Dourados – MS sexta, 14 de junho de 2024
26º
Política

Câmara aprova decreto de calamidade pública por conta do coronavírus

19 Mar 2020 - 07h02Por Agência Brasil
Projeto vai ao Senado e precisa de pelo menos 41 votos para aprovação - Crédito: Agência BrasilProjeto vai ao Senado e precisa de pelo menos 41 votos para aprovação - Crédito: Agência Brasil

O plenário da Câmara dos Deputados aprovou na noite desta quarta-feira (18), por votação simbólica, o pedido do governo federal para declaração de estado de calamidade pública no país. O projeto será encaminhado para votação no Senado e precisa de pelo menos 41 votos para ser aprovado.

A declaração de estado de calamidade pública é uma medida inédita em nível federal. Na mensagem, o governo pede a que seja dispensado de atingir a meta fiscal, entre outras medidas, para combater a pandemia.

“A crise é muito grande. O mais importante: a decretação de calamidade abre espaço fiscal, abre espaço para o governo aplicar mais recursos para a saúde. A gente sabe que os R$ 5 bilhões eram poucos recursos para área de saúde. Estados e municípios precisam de mais recursos”, afirmou o presidente da Câmara, deputado Rodrigo Maia (DEM-RJ). “A decretação de calamidade abre espaço fiscal para que a gente trate do enfrentamento do coronavírus do ponto de vista da saúde pública, da economia, da área social -  em relação aos brasileiros mais vulneráveis”, acrescentou.

Neste ano, o Orçamento sancionado pelo presidente Jair Bolsonaro prevê um déficit primário de R$ 124,1 bilhões como meta fiscal para o Governo Central. Com a adoção do estado de calamidade, o governo suspende os prazos para ajuste das despesas de pessoal e dos limites do endividamento; para o cumprimento das metas fiscais; e para adoção dos limites de empenho (contingenciamento) das despesas até 31 de dezembro deste ano.

O governo argumenta que a medida é necessária “em virtude do monitoramento permanente da pandemia Covid-19, da necessidade de elevação dos gastos públicos para proteger a saúde e os empregos dos brasileiros e da perspectiva de queda de arrecadação”.

O presidente da Câmara ressaltou que a ampliação dos gastos públicos e maior presença do estado na economia são cruciais no combate à pandemia de coronavírus. Segundo ele, assim que a crise for superada no país, o Congresso voltará a ter como prioridade a organização dos gastos públicos, com as reformas administrativa, tributária e a manutenção do teto dos gastos.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Lula lança selo dos Correios em celebração a obra de Paulo Coelho
Política

Lula lança selo dos Correios em celebração a obra de Paulo Coelho

13/06/2024 21:15
Lula lança selo dos Correios em celebração a obra de Paulo Coelho
Iniciativas da Coordenadoria da Mulher são indicadas ao Prêmio Innovare
Judiciário

Iniciativas da Coordenadoria da Mulher são indicadas ao Prêmio Innovare

13/06/2024 20:30
Iniciativas da Coordenadoria da Mulher são indicadas ao Prêmio Innovare
Senadores selecionam medidas para compensar desoneração da folha
Política

Senadores selecionam medidas para compensar desoneração da folha

13/06/2024 18:15
Senadores selecionam medidas para compensar desoneração da folha
Lula defende taxação dos super-ricos e combate à fome na OIT
Política

Lula defende taxação dos super-ricos e combate à fome na OIT

13/06/2024 17:15
Lula defende taxação dos super-ricos e combate à fome na OIT
Dourados precisaria de mais 37 mil eleitores para ter eleição em 2º turno
Política

Dourados precisaria de mais 37 mil eleitores para ter eleição em 2º turno

13/06/2024 15:00
Dourados precisaria de mais 37 mil eleitores para ter eleição em 2º turno
Últimas Notícias