Dourados – MS terça, 14 de julho de 2020
Dourados
25º max
17º min
Respeito à Vida/ALMS (Ramal)
Dia-a-Dia

Rio sobe 6,4 metros, inunda casas e rodovias

01 Mar 2016 - 06h00
Rio Dourados transbordou, invadiu pista e alagou casas na Vila dos Navegantes em Fátima do Sul. - Crédito: Foto: Hedio FazanRio Dourados transbordou, invadiu pista e alagou casas na Vila dos Navegantes em Fátima do Sul. - Crédito: Foto: Hedio Fazan
A forte chuva na região sul do Estado tem feito rios transbordarem. Fátima do Sul é a cidade mais castigada. Pelo menos 40 residências foram atingidas pelo Rio Dourados. Na madrugada de ontem, a água cruzou a rodovia MS 376, invadiu casas e locais, antes destinados a pasto, viraram uma extensão do rio.


Em dezembro o município já havia sido atingido pela cheia do rio. Desta vez foi mais intensa e, se as chuvas continuarem, a ponte sobre o rio pode ser tomada pela água. “Há essa possibilidade e estamos em sinal de alerta”, diz o secretário de obras Luis Carlos Martins.


O bairro mais atingido é a Vila dos Navegantes, entrada da cidade, onde muita gente que mora no local é parente. Muitos resistem deixar as casas. “Estamos dando toda a assistência, mas tem gente que insiste permanecer”, relata o secretário.


A família de Paulo Ramão, 43 anos, mora na entrada da cidade. Ele conta que não dormiu na madrugada temendo que a água do rio invadisse as casas. “Eram por volta das 3 horas, quando a água invadiu a pista e em minutos tomou o meu quintal e dos demais vizinhos”, conta ele, que em dezembro lacrou a porta da frente e criou barreiras para evitar inundação na casa.


Agora a água do rio adentra pelo portão, passa entre a casa e forma um gigante açude num local antes destinado a pasto. “Tem mais de três metros de profundidade”, acredita.


A cheia do Rio Dourados é uma atração na cidade, tanto para moradores como os que passam por Fátima do Sul. É maior cheia da história.


Para o secretário Luis Carlos, é necessário a construção de um sistema de canalização de água de um lado da MS-376 para o outro.


“O rio, do lado direito para quem chega na cidade, transborda e acumula. Conforme vai transbordando essa água encobre a pista e invade demais casas. Se tiver essa vazão o problema será muito amenizado”, propõe o secretário. Ele não estima o valor da obra, mas a prefeitura mantém contato com o governo do estado para conseguir verba.

Abastecimento


A cheia do Rio Dourados também invadiu parte da pista na BR-163, entre Dourados e Caarapó. A empresa que administra a rodovia, CCR MSVia, chegou a interditar parte da pista desde domingo. Mas o maior problema com a cheia do rio é o desabastecimento de água nas cidades de Dourados e Fátima do Sul.


Segundo a Sanesul, empresa responsável pelo abastecimento de água no Estado, o Rio Dourados subiu 6,4 metros, o maior nível nas últimas décadas.


A central de captação de água fica próxima ao rio e, com a cheia de dezembro, foram construídas barreiras de contenção e, por enquanto, não há risco de falta de água. Porém, se as chuvas continuarem, conforme prevê o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), a situação pode se agravar. Na região da grande Dourados deve chover até quinta-feira.

Deixe seu Comentário