Dourados – MS quarta, 25 de novembro de 2020
Dourados
35º max
21º min
Influx
Imaculada-Mobile
Dia-a-Dia

Prefeituras recebem R$ 21,9 mi com arrecadação de pedágio

28 Dez 2015 - 09h31
A cobrança de pedágio contribui para a arrecadação ISSQN às Prefeituras. - Crédito: Foto: Rachid WaquedA cobrança de pedágio contribui para a arrecadação ISSQN às Prefeituras. - Crédito: Foto: Rachid Waqued
A CCR MSVia está fechando o ano de 2015 com arrecadação recorde às prefeituras de cidades servidas pela BR-163/MS: R$ 21,9 milhões. O valor é referente ao recolhimento aos cofres públicos municipais do ISSQN (Imposto Sobre Serviços de Qualquer Natureza) sobre a realização de obras e arrecadação de pedágio.


Segundo dados da Gestão Administrativo-Financeira da Concessionária, se somados os valores recolhidos este ano com os valores do ano passado (sobre obras realizadas entre abril e dezembro de 2014), a empresa já contribuiu com o desenvolvimento municipal na ordem de R$ 25,4 milhões (R$ 21,9 milhões em 2015 e R$ 3,5 milhões em 2014).


Em 2015, a arrecadação foi muito superior à de 2014 não só em função do maior volume de obras, mas, também, em razão do início de funcionamento das nove praças de pedágio, em meados de setembro. A CCR MSVia calcula que, a partir de 2016, deva arrecadar anualmente cerca de R$ 30 milhões aos municípios em ISSQN sobre obras e pedágios.


Com 845,4 quilômetros de extensão, a BR-163/MS liga longitudinalmente o Estado de Mato Grosso do Sul, indo da divisa com o Paraná, ao Sul (cidade de Mundo Novo), à divisa do Mato Grosso, ao Norte, (cidade de Sonora). Ao todo, a rodovia serve diretamente a 21 municípios, entre eles a Capital, Campo Grande.


Campanha


A CCR MSVia intensificou sua campanha de conscientização dos motoristas sobre os riscos de dirigir veículos sob o efeito de bebidas alcoólicas. A empresa está distribuindo 20 mil folhetos em pontos estratégicos da BR-163/MS com a recomendação para que os usuários não consumam bebidas alcoólicas se forem dirigir.


A campanha é realizada em conjunto com a Polícia Rodoviária Federal, PRF, em toda a extensão da rodovia. Segundo Keller Rodrigues, um dos maiores desafios operacionais em vias públicas no período de Festas é lidar com os motoristas que se esquecem de sua responsabilidade e consomem bebidas alcoólicas nos festejos de Natal e Réveillon e depois dirigem.


“Ainda existe quem pense que supostos bons motoristas não sofrem os efeitos da ingestão de álcool, o que é um grande equívoco”, diz Keller Rodrigues, gestor de Interação com o Cliente da CCR MSVia. “Qualquer dosagem alcoólica no sangue provoca alterações na capacidade de dirigir e na velocidade dos reflexos dos motoristas”.


No folheto que está sendo distribuído pela CCR MSVia, é feita a seguinte pergunta: “Você sabia que a maioria dos acidentes fatais nas rodovias brasileiras têm como causa o uso de álcool pelos motoristas?”. E o próprio folheto sugere: “Se for o caso, escolha alternativas inteligentes; entregue o carro a uma pessoa habilitada que não tenha ingerido álcool; deixe seu veículo no local e chame um táxi”.

Deixe seu Comentário