,84 e R$ 3.689,66. Essas alíquotas – relativas aos salários pagos em janeiro – deverão ser recolhidas apenas em fevereiro. Os recolhimentos a serem efetuados em janeiro – relativos aos salários de dezembro – ainda seguem a tabela anterior. Nesse caso as alíquotas são de 8% para aqueles que ganham até R$ 1 040,22; de 9% para quem ganha entre R$ 1.040,23 e R$ 1.733,70 e de 11% para os que ganham entre R$ 1.733,71 e R$ 3.467,40.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Deputado João Henrique anuncia, na tribuna, saída do G-11
Política

Deputado João Henrique anuncia, na tribuna, saída do G-11

21/02/2020 08:48
Deputado João Henrique anuncia, na tribuna, saída do G-11
Após derrota no STJ, Renato Vidigal tem liberdade negada no STF
POLÍTICA

Após derrota no STJ, Renato Vidigal tem liberdade negada no STF

20/02/2020 17:51
Após derrota no STJ, Renato Vidigal tem liberdade negada no STF
Defesa tem expectativa frustrada e Vidigal continua preso por decisão do STJ
JUSTIÇA

Defesa tem expectativa frustrada e Vidigal continua preso por decisão do STJ

20/02/2020 14:42
Defesa tem expectativa frustrada e Vidigal continua preso por decisão do STJ
Deputado adverte a falta de planejamento na educação em Dourados
política

Deputado adverte a falta de planejamento na educação em Dourados

20/02/2020 07:35
Deputado adverte a falta de planejamento na educação em Dourados
Parlamentares de três partidos pedem cassação do mandato de Flávio Bolsonaro
Política

Parlamentares de três partidos pedem cassação do mandato de Flávio Bolsonaro

19/02/2020 15:00
Parlamentares de três partidos pedem cassação do mandato de Flávio Bolsonaro
Últimas Notícias