Dourados – MS sábado, 26 de setembro de 2020
Dourados
38º max
21º min
POLÍTICA

Defesa de Paulo Bernardo diz que prisão de ex-ministro é ilegal

23 Jun 2016 - 13h15
Paulo Bernardo. - Crédito: Foto: DivulgaçãoPaulo Bernardo. - Crédito: Foto: Divulgação
A Polícia Federal deflagrou hoje (23) a Operação Custo Brasil, que investiga esquema de pagamento de propina mais de R$ 100 milhões para diversos funcionários públicos e agentes políticos do Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão, entre os anos de 2010 e 2015. O ex-ministro do Planejamento Paulo Bernardo foi preso preventivamente na manhã de hoje (23), em Brasília, durante a operação.

Em nota, os advogados do ex-ministro, Verônica Sterman e Rodrigo Mudrovitsch, dizem que a prisão de Paulo Bernardo é ilegal e o ministério, na gestão de Bernardo, firmou apenas acordo de cooperação técnica.

"O Ministério do Planejamento se limitou a fazer um acordo de cooperação técnica com associações de entidades bancárias, notadamente a ABBC e SINAPP, não havendo qualquer tipo de contrato público, tampouco dispêndios por parte do órgão público federal. Ainda assim, dentro do Ministério do Planejamento, a responsabilidade pelo acordo de cooperação técnica era da Secretaria de Recursos Humanos e, por não envolver gastos, a questão sequer passou pelo aval do Ministro. Não bastasse isso, o inquérito instaurado para apurar a questão há quase um ano não contou com qualquer diligência, mesmo tendo o Ministro se colocado à disposição por diversas vezes tanto em juízo como no Ministério Público e Polícia Federal. A defesa não teve acesso à decisão ainda, mas adianta que a prisão é ilegal, pois não preenche os requisitos autorizadores e assim que conhecermos os fundamentos do decreto prisional tomaremos as medidas cabíveis", diz o comunicado.

Segundo o Ministério Público Federal (MPF) e a Polícia Federal, Paulo Bernardo teve despesas pessoais e de campanhas eleitorais pagas pelo esquema de corrupção investigado pela Operação Custo Brasil. As investigações apontam que um escritório de advocacia ligado ao ex-ministro recebeu cerca de R$ 7 milhões. Desse total, a estimativa é que 80% do dinheiro custearam gastos do ex-ministro.

Deixe seu Comentário

Leia Também

TRE do Rio torna prefeito Crivella inelegível até 2026 por abuso de poder político
Política

TRE do Rio torna prefeito Crivella inelegível até 2026 por abuso de poder político

24/09/2020 18:12
TRE do Rio torna prefeito Crivella inelegível até 2026 por abuso de poder político
Marçal destina R$ 1,1 milhão em emendas para saúde de 10 cidades de MS
recursos

Marçal destina R$ 1,1 milhão em emendas para saúde de 10 cidades de MS

24/09/2020 16:05
Marçal destina R$ 1,1 milhão em emendas para saúde de 10 cidades de MS
Alan Guedes registra candidatura à Prefeitura de Dourados
Eleições 2020

Alan Guedes registra candidatura à Prefeitura de Dourados

24/09/2020 12:03
Alan Guedes registra candidatura à Prefeitura de Dourados
TSE atualiza aplicativo Pardal, que recebe denúncias sobre eleições
Eleições 2020

TSE atualiza aplicativo Pardal, que recebe denúncias sobre eleições

22/09/2020 18:36
TSE atualiza aplicativo Pardal, que recebe denúncias sobre eleições
Projeto institui Semana da Conscientização sobre a Esquizofrenia em MS
Política

Projeto institui Semana da Conscientização sobre a Esquizofrenia em MS

17/09/2020 13:52
Projeto institui Semana da Conscientização sobre a Esquizofrenia em MS
Últimas Notícias