Dourados – MS sábado, 26 de setembro de 2020
Dourados
38º max
21º min
Benê Cantelli

Dia a dia, os valores vão sendo outros

09 Mai 2016 - 06h00
Sem querer ser, ou mesmo, taxado de saudosista, quero dizer que, ao menos, permitam-me discorrer sobre este assunto. Os tempos, na verdade, são outros e, muitos valores perderam seu quilate, eis a verdade. Diria que, as pessoas que um dia sentiram o verdadeiro valor e sabor daquilo que tem valor objetivo, sabem perfeitamente, do que estamos falando.


O grande prejuízo é perceber que na relatividade do tempo, os valores chamados de subjetivos, vão se incorporando ao coração e mente das pessoas e, vão sendo considerados normais.


Tenho percebido, pelo andar da carruagem que, tudo aquilo que demanda custos ou dificuldade para se crer como maior valor, o tempo vai desgastando e trocando por outros de somenos importância. Claro que, tais valores surgiram como tais, em épocas mais poéticas, com pessoas de pensamentos líricos e, em nada se parecendo com aqueles que apenas dão valor, dependendo da incidência financeira de cada um. Hoje começa-se a dar valor ao TER e não ao SER. Isso pode ser desastroso.


Natal, sinônimo de Papai Noel; Páscoa, sem chocolate ou ovos de chocolate, não tem o mesmo sentido. Dia 22 de abril, não sendo feriado, deixou de ser lembrado como o dia em que os portugueses descobriram o Brasil. Tiradentes é comemorado com feriado, mesmo sabendo que jamais alguém, enforcado no Rio de Janeiro, poderia ser esquartejado, sangrando, em Vila Rica, atual Ouro Preto, em Minas Gerais.


A educação familiar, não consegue fazer valer, a reverência que se deve dar aos idosos, no acento de um ônibus ou mesmo em lugares comuns. O cumprimento em forma de saudação, tão comum e familiar, em tempos passados, hoje é simplório e desnecessário. Isso não faz bem a uma sociedade humanizante. Isso é péssimo e, pior, quando vemos pequenos filhos gritando contra seus pais.
Ontem, comemoramos o DIA DAS MÃES.


Muito já foi escrito sobre o dia dedicado, exclusivamente, às mães; contudo, pouco se aproveita e pouco revela sobre o imenso valor que tem uma MÃE. Talvez, nunca tanto foi escrito sobre uma data comemorativa como esta. Nada no entanto, que tenha conseguido atingir o significado divino que tem uma MAE.


Jesus não teve um pai aqui na terra, mas, não dispensou o fato de ter uma mãe. Na verdade ele sabia que o amor de uma MAE é como o amor de Deus; Ele nos ama não porque somos amáveis, mas porque amor faz parte de sua essência e, porque somos seus filhos. Mãe significa devoção completa, sacrifício ilimitado e amor que ultrapassa todo entendimento. E assim podemos dizer que dentre todos os direitos da mulher o maior deles é o de ser MÃE.


A relação umbilical de um filho com sua mãe é infinitamente maior do que qualquer outro tipo de relação. Contudo, a sociedade, de alguma forma, vem deixando perder o verdadeiro valor que esta relação merece.


Até o comércio vem sentindo essa falta especial de carinho pelas mães. Era um dia esperado e comemorado. Aos poucos, o tempo e as circunstâncias vão apagando o esplendor e motivação. Às vezes, acontece o pior: Quando se quer trocar o fogão ou a geladeira "da casa", inventa-se, isso, como presente das mães.


Posso dizer, finalizando e sem medo de errar, que: O único amor que se assemelha ao amor de Deus, por nós, é o Amor de Mãe.


Sempre é tempo, enquanto vivas, de demonstrarmos a nossas MÃES o infinito amor que devotamos a elas. Aliás, vem do Papa Francisco, esta frase: "Não existe mãe solteira, existe MAE".
Em nome de Maria, pedimos as bênçãos a todas as MÃES.


Professor e Campista. e-mail: [email protected]

Deixe seu Comentário