Dourados – MS segunda, 06 de abril de 2020
Dourados
31º max
23º min
Polícia

Maior facção criminosa da Venezuela têm célula do tráfico em Dourados

24 Fev 2020 - 09h59Por Valéria Araújo
Denuncia é da comunidade venezuelana, que assegura que maioria é honesta - Denuncia é da comunidade venezuelana, que assegura que maioria é honesta -

Membros que atuavam na maior facção criminosa da Venezuela, a Pranato, estariam operando no tráfico de drogas em Dourados. De acordo com informações apuradas pelo O PROGRESSO, a “célula” já conta com cinco principais integrantes. Eles estariam atuando em duas principais “bocas de fumo” em bairros como o Jardim Márcia e Jóquei Clube. Outros 25 nomes de criminosos, que pertenciam a outras organizações, foram identificados.

A suspeita é que ao chegarem em Dourados, sem emprego e renda, teriam sido aliciados e passaram a atuar em organizações criminosas, que operam o tráfico na fronteira. O PROGRESSO apurou que recentemente um grupo de imigrantes que estava em Indápolis foi abordado por pessoas que se identificaram como membros do Primeiro Comando da Capital (PCC) e ofereceram “trabalho” na organização com salários que passam de R$ 7 mil ao mês. Depois disso, seis refugiados que até então, estavam empregados, pediram demissão. Com pagamento atrativo e condições “favoráveis”, já que Dourados é o principal corredor do tráfico da américa latina, os imigrantes que vivem em condições precárias e precisam conseguir dinheiro para trazer o restante da família, se tornam iscas fáceis. 

Segundo as denúncias, além da Pranato, o grupo identificado em Dourados agia em outras duas grandes facções, sendo elas com características de extrema violência. Os membros atuariam em execuções e narcotráfico. Conforme ainda os denunciantes, o fato é preocupante porque pode gerar um aumento nos índices de criminalidade local.

De acordo com os relatos ao O PROGRESSO, o grupo de criminosos ainda não tem um líder, ou o que eles chamam de “Pran”, o chefe da organização. A forma de operar ainda seria de forma tímida em Dourados. Porém o temor é que passem a  fazer como na Venezuela, “tocando o terror”. “Há cidades que registram média de 10 a 15 execuções por semana por essas facções”, disse denunciante que por questões de segurança não será identificado nessa reportagem. 

O grupo atuante em Dourados foi identificado pela própria comunidade Venezuelana que reside no município. As famílias asseguram que a maior parte dos imigrantes é formada por pessoas de bem e que querem recomeçar a vida de forma honesta. A motivação da denúncia é que além de não serem coniventes com a situação, ele temem que por causa dessa quadrilha todo o povo venezuelano, que vive em Dourados passe a sofrer preconceito.

Entrada facilitada e perda de controle

Por ser uma operação de socorro a refugiados que saem do País para sobreviver à crise política, econômica e social do país de origem, a entrada no Brasil é facilitada. Os imigrantes apresentam documento de refúgio, apenas, que solicitam na Polícia Federal para garantir o Visto Temporário de 2 anos. O problema é que o governo brasileiro não estaria chegando os antecedentes criminais das pessoas que entram no País, devido a política humanitária. Muitos nem entram pela Operação Acolhida por rotas alternativas chegando pela Bolívia e Paraguai por exemplo. Já no Brasil eles estão migrando entre os Estados, fazendo com que as autoridades brasileiras não tenham o controle sobre essas pessoas.  A única forma de identificação será daqui dois anos, quando terão que renovar o visto temporário.

Em Boa Vista, Roraima, são recepcionados pela Operação Acolhida do Exército Brasileiro, que auxilia na emissão dos documentos pessoais como o CPF e na interiorização. As quatro primeiras caravanas de refugiados que chegaram em Dourados tinham até emprego garantido.  Depois disso, outros oito grupos que vieram, não tiveram a mesma sorte. Hoje são cerca de 2 mil venezuelanos, muitos vieram por conta própria, sem emprego e passando por dificuldades; a maioria vivendo de bolsa família ou da ajuda de igrejas, segundo relatos que chegaram ao O PROGRESSO.

Desemprego

Recentemente O PROGRESSO apurou que duas situações que precisam ser consideradas. A primeira é que a grande maioria não tem qualificação básica para o mercado de trabalho e quem tem qualificação, como alguns engenheiros que aqui chegaram acabam sendo “explorados” com vencimentos que não chegam a um salário mínimo para sustentar toda a família. Em levantamento a agência da ONU revela que 59% desses refugiados e migrantes estão sem trabalho. Um em cada três tem dificuldade em ter o que comer. 

 

Pranato

Em outubro do ano passado 30 venezuelanos foram detidos sob a suspeita de estarem traficando drogas em Roraima junto ao PCC (Primeiro Comando da Capital). Segundo as investigações, os suspeitos pertencem à maior facção da Venezuela, chamada Pranato, e agiam em Pacaraima, cidade roraimense que faz fronteira com o país vizinho. Conforme reportagem do Uol, o Pranato surgiu dentro do sistema carcerário venezuelano. Fora das prisões, os integrantes da organização criminosa estão ligados ao tráfico de drogas, de armas, extorsões, assassinatos e ao esquema de tráfico de pessoas para imigração ilegal.

“Há relatos de cobrança de valores para auxiliar na travessia da fronteira brasileira, sobretudo no período em que a barreira de ligação entre os dois países foi fechada, entre os meses de abril e maio passados. A facção cobraria até US$ 1.000 (pouco mais de R$ 4.000) para garantir a entrada de venezuelanos no Brasil. Um relatório do OVP (Observatório Prisional da Venezuela) de 2017 revela problemas nas prisões do país: superlotação, deterioração dos prédios, falha na classificação dos presos, falta de serviços vitais básicos e posse e tráfico de armas e drogas pelos presos”, diz trecho da reportagem.

Sejusp

O PROGRESSO procurou a Secretaria de Justiça e Segurança Pública do Estado de Mato Grosso do Sul, que disse não ter informações a respeito da suposta atuação de membros de facção criminosa atuando em Dourados. 

Deixe seu Comentário

Leia Também

POLÍCIA

Pastor tem casa invadida e leva "mata-leão" de ladrão

há 16 minutos atrás
Bandido tenta fugir jogando carro contra policial, mas acaba preso por roubo
CAMPO GRANDE

Bandido tenta fugir jogando carro contra policial, mas acaba preso por roubo

06/04/2020 08:25
Bandido tenta fugir jogando carro contra policial, mas acaba preso por roubo
Homens são mortos a tiros em frente a bar no Jardim Canaã I
DOURADOS

Homens são mortos a tiros em frente a bar no Jardim Canaã I

06/04/2020 07:49
Homens são mortos a tiros em frente a bar no Jardim Canaã I
Homem é assassinado a pauladas e gestante agredida em Dourados
Polícia

Homem é assassinado a pauladas e gestante agredida em Dourados

04/04/2020 21:18
Homem é assassinado a pauladas e gestante agredida em Dourados
TJ revoga soltura “por pandemia” e traficantes terão que voltar a cadeia em MS
Dourados

TJ revoga soltura “por pandemia” e traficantes terão que voltar a cadeia em MS

03/04/2020 20:10
TJ revoga soltura “por pandemia” e traficantes terão que voltar a cadeia em MS
Últimas Notícias