Dourados – MS terça, 22 de junho de 2021
Dourados
26º max
13º min
Política

Lava Jato consegue devolução de R$ 2,9 bi desviados da Petrobras

18 Mar 2016 - 09h49Por Marli Lange Do Progresso
Investigações preliminares da Lava Jato começaram em 2009. - Crédito: Foto: Rovena Rosa/Arquivo Agência BrasilInvestigações preliminares da Lava Jato começaram em 2009. - Crédito: Foto: Rovena Rosa/Arquivo Agência Brasil
A Operação Lava Jato chegou ontem (17) a dois anos de investigações com 93 condenações e R$ 2,9 bilhões devolvidos pelos investigados. Os trabalhos começaram em 2009, quando o juiz federal Sérgio Moro, da 13ª Vara Federal em Curitiba, começou a apurar as operações financeiras do doleiro Alberto Youssef.


De acordo com dados recentes levantados pela força-tarefa de procuradores que atua na Lava Jato, os desvios na Petrobras envolvem cerca de R$ 6,4 bilhões em propina a ex-diretores da estatal, executivos de empreiteiras que assinaram contratos com a empresa e agentes públicos. Até o momento, foram recuperados R$ 2,9 bilhões e repatriados R$ 659 milhões, por meio de 97 pedidos de cooperação internacional. O total do ressarcimento pedido pelo Ministério Público Federal a empreiteiras e ex-diretores da Petrobras chega a R$ 21, 8 bilhões.


Em dois anos, Sérgio Moro proferiu 93 condenações, sentenças que somam 990 anos e sete meses de pena. Os crimes são corrupção, tráfico transacional de drogas, formação de organização criminosa e lavagem de ativos. As investigações também contaram com 49 acordos de delação premiada e cinco acordos de leniência com empresas.


As  investigações preliminares da Lava Jato começaram em 2009, a partir da apuração do envolvimento do então deputado federal José Janene (PP), que morreu em 2010, com os doleiros Alberto Youssef e Carlos Habib Charter.


Em 2013, a Polícia Federal descobriu quatro organizações criminosas, todas comandadas por doleiros. Com base no monitoramento dos suspeitos, os investigadores chegaram a Paulo Roberto Costa, que recebeu um veículo da marca Land Rover como presente do doleiro Alberto Youssef.


A partir daí, por meio de depoimentos de delação premiada, os investigadores descobriram a participação de dirigentes de empreiteiras, que organizaram um clube para combinar quais as empresas que participariam das licitações da Petrobras.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Medida restritiva em MS perde força e vira escolha política
IMPRESSO

Medida restritiva em MS perde força e vira escolha política

20/06/2021 14:00
Medida restritiva em MS perde força e vira escolha política
Casa Civil faz balanço dos 900 dias do governo Bolsonaro
Política

Casa Civil faz balanço dos 900 dias do governo Bolsonaro

20/06/2021 12:00
Casa Civil faz balanço dos 900 dias do governo Bolsonaro
Ações de Direitos humanos passam a ser exigidas em órgãos públicos
Direitos humanos

Ações de Direitos humanos passam a ser exigidas em órgãos públicos

19/06/2021 12:00
Ações de Direitos humanos passam a ser exigidas em órgãos públicos
Deputados solicitam agilidade na tramitação da autorização da autorregulação ferroviária
Política

Deputados solicitam agilidade na tramitação da autorização da autorregulação ferroviária

16/06/2021 13:30
Deputados solicitam agilidade na tramitação da autorização da autorregulação ferroviária
ALEMS homenageia engenheiros agrimensores em sessão solene nesta terça-feira
Política

ALEMS homenageia engenheiros agrimensores em sessão solene nesta terça-feira

14/06/2021 14:30
ALEMS homenageia engenheiros agrimensores em sessão solene nesta terça-feira
Últimas Notícias