Dourados – MS domingo, 07 de março de 2021
Dourados
33º max
23º min
Influx
PROJETO DE LEI

Lei Anticorrupção aumenta pena para empresas

20 Mai 2016 - 06h00
Conjunto de medidas contou com o aval da relatora na CCJ, senadora Simone Tebet - Crédito: Foto: DivulgaçãoConjunto de medidas contou com o aval da relatora na CCJ, senadora Simone Tebet - Crédito: Foto: Divulgação
A Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ) já está pronta para votar a Lei Anticorrupção (12.846/2013), que pode ser alterada por iniciativa do senador Raimundo Lira (PMDB-PB), presidente da Comissão Especial do Impeachment (CEI). Ele é autor de projeto de lei (PLS 614/2015) que endurece a punição para empresas envolvidas em irregularidades contra o setor público. O projeto altera a Lei Anticorrupção para estabelecer aumento da multa aplicada a empresas envolvidas em atos lesivos ao patrimônio público. Hoje, essa taxação oscila entre 0,1% e 20% do faturamento bruto do último exercício anterior ao da instauração do processo administrativo, excluídos os tributos. O PLS 614/2015 fixa a multa entre 0,3% e 25% do faturamento bruto. Outra punição específica é definida no projeto para as empresas já enquadradas criminalmente por atos de corrupção contra a administração pública, mas que voltaram a incorrer nessa prática. Nesse caso, a multa será de 0,5% a 30% do faturamento bruto do último exercício anterior ao da instauração do processo administrativo, excluídos também os tributos. A empresa ficará sujeita ainda a suspensão temporária de suas atividades por dois a seis meses e até ao encerramento de suas atividades, se voltar a transgredir pela terceira vez.


Esse conjunto de medidas contou com o aval da relatora na CCJ, senadora Simone Tebet (PMDB-MS). "Constata-se que essa legislação não tem sido capaz de reprimir eficazmente o cometimento de ilícitos contra a administração pública por parte de pessoas jurídicas. Muitas dessas empresas avaliam que compensa infringir as normais legais, em face de sanções débeis que propiciam a prática de atos de corrupção, hoje tão presentes no âmbito governamental em todas as suas esferas administrativas", argumentou Simone Tebet no relatório.


Com o advento dos acordos de leniência, introduzidos na Lei Anticorrupção por medida provisória em 2015, a relatora apresentou emenda para ajustar o PLS 614/2015 à nova realidade jurídica. Assim, propôs que as sanções mais rigorosas serão aplicadas às empresas envolvidas em delitos com o setor público caso não tenha sido firmado acordo de leniência na esfera administrativa. Esses acordos são feitos com o governo para aliviar a punição das empresas que colaborarem na investigação .

Deixe seu Comentário

Leia Também

Governo recebe motoristas de aplicativos e discute ações em benefício da categoria
Ação de Governo

Governo recebe motoristas de aplicativos e discute ações em benefício da categoria

06/03/2021 10:30
Governo recebe motoristas de aplicativos e discute ações em benefício da categoria
Senado promoverá série de atividades para celebrar Mês da Mulher
Política

Senado promoverá série de atividades para celebrar Mês da Mulher

04/03/2021 18:30
Senado promoverá série de atividades para celebrar Mês da Mulher
Projeto inclui atleta autônomo em competição esportiva profissional
Política

Projeto inclui atleta autônomo em competição esportiva profissional

04/03/2021 18:00
Projeto inclui atleta autônomo em competição esportiva profissional
Senado aprova em segundo turno PEC Emergencial
BRASIL

Senado aprova em segundo turno PEC Emergencial

04/03/2021 16:14
Senado aprova em segundo turno PEC Emergencial
Projeto de lei prevê eleições diretas para diretoria do Conselho Federal da OAB
Política

Projeto de lei prevê eleições diretas para diretoria do Conselho Federal da OAB

04/03/2021 15:00
Projeto de lei prevê eleições diretas para diretoria do Conselho Federal da OAB
Últimas Notícias