Dourados – MS domingo, 09 de agosto de 2020
Dourados
32º max
15º min
Segurança e Saúde JBS
Entrevista

Professor Rogério revela emoção de conduzir a tocha olímpica

23 Mai 2016 - 06h00Por Do Progresso
Entrevista com Rogério Montes - Professor de educação física. - Crédito: Foto: Hédio FazanEntrevista com Rogério Montes - Professor de educação física. - Crédito: Foto: Hédio Fazan
O professor de educação física da Unigran, Rogério Montes, foi escolhido pela Nissan para conduzir a tocha olímpica que passará por Dourados no próximo dia 26 de junho. Ele está entre as 77 personalidades douradenses a carregar a tocha olímpica. Rogério é um dos idealizadores do grupo "Ginasloucos", uma mistura de esporte com ousadia e espetáculo.


O Ginasloucos já fez mais de 1.400 apresentações em mais de 400 municípios do Brasil. Em Mato Grosso do Sul o grupo já se apresentou de Norte a Sul em quase todas as cidades. Nesta entrevista ele fala da emoção em representar Dourados com o Ginasloucos e de receber a tocha olímpica da cidade que ele escolheu para viver há cerca de vinte anos.

O que significa para você conduzir esta tocha?


"Este ano eu completo trinta anos de profissão como professor de educação física e eu acho que não tem presente melhor do que ser um dos condutores da tocha olímpica e quando fui convidado a conduzir a tocha olímpica custou acreditar".

Por quem você foi escolhido?


"Eu fui escolhido pela Nissan e a Nissan me procurou no mês de junho do ano passado indicando uma agência de propaganda para pesquisar quem tinha capacidade de conduzir a tocha olímpica e todas as buscas que fizeram com relação a Dourados, ao esporte e ao ginasloucos levavam também ao nome de minha pessoa como organizador e criador do ginasloucos".

O grupo Ginasloucos começou de que forma?


"O Ginasloucos tem dois terços do tempo que eu tenho de profissão. Completou vinte anos em setembro do ano passado e eu morava em Campo Grande. Vim para Dourados a convite do Murilo para ajudar a cidade crescer e aparecer no cenário nacional. Na abertura da 2a Oligran, em 1995, com os alunos da faculdade de Educação Física da Unigran fizemos uma atividade de entretenimento e isso expandiu assim rapidamente e em menos de dois anos estávamos nos jogos do interior de São Paulo, final de Campeonato Paulista entre Assis e Presidente Prudente, já nos apresentamos em muitos programas de TV, em nível nacional, Faustão, Silvio Santos, Renato Aragão, sem falar que já viajamos vários estados e mais o Distrito Federal, de Fortaleza até Porto Alegre, Santa Catarina, São Paulo, conseguimos deixar nossa marca registrada nestas cidades".

Sempre representando Dourados por onde andam?


"Sempre representando Dourados e representando de maneira positiva com um esporte alegre, esporte não competitivo, enquanto tiver jogo das estrelas, nós do ginasloucos estaremos presentes, já temos cinco edições dos jogos das estrelas da Liga Nacional do Basquete Brasileiro".


Como foi que recebeu a notícia de que conduziria a tocha olímpica?


"Foi até engraçado sabe por que? Quando me ligou a produtora de eventos para avisar que eu havia sido escolhido olhei para o telefone e ao ver que o código era 011 imaginei que fosse telefone de cadeia, e quando ela falou que eu fui indicado para conduzir a tocha eu não acreditei muito não, no começo eu fiquei séptico, mas depois com o tempo eu fui vendo que realmente o negócio era sério e aí com o tempo fomos trocando informações, mensagens, emails e um dia ela me ligou e falou no dia 13 de setembro nós vamos estar em sua casa para gravar aquele vídeo da Nissan que está no youtube".

Relate um pouco de sua história?


"Sou nascido em uma cidade no interior de Goiás chamada: Mineiros de Goiás, eu vim para Campo Grande com seis anos de idade, meu pai veio para a gente estudar, a gente era pequeno, viemos para Campo Grande, ele formou cinco filhos, nós somos três professores de educação física, um engenheiro e um doutor em medicina, e eu fui abençoado em poder vir para Dourados há cerca de vinte e um anos e hoje eu falo que sou sangue douradense porque em Dourados criei meus filhos, bebi da água do Rio Dourados, pesquei, nadei".

A emoção de ser escolhido sempre vem?


"Não tem uma vez que eu não falo disso que eu não me emociono. No dia da gravação do vídeo, quando caiu realmente a ficha, que me falaram vc é o condutor, a gente se emociona sempre porque imagina vc, trinta anos de formado ter a oportunidade de conduzir a tocha olímpica, isso é para deixar qualquer profissional que atua na área, muito emocionado, ficamos sem palavras, aí ficamos mais sem palavras ainda quando vem um convite para participar de um entretenimento lá na olimpíada, do dia 5 a 23 de agosto, se Deus quiser nós vamos estar lá".

Assim como você tem muita gente vivendo esta expectativa?


"Hoje é o Brasil inteiro vivendo esta expectativa, principalmente quem atua na área. Em tenho colegas que já estão procurando local para ficar no Rio de Janeiro, tem outros que fizeram inscrição para atuar como voluntário, todo mundo está engajado neste evento, nós passamos por uma crise financeira do nosso País, mas nós não sabemos quando teremos outra oportunidade de ter uma olimpíada dentro de nossa casa, isso é que eu sinto".

Você se sente gratificado pelo êxito dos Ginasloucos?


"Eu agradeço e agradeço mais ainda aqueles que desde o primeiro Ginasloucos botaram fé neste grupo e disseram: esses tem futuro, obrigado, do fundo do meu coração obrigado a todos os integrantes atuais e aqueles que já passaram, do fundo do meu coração".

Deixe seu Comentário