Dourados – MS sexta, 25 de setembro de 2020
Dourados
35º max
19º min
Pe. Crispim Guimarães

Trezentos anos depois

29 Abr 2016 - 06h00
A cidade de Dourados terá a oportunidade de presenciar apresentações "imperdíveis" no "Primeiro Encontro Internacional de Música: Uma ponte entre culturas", de seis a oito de maio.


Reunindo as culturas do Brasil, Paraguai, Hungria, Itália e Espanha, o encontro resgatará parte do repertório cultural realizado nas Missões Jesuítas da América do Sul. Para os apreciadores da cultura musical e teatral e para aqueles que desejam conhecer uma obra prima da presença dos Padres Jesuítas no Brasil, o evento, dividido em várias apresentações, proporcionará, entre outras coisas, a celebração da Missa dos Jesuítas, composta para celebrar com as comunidades indígenas do século XVIII.


A missa será realizada na Catedral de Dourados às 19h, do dia sete de maio. A "Missa de Santo Ignácio, Domenico Zipoli" será celebrada em português e os cantos serão os mesmos cantados naquele século, em Latim, com um coral formado por mais de 100 pessoas. Mais cinco concertos poderão ser apreciados com o Coral Luther King, Côro Cantosospeso, Camerata de Encarnación, Orquestra de Câmara UEMS e o Grupo Arandú junto às Aldeias de Amambai, Bororó e no Teatro Municipal de Dourados.


Uma das muitas justificativas para recebermos e apoiarmos tão valioso Festival é "o crescente conflito entre a aldeia e a cidade, sendo que o evento permitirá que a música possa permear a sensibilidade, o respeito, a compreensão mútua, onde no bom encontro possam fluir novas ideias, novos diálogos, estabelecendo assim uma verdadeira ponte entre culturas".


É incontestável que se promoverá o patrimônio "imaterial incalculável das aldeias, do repertório brasileiro, paraguaio e europeu", oriundo dos povos que marcaram nossa região.


Poucos lugares no Brasil e no mundo terão o privilégio de presenciar momentos como esses. Por tal envergadura cultural é que a Catedral Imaculada Conceição de Dourados abraçou festivamente a ideia. Por isso, fica o agradecimento também à UEMS, ao Secretário de Cultura de Dourados e às inúmeras pessoas e instituições que oportunizarão o local de dormir, transporte, alimentação, etc., para além, da dimensão cultural, o evento já fez surgir a solidariedade de muita gente, mas para que tudo transcorra dentro do previsto, quem desejar ajudar, ainda tem tempo.


Um breve histórico dos grupos que se apresentarão:


Coro Luther King, formado em São Paulo, em novembro de 1970, reúne pessoas de diferentes classes sociais, cores e credos, com o objetivo de expressar a música coral no seu sentido mais amplo e abrangente. Já recebeu vários prêmios, em 2015 recebe a Medalha "São Paulo Apóstolo" da Cúria Metropolitana pelo conjunto de sua obra e pelos serviços prestados à Cultura.


A Associação Cultural Cantosospeso (Canto Suspenso) é composta por vários coros. Fazem parte atualmente da Associação diversos grupos permanentes, entre eles, Cantosopeso, Fabalalavos e Mercoledì, La Fabbrica del Suono.


O Regente de orquestra Martinho Lutero Galati, já se apresentou como regente em importantes teatros da Itália, Alemanha e Suíça. Da região teremos a Orquestra de Câmara UEMS e sua regente Mirian Suzuki e Ismael kaiowa.


A programação consta de uma vasta agenda:


Dia seis: Aldeia Bororó pela manhã; das 15h às 20h - Ensaio Coro e Orquestra Fauré / Zipoli no Teatro Municipal de Dourados.


Dia sete, das 15h às 18h - Ensaio Coro e Orquestra na Catedral Nossa Senhora da Conceição e 19h – Missa com músicas Sacras (Fauré/Zipoli).


Dia oito, das 14h às 18h - Ensaio "I have a dream" no Teatro Municipal de Dourados e 19h - Concerto "I have a dream"’ no mesmo local.


Dia nove, apresentação na Aldeia de Amambai.


A cultura socializa, educa, eleva os espíritos, faz chegar a Deus. Perder tais oportunidades seria deixar de se banhar na história do nosso passado e presente.


Pároco da Catedral de Dourados, MS. e-mail: [email protected]

Deixe seu Comentário