Dourados – MS segunda, 28 de setembro de 2020
Dourados
32º max
21º min
Dia-a-Dia

Mobilização pede a permanência do promotor Marcos Alex na chefia do Gaeco

28 Dez 2015 - 09h50
Manifestantes fizeram abraço coletivo no Gaeco em apoio ao promotor Marcos Alex. - Crédito: Foto: Gerson Walber/Campo Grande NewsManifestantes fizeram abraço coletivo no Gaeco em apoio ao promotor Marcos Alex. - Crédito: Foto: Gerson Walber/Campo Grande News
Cerca de 100 pessoas se mobilizaram na manhã de ontem em apoio ao promotor Marcos Alex Vera de Oliveira, até então ex-chefe do Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado).


O manifesto, em frente ao órgão, no Parque dos Poderes, em Campo Grande, teve abraço simbólico, discursos no megafone, Hino Nacional e carreata pela avenida Afonso Pena. A saída do promotor do grupo responsável pela operação Coffee Break será esclarecida hoje à tarde em coletiva no MPE (Ministério Público).


O pedido para deixar o posto partiu do próprio promotor. Contudo,rumores dão conta de que ele teria sido afastado do cargo por divergências com seu superior, o Procurador Geral de Justiça Humberto de Matos Brites, que declarou à imprensa na capital que o relatório seria inconsistente.


O promotor Marcos Alex entregou o pedido de demissão na semana passada, após entregar o relatório final da Operação Coffee Break, que aponta envolvimento de dois ex-prefeitos, empresários e 13 vereadores na suposta compra de votos para cassar o mandato do prefeito Alcides Bernal (PP).


Durante o ato em frente ao Gaeco, os participantes demonstraram indignação pela saída do promotor e pediram investigação neste afastamento, além do seu retorno. O grupo acredita que Marcos Alex fazia um trabalho sério e estava acabando com a corrupção instalada na Capital, por conta disso, vinha sendo coagido por empresários e políticos.


Após o protesto, os manifestantes saíram em carreata até a casa do ex- governador André Puccinelli. Na frente do local, fizerem buzinaço, cantaram o hino nacional e gritaram palavras como “aqui Puccinelli não manda mais”.

Deixe seu Comentário