Dourados – MS segunda, 21 de setembro de 2020
Dourados
26º max
15º min
Opinião

Dom Redovino Rizzardo

18 Dez 2015 - 07h00
Antonio Carlos Siufi Hindo


Da Grécia antiga temos o mais precioso legado que um povo milenar pode deixar para os seus vindouros transubstanciado na gratidão aos homens que construíram a pátria. Era dessa forma que os gregos ofereciam as mais belas solenidades para se consagrar os méritos, elogiar os valores e glorificar as virtudes dos homens que construíram a sua solidez moral.


Nesse diapasão quero expressar os meus sentimentos por ter vivido esse momento de raro esplendor em uma solenidade em que a valorosa classe política de Ponta Porã conferiu ao bispo Dom Redovino Rizzardo a sua mais alta condecoração, o título de Cidadão Pontaporanense.


A cidade fronteiriça de tantas tradições, de histórias lindas escritas pelos seus filhos e pelos seus heróis, de homens e mulheres que são tementes a Deus e sabem servir o seu semelhante, foi grande o suficiente para receber em suas entranhas, a rica personalidade de Redovino Rizzardo. Alias, foi ela, a primeira cidade da sua extensa Diocese, à época, a lhe conferir tão honroso título.


Redovino de posse de sua nova certidão de nascimento passou a ser um pontaporanense da melhor estirpe e se enfileirou elegantemente ao lado de outros tantos homens como Ponciano de Matos, Pedro Manvailler, Weimar Gonçalves Torres, João Portela Freire, Rachid Saldanha Derzi ,Feiz Hussein Aidar, Juvenal Fróes, Carlito Ronccatti e outros tantos nomes ilustres que ao longo das suas existências construíram a grandeza material e espiritual da valorosa cidade fronteiriça.


O agraciado não pode estar presente na solenidade que lhe conferiu a honraria, mas enviou uma missiva considerada uma verdadeira obra de arte literária e que está inserida nos anais da Câmara Municipal de Ponta Porã agradecendo o título. A carta foi lida pelo então chefe de gabinete da presidência da Câmara, prof. Nivalcir de Almeida, atualmente, presidente da Academia Pontaporanense de Letras.


Dom Redovino não recebeu a honraria por ter construído fábrica, incentivado a indústria, oferecido empregos àquela gente ou mesmo por ter exercido importantes profissões de natureza técnica ou científica. Nada disso. Recebeu a honraria pela mansidão do seu espírito, pela suavidade das suas mensagens, pela bússola que sempre foi para dirigir no caminho da honradez e da dignidade,os seus fiéis. Essas características, que tão bem definem o seu caráter e moldam a sua personalidade são as mesmas que nos faz enxergar na sua pessoa o homem digno pelas suas ações, estimado pelas suas virtudes, querido pela sua nobreza de sentimentos, sobretudo de uma vida inteiramente dedicada a Deus.


De parabéns, não pode estar apenas o povo e as autoridades constituídas de Ponta Porã. Penso fortemente que essa alegria de valor inestimável precisa ser compartilhada por todas as pessoas que sabem valorizar as ações humanas e que resultam encharcadas do propósito sempre voltado para animar com suas palavras, seus exemplos de vida, sua generosidade de sentimentos os mais fragilizados pela vida a encontrar o seu destino, o seu rumo para se consolidar como verdadeiros cidadãos, e também homens de Deus. Saúde e vida longa para Redovino Rizzardo é o desejo sincero de todos os fiéis da sua Diocese.

Promotor de Justiça aposentado. e-mail: [email protected]

Deixe seu Comentário