Dourados – MS sábado, 19 de setembro de 2020
Dourados
29º max
19º min
Dia-a-Dia

MPF e PF de dourados ignoram denúncias de manipulação em invasões indígenas

17 Mar 2016 - 06h00
Lideranças indígenas denunciam presença de famílias de outras localidades em invasões. - Crédito: Foto: Marcos RibeiroLideranças indígenas denunciam presença de famílias de outras localidades em invasões. - Crédito: Foto: Marcos Ribeiro
O Ministério Público Federal (MPF) e a Polícia Federal (PF) ainda não instauraram nenhum procedimento para investigar as denúncias feitas pelo cacique guarani Renato Machado e pelo vereador indígena Aguilera de Souza sobre a presença de índios de outros municípiois e até de outras etnias nas invasões de propriedades em áreas urbanas de Dourados. As denúncias foram publicadas em destaque por O PROGRESSO e repercutiram em todo o Mato Grosso do Sul, a ponto de a Assembleia Legislativa ter decidido convocar o cacique Renato Machado para depor na Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) que investiga a atuação do Conselho Missionário Indigenista (Cimi) nas invasões de áreas no Estado.


A reportagem tentou ouvir o procurador da República em Dourados, Marco Antônio Delfino, mas o integrante do Ministério Público Federal não atendeu as ligações. A assessoria do MPF recebeu o questionamento sobre a abertura de algum procedimento para investigar as denúncias feitas pelas lideranças indígenas através de O PROGRESSO. A resposta, por telefone, foi a seguinte: o Ministério Público Federal não recebeu qualquer denúncia formal por parte de nenhuma liderança indígena e a simples fala do vereador Aguilera na tribuna da Câmara não justifica a abertura de processo investigatório. A assessoria do MPF deixou claro que qualquer investigação seria aberta somente diante da formalização da denúncia perante o órgão em Dourados.


A Delegacia Regional da Polícia Federal (PF) também não instaurou nenhum inquérito para investigar a presença de índios de outras regiões nas invasões em Dourados e, tampouco, a procedência da denúncia feita pelo cacique Renato Machado sobre a manipulação de ONGs e presença de professores e servidores públicos nas ocupações de propriedades urbanas nas imediações da Reserva Indígena.


Um dos delegados federais que atendeu a reportagem, explicou que a Polícia Federal está registrando os Boletins de Ocorrência em casos de ocupação de propriedades particulares e disse que não existe nenhum inquérito em andamento para investigar a presença de ONGs ou índios de outras localidades nas ações em Dourados.


Na tribuna da Câmara Municipal, o vereador Aguilera de Souza cobrou investigação da Polícia Federal (PF) sobre a presença de famílias indígenas de outros municípios e até de outras etnias nas ocupações de áreas particulares em Dourados. "A Polícia Federal precisa investigar isso, porque essas pessoas vem de outras localidades e acaba passando para a sociedade a impressão que as ocupações estão partido das famílias indígenas de Dourados", ressaltou o vereador.


O cacique Renato Machado afirmou que as invasões de 14 áreas urbanas não representam a vontade das lideranças das Aldeias Bororó e Jaguapirú. "Ali tem professores de Amambai, diretora de escola, professores e servidores de universidade e até funcionário público que estão querendo apenas um terreno", denunciou. "Minha preocupação é que essas invasões acabem provocando discriminação da sociedade com os povos indígenas, mesmo porque convivemos pacificamente com a população e nunca invadimos terra de ninguém", completou.

Deixe seu Comentário