Dourados – MS sexta, 14 de junho de 2024
19º
Política

Comissão sobre prisão em segunda instância faz audiências para ouvir operadores do Direito

A prisão após condenação judicial em segunda instância divide opiniões

06 Mar 2020 - 18h40Por Redação
Comissão sobre prisão em segunda instância faz audiências para ouvir operadores do Direito - Crédito: Geraldo Bubniak/Agência de Notícias do Paraná Crédito: Geraldo Bubniak/Agência de Notícias do Paraná

A comissão especial que analisa a proposta que prevê a prisão após segunda instância (PEC 199/19), realiza duas audiências públicas - uma na terça-feira (10) e outra na quarta (11).

Para o debate da terça, às 13h30 no plenário 5, os convidados são:
- o defensor público-geral federal da Defensoria Pública da União, Gabriel Faria Oliveira;
- o procurador-geral da Fazenda Nacional, José Levi do Amaral Júnior;
- a advogada e doutora em Direito Processual Civil pela PUC/SP Luana de Figueiredo Cruz; e
- o advogado Daniel Mitidiero.

Os internautas poderão enviar perguntas aos participantes do debate. 

Na quarta-feira (11), também às 13h30, os convidados são:
- o presidente do Superior Tribunal de Justiça (STJ), ministro João Otávio de Noronha;
- o presidente do Conselho dos Tribunais de Justiça, desembargador Carlos Eduardo Zietlow;
- o ministro aposentado do Supremo Tribunal Federal, Carlos Ayres Britto;
- o ex-presidente do Supremo Tribunal Federal Nelson Azevedo Jobim.

Os internautas poderão enviar perguntas aos participantes do debate, que ocorrerá no plenário 7. 

Presunção de inocência e reaquecimento da economia
Solicitaram as audiências os deputados Orlando Silva (PCdoB-SP), Gilson Marques (Novo-SC), Fábio Trad (PSD-MS), Natália Bonavides (PT-RN), Marcelo Ramos (PL-AM),  José Nelto (Podemos-GO), Henrique Fontana (PT-RS) e outros.

O deputado Orlando Silva, por exemplo, afirma que "é importante o debate das propostas de prisão após decisão de segunda instância, sob os aspectos da constitucionalidade, segurança jurídica e impacto à presunção de inocência com a sociedade civil organizada".

Já o deputado Gilson Marques considera importante ouvir especialistas porque, para ele, a proposta, "além de corrigir o equívoco que impede a execução da pena de prisão após a conclusão do julgamento das questões fáticas, redireciona para as instâncias iniciais o impacto mais relevantes das decisões no âmbito cível, tributário e comercial". Ele afirma que a medida, portanto, tem potencial de destravar bilhões de reais retidos devido à necessidade de aguardar decisões do STJ e do STF e pode auxiliar no reaquecimento da economia.

*horários de MS

Deixe seu Comentário

Leia Também

Lula lança selo dos Correios em celebração a obra de Paulo Coelho
Política

Lula lança selo dos Correios em celebração a obra de Paulo Coelho

13/06/2024 21:15
Lula lança selo dos Correios em celebração a obra de Paulo Coelho
Iniciativas da Coordenadoria da Mulher são indicadas ao Prêmio Innovare
Judiciário

Iniciativas da Coordenadoria da Mulher são indicadas ao Prêmio Innovare

13/06/2024 20:30
Iniciativas da Coordenadoria da Mulher são indicadas ao Prêmio Innovare
Senadores selecionam medidas para compensar desoneração da folha
Política

Senadores selecionam medidas para compensar desoneração da folha

13/06/2024 18:15
Senadores selecionam medidas para compensar desoneração da folha
Lula defende taxação dos super-ricos e combate à fome na OIT
Política

Lula defende taxação dos super-ricos e combate à fome na OIT

13/06/2024 17:15
Lula defende taxação dos super-ricos e combate à fome na OIT
Dourados precisaria de mais 37 mil eleitores para ter eleição em 2º turno
Política

Dourados precisaria de mais 37 mil eleitores para ter eleição em 2º turno

13/06/2024 15:00
Dourados precisaria de mais 37 mil eleitores para ter eleição em 2º turno
Últimas Notícias