Dourados – MS terça, 18 de fevereiro de 2020
Dourados
35º max
23º min
Política

Marçal critica manobra contra PEC 300

01 Dez 2010 - 16h46
Marçal Filho reage contra decisão do governo de não votar emenda que cria piso nacional.
Foto: Divulgação - Marçal Filho reage contra decisão do governo de não votar emenda que cria piso nacional. Foto: Divulgação -
DOURADOS – O deputado federal Marçal Filho (PMDB) criticou duramente ontem as manobras do governo federal para impedir que o Congresso Nacional aprove ainda este ano a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) número 300 que cria um piso nacional para policiais civis, militares e bombeiros.

Alegando que a aprovação da PEC 300 geraria des-pesas extras de R$ 46 bilhões aos cofres públicos, o Palácio do Planalto determinou que os líderes do governo na Câmara e no Senado barrasse a votação do projeto. “Não vamos aceitar essa imposição, mesmo porque a alegação de despesas extras não se justifica diante da necessidade de pagar melhor quem coloca a própria vida em risco para defender a vida dos outros”, reclama Marçal.

Mesmo depois de aprovada em primeiro turno e da pressão para que fosse votada antes das eleições, PEC 300 perma-nece emperrada, na Câmara Federal. O deputado aproveitou o atual cenário de confronto armado entre a polícia e o crime o organizado, nas favelas do Rio de Janeiro, para pedir mais valorização desses profissionais.

“Esses homens arriscam suas vidas todos os dias para trazer segurança aos nossos lares. Nada mais justo remunerá-los melhor”, declarou o deputado, lembrando que os mesmos riscos sofrem os policiais do Mato Grosso do Sul, em especial os que estão nas regiões de fronteira.

Marçal acredita que o sucesso das operações nas favelas cariocas irá contribuir na luta pela aprovação da PEC 300. “São várias as manifestações de protesto quanto a salário e condições de trabalho. A classe está aproveitando o momento, que é oportuno, para fazer suas reivindicações”, declarou o deputado referindo-se a uma faixa pendurada ao lado do quartel-general das forças que atuam na ocupação na Vila Cruzeiro e no Complexo do Alemão que denuncia: ‘R$ 30,00 por dia: valor da vida de um policial e de um bombeiro no Rio de Janeiro – PEC 300/2008’.

Agora que têm o apoio maciço da população, os policiais prometem aumentar a pressão para a aprovação da Proposta de Emenda Constitucional que cria o piso nacional para a categoria. “Ir contra a PEC 300 é ir contra todos que apoiam a polícia do Rio”, disse um policial carioca a Agência Brasil.

Atualmente, um policial militar em começo de carreira no Rio de Janeiro ganha cerca de R$ 900,00 por mês, figuran-do entre os Estados brasileiros que pagam pior seus policiais. “Caso a PEC seja aprovada, o piso poderia passar para algo em torno de R$ 3,5 mil. Essa não deve ser uma luta apenas minha e dos policiais, mas de toda a sociedade, que será a mais beneficiada com uma melhor segurança pública. Sabemos que um policial bem remunerado e com boas condições de trabalho, desempenha melhor sua função e A PEC 300 irá proporcionar isso\", enfatizou deputado.

Caso a PEC 300 seja aprovada, o Ministério do Planejamento calcula um impacto, no orçamento da União, de cerca de R$ 46 bilhões. Por conta disso o ministro da Fazenda, Guido Mantega, declarou ser contra a aprovação da PEC 300, afirmando que 2011 deve ser um ano de contenção fiscal.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Bolsonaro diz que espera enviar reforma administrativa esta semana
Congresso

Bolsonaro diz que espera enviar reforma administrativa esta semana

18/02/2020 06:22
Bolsonaro diz que espera enviar reforma administrativa esta semana
Plenário pode votar alterações em MP sobre crédito rural
política

Plenário pode votar alterações em MP sobre crédito rural

17/02/2020 11:14
Plenário pode votar alterações em MP sobre crédito rural
Presidente da Assembleia discute parcerias com países asiáticos para viabilizar Rota Bioceânica
Mato Grosso do Sul

Presidente da Assembleia discute parcerias com países asiáticos para viabilizar Rota Bioceânica

17/02/2020 10:55
Presidente da Assembleia discute parcerias com países asiáticos para viabilizar Rota Bioceânica
Ministra diz que escolha de candidato a prefeito não pode ser feita de forma irresponsável
política

Ministra diz que escolha de candidato a prefeito não pode ser feita de forma irresponsável

17/02/2020 06:05
Ministra diz que escolha de candidato a prefeito não pode ser feita de forma irresponsável
Barbosinha diz que candidatura a prefeito de Dourados é irreversível
Política

Barbosinha diz que candidatura a prefeito de Dourados é irreversível

14/02/2020 12:26
Barbosinha diz que candidatura a prefeito de Dourados é irreversível
Últimas Notícias