Dourados – MS quarta, 08 de julho de 2020
Dourados
19º max
10º min
Opinião

O nosso Morenão vai despertar!

17 Fev 2016 - 11h02Por Do Progresso
João Carlos Silva

Começou o ano esportivo em nosso Estado com o Campeonato Estadual de Futebol dando largada para mais uma etapa. O torneio teve sua abertura no simpático Estádio Jaques da Luz, nas Moreninhas. Muitos criticam, mas é o que se tem para o momento. O Estádio Pedro Pedrossian está em silêncio há cinco anos. Ninguém se mexe para resolver o problema e a mantenedora UFMS não dá um pio sobre o assunto Morenão.


Ano passado, um grupo ligado ao futebol liderados pelo dedicado e competente cronista esportivo Artur Mário Medeiros Ramalho promoveu um abraço simbólico ao estádio para chamar atenção das autoridades para que reabilitem o palco principal do nosso futebol. Parece que deu certo. Semana passada, fomos surpreendidos pelo jovem deputado federal Elizeu Dionizio (PSDB) que trouxe até Campo Grande engenheiros técnicos do Ministério do Esporte para realizarem uma vistoria em todo o Estádio.


É um parlamentar que se fez presente para o fato e agiu rápido como um desses grandes entusiastas do esporte. Faz láureas também ao presidente da Fundesporte professor Marcelo Miranda que está empenhado para trazer de volta o futebol ao Morenão como também a Promotoria Pública e o Corpo de Bombeiros Militar. Envolvidos também estão os bravos e competentes jornalistas e cronistas esportivos da cidade e do Estado que desejam o quanto antes uma solução para o templo maior do nosso futebol.


No interior do Estado, temos agora a paralisação do Itaporã F.C. que deixou o torneio por falta de recursos e, com isso, o charmoso Estádio Chavinha ficará deserto. Inaugurado pelo então prefeito Aurenô Arnaldo Cordeiro, o Chavinha, juntamente com o estádio de Rio Brilhante e o Douradão, trazem um complexo interessante para a prática do futebol com o barulho presente da torcida e aficionados de toda região.


Lembro aqui o passado com José Elias Moreira e Antonio Cordeiro Neto ex-prefeitos de Dourados e Itaporã que sempre estiveram presentes no apoio ao esporte dando condições para que equipes das suas cidades fizessem o melhor no campeonato. São visionários e estavam antenados com o futuro.


Ao que parece e pelos esforços que estão sendo cuidados, o Morenão voltará ao cenário nacional com glamour que sempre teve. Era preciso que acontecesse o mais breve possível. O concreto armado para a prática do futebol não pode ficar adormecido por tanto tempo. O interior está fazendo sua parte cuidando de seus charmosos estádios para que nunca percam no tempo a bola da história.


Temos também de seguir esses exemplos de dedicação e logística para não ficarmos de braços cruzados olhando o bloco tocando o pandeiro e ir passando sem estarmos com o apito na boca. Na verdade, o futebol agrega. Aqui em Campo Grande os grandes jogos traziam uma série de benefícios para o comércio em volta do estádio como também na cidade. Público magno digno dos grandes embates ainda sonha em voltar estremecer arquibancadas do Estádio Pedro Pedrossian. O futebol agradece. Je suis Morenão !!!


Articulista e consultor. e-mail: [email protected]

Deixe seu Comentário