Dourados – MS sexta, 04 de dezembro de 2020
Dourados
30º max
21º min
Imaculada-Desk
Imaculada-Mobile
Dia-a-Dia

Professores rejeitam índice salarial

26 Abr 2011 - 22h09
Professores lotam auditorio do Simted para discutir proposta do município - Crédito: Foto: Hédio Fazan/PROGRESSOProfessores lotam auditorio do Simted para discutir proposta do município - Crédito: Foto: Hédio Fazan/PROGRESSO
DOURADOS – Professores da rede municipal de ensino de Dourados rejeitaram ontem a proposta de reposição salarial da Prefeitura. Mais de 300 professores compareceram à assembleia realizada na sede do Sindicato Municipal dos Trabalhadores em Educação (Simted).

A prefeitura propôs a reposição de 5% na regência (professores em sala de aula). Sobre o salário base, os professores ficariam com 6,2%, tendo em vista que o índice linear a todos os funcionários públicos foi aprovado pela Câmara de Vereadores.

Quanto a equiparação do salário dos professores municipais com os do Estado, a prefeitura propôs uma reposição de forma parcelada, ou seja, a reposição seria de 5% ao ano. A categoria diz que esta com o salário defasado em 30% em relação aos professores da rede estadual. A categoria preferiu continuar as negociações com a prefeitura porque acredita que essa reposição em seis anos seria muito lenta. Segundo o Simted novas reuniões serão marcadas com a equipe de negociação da prefeitura. Ontem o município publicou em Diário Oficial a reposição de 6,20% linear a todos os funcionários públicos a partir de 1º de abril.

#####ESTADO

Os professores realizam na tarde de ontem uma assembleia na sede do Simted para debater imposição, por parte da Secreta-ria Estadual de Educação do Governo, sobre o planejamento quinzenal, que obriga todos os professores do Estado apresentarem pelo menos duas vezes por mês um planejamento de atividades a serem realizados por eles. A medida tem causado descontentamento entre os educadores que estão preocupados com uma possível sobrecarga de funções e trabalhos.

Durante a assembleia os professores decidiram tirar uma comissão para fazer um documento para ser entregue ao governo. A categoria considera inviável a imposição do governo para entregar o planejamento a cada 15 dias, tendo em vista muitos professores tem mais de uma turma.

Deixe seu Comentário