Dourados – MS sexta, 30 de julho de 2021
Dourados
18º max
min
Rural

Saiba mais sobre o vazio sanitário da soja e calendário de semeadura em MS

13 Jul 2021 - 10h00Por Governo do Estado
Saiba mais sobre o vazio sanitário da soja e calendário de semeadura em MS -

Vazio Sanitário da Soja é o período em que é proibido manter nas lavouras plantas vivas de soja. Para respeitar o vazio sanitário, após a colheita da soja, o produtor precisa destruir as plantas por meio da aplicação de produtos químicos ou com métodos físicos.

Em Mato Grosso do Sul, o vazio sanitário da soja teve início oficialmente no dia 15 de junho. No período de 90 dias fica proibido o cultivo do grão, sob risco de penalidades.

A campanha realizada pelo Governo do Estado, através da Secretaria de Estado de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar (Semagro) e a Agência Estadual de Defesa Sanitária Animal e Vegetal (Iagro), tem a parceria da Associação dos Produtores de Soja de MS (Aprosoja/MS) e Federação da Agricultura e Pecuária de Mato Grosso do Sul (Famasul).

O período de plantio da oleaginosa no Estado acontece entre os dias 16 de setembro a 31 de dezembro e o cadastro de área plantada é obrigatório, devendo ser realizado no site do Iagro (www.servicos.iagro.ms.gov.br/plantio) no período entre 1º de setembro e 10 de janeiro ou até mesmo fora dele.

O vazio sanitário é crucial para evitar a expansão de focos de ferrugem asiática nas lavouras, sendo a doença de maior expressão da cultura da soja.

Vazio sanitário e calendarização da semeadura da soja

O vazio sanitário e a calendarização da semeadura da soja são estratégias para o manejo da ferrugem-asiática da soja, mas essas medidas têm objetivos bem diferentes. O vazio sanitário é o período de, no mínimo, 90 dias sem a cultura e plantas voluntárias no campo. O objetivo do vazio sanitário é reduzir a sobrevivência do fungo causador da ferrugem-asiática durante a entressafra e assim atrasar a ocorrência da doença na safra. No Brasil, treze estados e o Distrito Federal adotaram essa medida, estabelecida por meio de normativas.  E, além do Brasil, o Paraguai também estabeleceu o período de vazio sanitário, lá chamado de "pausa fitossanitária".

O fungo que causa a ferrugem-asiática é biotrófico, o que significa que precisa de hospedeiro vivo para se desenvolver e multiplicar. Ao eliminarmos as plantas de soja na entressafra "quebramos" o ciclo do fungo, reduzindo assim a quantidade de esporos presentes no ambiente.

A calendarização da semeadura da soja é a determinação de data-limite para semear a soja na safra. Essa medida foi estabelecida também por normativas estaduais, mas por sete estados produtores de soja, até o momento: Goiás, Mato Grosso, Santa Catarina, Tocantins, Bahia e Mato Grosso do Sul. O objetivo da calendarização é reduzir o número de aplicações de fungicidas ao longo da safra e com isso reduzir a pressão de seleção de resistência do fungo aos fungicidas. Populações menos sensíveis a fungicidas inibidores da desmetilação (IDM ou "triazóis"), inibidores de quinona externa (IQe ou "estrobilurinas") e inibidores da succinato desidrogenase (ISDH ou "carboxamidas") já foram observadas no campo.

Semeaduras tardias de soja podem receber inóculo [esporos ("sementes") do fungo] já nos estádios vegetativos, exigindo a antecipação da aplicação de fungicida e demandando maior número de aplicações. Quanto maior o número de aplicações, maior a exposição dos fungicidas e maior a chance de acelerar o processo de seleção de populações resistentes a esses fungicidas.

É provável que haja mudanças nos períodos do vazio sanitário e da calendarização da semeadura da soja, em alguns estados, em função da portaria nº 306, de 13 de maios de 2021.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Rural

Bom sistema imunológico e padronização na biossegurança elevam produtividade na piscicultura

28/07/2021 14:00
Mato Grosso do Sul lidera ranking de exportações de tilápia no 1º semestre de 2021
Rural

Mato Grosso do Sul lidera ranking de exportações de tilápia no 1º semestre de 2021

26/07/2021 13:00
Mato Grosso do Sul lidera ranking de exportações de tilápia no 1º semestre de 2021
Estiagem e geada causam 50% de perda nas lavouras de milho em Dourados
IMPRESSO

Estiagem e geada causam 50% de perda nas lavouras de milho em Dourados

25/07/2021 07:00
Estiagem e geada causam 50% de perda nas lavouras de milho em Dourados
Rural

Com informação, orçamento familiar tem melhora de até 70% na rentabilidade

20/07/2021 16:00
Produção de Mudas de Seringueira é tema de capacitação gratuita do Senar/MS
Rural

Produção de Mudas de Seringueira é tema de capacitação gratuita do Senar/MS

14/07/2021 17:00
Produção de Mudas de Seringueira é tema de capacitação gratuita do Senar/MS
Últimas Notícias