Dourados – MS sexta, 07 de agosto de 2020
Dourados
31º max
15º min
Campanha Parcelamento Conta
João Carlos Silva

Conselho do empreendedor

20 Mai 2016 - 06h00Por Débora Zampier
Numa economia sufocada por diversas situações contrárias por conta da desenfreada corrupção o empreendedor brasileiro faz o dever de casa sem reclamar do dia seguinte. O agronegócio segura a proteção das finanças nacionais como também elenca fatores de alto positivismo mesmo tendo taxas absurdas de impostos para pagar. O governo Michel Temer finalizou a equipe que vai comandar a economia com nomes respeitados no mercado nacional e internacional. Foi a marca Meirelles que falou mais alto.


Era ele que Lula insistia para que a teimosia de Dilma não superasse o momento de crise que o Brasil atravessa. Ela não deu nem tchum e o resultado todos sabem como foi. Essa injeção de animo no mercado nacional possibilita também algumas ações que avançam nos estados para preservar o comércio, a indústria e o campo. No nosso Mato Grosso do Sul o governador Reinaldo Azambuja sabe que o agronegócio é a grande alavanca para o desenvolvimento.


O campo deixa a cada ano uma soma significativa na receita estadual possibilitando importantes projetos de investimentos. Na nossa seara foi possivel acompanhar dia desses uma ação de empreendedorismo digna daqueles que não esmorecem diante de uma crise. A Federação das Associações Empresarias do Estado (FAEMS) lançou um projeto de 1 milhão em premiação para suas filiadas em todo o estado. Virou suas costas para a crise e vai dar trabalho para muitos. É a soma do emprendedor mais a capacidade de ação nos negócios do comércio.


Soma-se nisso o segmento do turismo que a cada dia vislumbra novos cenários aqui e lá fora. A Faems está correta quando sua diretoria investe no comércio com promoções que causam impacto positivo nas contas. E em soma de resultados seu Presidente Alfredo Zamlutti Junior conhece bem.


É um empreendedor que carrega o MS por onde anda incluindo nessa esfera a pecuária de genética avançadissima no nelore que é um reflexo até mundial. Li tudo isso num memorial recente onde era mostrado o crescimento (mesmo em crise) dos números no comércio diante de promoções para atrair o consumidor. Essas movimentações todas motivam também o empresário em mostrar seu rosto para a população e também colocar seu nome para futuras disputas eleitorais.


O empresário não pode se calar e deixar acontecer. Se ele assim o fizer a politica será dominada por gente sem qualificação e ele não pode reclamar pois se recolheu quando era preciso sair para a luta. Em todo o estado de Mato Grosso do Sul já se observa uma frequente movimentação da classe empresarial para elencar quem ligado ao setor poderá ser candidato nessas eleições. Em Campo Grande não é diferente e alguns nomes já começam fazer parte do cotidiano dos plantonistas políticos de ocasião.


Numa reunião dias atrás surgiu o nome de Claudio Mendonça Superintendente do Sebrae que é filiado ao PR para compor como vice a chapa da Professora Rose Modesto candidata tucana ao cargo de Prefeita Municipal da cidade. É um jovem empreendedor com curriculum exemplar e com grandes projetos em mente e que muito bem poderia auxiliar uma gestão para que essa realize um trabalho brilhante para nossa capital. Não é mais um no contexto. É uma novidade no cenário eleitoral. A política precisa de oxigenação de bons nomes sem aquela mácula de serem os mesmos de quatro em quatro anos. Falar que o cenário está cada vez pior não resolve.


O importante é entrar em cena e chamar para si a responsabilidade do jogo. O empreendedorismo tem a marca do crescimento e da vontade de trabalhar para vencer sempre. Nos paises de Primeiro Mundo o cenário está recheado de gente que carrega a marca do empresariado e dos negócios como meta de desenvolvimento para sua gente. Olharmos sómente para que o campo produz não basta. É preciso olhar em quem faz com que a produção seja vertente de desenvolvimento numa nação como a nossa.


O agronegócio e o empreendedorismo caminham juntos e falam a mesma linguagem quando precisam estar nas mesa das grandes decisões. Caso os empreendedores coloquem seus nomes nas eleições que estáo chegando e em todas outras com certeza teremos uma melhor qualidade na classe política sem corrermos o risco de colocarmos os mesmos nos cargos em disputa. Quem reflete tudo isso nas suas considerações que faz por todo o estado é o Presidente da Faems. É só ler suas opiniões em toda imprensa para verificarmos que ele não está falando para as paredes. Todos nós sabemos que paredes tem ouvidos.


Articulista e consultor. e-mail: [email protected]

Deixe seu Comentário