Dourados – MS sábado, 21 de maio de 2022
São Paulo
23º max
11º min
Audiência pública

Câmara de Campo Grande discute pela primeira vez o uso de cannabis medicinal

Psiquiatra Wilson Lessa disse que ainda é preciso correr atrás de informação de qualidade

28 Abr 2022 - 11h45Por Rodrigo Almeida/ Assessoria de Imprensa da Câmara Municipal
a audiênca pública foi reaiizada na noite de ontem na Câmara da da Capital - Crédito: Izaias Medeirosa audiênca pública foi reaiizada na noite de ontem na Câmara da da Capital - Crédito: Izaias Medeiros

Na noite de quarta-feira (27), a Câmara Municipal de Campo Grande realizou a 1ª Audiência Pública que colocou em debate o uso de cannabis medicinal no Brasil. De autoria da vereadora Camila Jara, a “Audiência Direito à Saúde em Meio ao Proibicionismo” contou com vários atores da sociedade civil organizada participaram tirando dúvidas e atualizando informações sobre o uso da substância como forma de tratamento.

Jéssica Albuquerque, da Associação Sul-mato-grossense de apoio e pesquisa à cannabis medicinal divina flor, diz que é importante a presença da população na Casa de Leis para trazer informação. “Ocupar esses espaços, trazer informação e mostrar para as pessoas que a cannabis é remédio é o nosso objetivo aqui”.

O psiquiatra Wilson Lessa disse que ainda é preciso correr atrás de informação de qualidade. “Não estamos aqui para mostrar que existe risco, porque de fato existe. Estamos para informar os benefícios e também os riscos, e também precisamos separar o uso medicinal do uso recreativo, que não é a pauta desta audiência. Existe um produto na farmácia hoje liberado no Brasil, mas ele custa quase R$ 2400, mas quem é beneficiado com isso? Isso não está na realidade das famílias”, argumenta.

Dra. Anana Chaves diz que a cannabis é uma forma de tratamento que ainda não é considerada viável por muitos médicos. “Existem remédios prescritos que não ajudam tanto em alguns acasos, e mesmo assim são prescritos. Não estou demonizando esses remédios, eu também prescrevo, mas há situações em que é preciso olhar para tratamentos alternativos”.

Fabianne Rezek, mãe de um menino que precisou ser tratado com o óleo da cannabis comentou sobra as mudanças e benefícios que ele teve como paciente, ao final do relato a mulher foi enfática: “a cannabis é remédio sim, é barata e principalmente é eficaz”.

A discussão, transmitida pelos canais da Câmara no Facebook e no Youtube, trouxe dados e informações históricas sobre a pesquisa, tratamento e legislação

Deixe seu Comentário

Leia Também

Governo garante iluminação na MS -156 em 100 dias
Política

Governo garante iluminação na MS -156 em 100 dias

20/05/2022 15:30
Governo garante iluminação na MS -156 em 100 dias
Política

Os que sabem pouco, também votam

20/05/2022 15:00
Política

Comissão pode investigar deputado João Catan por efetuar disparos

20/05/2022 14:30
‘Sem as obras do Governo, Dourados estaria um caos’, diz Marçal
Política

‘Sem as obras do Governo, Dourados estaria um caos’, diz Marçal

20/05/2022 14:00
‘Sem as obras do Governo, Dourados estaria um caos’, diz Marçal
Aplicativos levam as Eleições 2022 para a palma da mão dos brasileiros
Política

Aplicativos levam as Eleições 2022 para a palma da mão dos brasileiros

20/05/2022 12:15
Aplicativos levam as Eleições 2022 para a palma da mão dos brasileiros
Últimas Notícias