Dourados – MS sexta, 03 de julho de 2020
Dourados
20º max
min
Dia-a-Dia

Sesi oferece aulas grátis de robótica em 37 cidades do MS

28 Jan 2016 - 09h37
Robótica incentiva a pesquisa,  exercita habilidades motoras e estimula a criatividade. - Crédito: Foto: AssessoriaRobótica incentiva a pesquisa, exercita habilidades motoras e estimula a criatividade. - Crédito: Foto: Assessoria
As bibliotecas da Indústria do Conhecimento do Sesi em 37 cidades de Mato Grosso do Sul disponibilizaram aulas gratuitas de robótica para 2.834 crianças com a metodologia Lego, no ano passado.


O sucesso da iniciativa motivou o Sesi oferecer, a partir deste mês de janeiro, mais 4.680 vagas distribuídas pelas 41 unidades instaladas no Estado, totalizando 120 vagas por biblioteca.


Para que a matrícula ou rematrícula seja efetuada, os pais devem procurar a Biblioteca Indústria do Conhecimento do Sesi nos municípios de Campo Grande (3), Três Lagoas (2), Dourados (2), Corumbá, São Gabriel do Oeste, Sidrolândia, Aquidauana, Ponta Porã, Ribas do Rio Pardo, Rio Verde, Naviraí, Nova Andradina, Costa Rica, Iguatemi, Bataguassu, Rio Brilhante, Maracaju, Inocência, Paranaíba, Chapadão do Sul, Amambai, Sete Quedas, Aral Moreira, Aparecida do Taboado, Água Clara, Terenos, Cassilândia, Porto Murtinho, Coxim, Brasilândia, Caracol, Nioaque, Bela Vista, Sonora, Antônio João, Coronel Sapucaia e Ladário.


Segundo a gerente de educação do Sesi, Simone Cruz, os programas extracurriculares possibilitam às crianças a construção e programação de robôs elaborados com a metodologia Lego Zoom Education. “(...) incentivam a pesquisa, promovem o trabalho em equipe, exercitam as habilidades motoras, estimulam a criatividade, exploram conceitos robóticos, científicos e tecnológicos. Essa é uma oportunidade de desenvolver o saber além do conhecimento conceitual, trabalhando atitudes e habilidades”, pontuou.


Para participar do projeto é necessário que a criança tenha entre 7 e 11 anos de idade, esteja matriculada na rede pública de ensino, tenha atitude colaborativa, comprometimento e boa participação.


Além disso, é preciso ter assiduidade – só são permitidas duas faltas com justificativa -, zelar pelo material disponibilizado e ter atitude de respeito e civilidade com os colegas e instrutores.


Para as crianças que participam do trabalho, a experiência provocou grande transformação. “O Lego mudou muito minha vida, pois desenvolveu muito mais minha mente, e eu fiquei mais inteligente”, declarou o aluno Leandro Augusto Rodrigues, 10 anos, que mora em Amambai.


Para os pais, os resultados também são visíveis. “Com o trabalho meu filho desenvolveu bastante na criatividade, melhorou na escola, principalmente na matemática”, pontuou Jaqueline Cardoso da Silva Oliveira, que mora em Coxim.

Deixe seu Comentário