Dourados – MS domingo, 20 de setembro de 2020
Dourados
27º max
16º min
Dia-a-Dia

Mazzini descobre o valor da família e chega ao 8º encontro

03 Fev 2016 - 07h00Por Marcelo Humberto Do Progresso
Encontro dos Mazzini - família de italianos que escolheu o Brasil  para viver - aconteceu em Dourados. - Crédito: Foto: Arquivo FamiliarEncontro dos Mazzini - família de italianos que escolheu o Brasil para viver - aconteceu em Dourados. - Crédito: Foto: Arquivo Familiar
Dificuldades e problemas, quem não tem? A vida é feita de altos e baixos e durante essa jornada é sempre bom contarmos com o apoio, independente como ele seja, de alguém para nos auxiliar a dar a volta por cima, seja financeiramente, emocional ou uma simples conversa ou abraço. São valores até esquecidos, mas muito presente em famílias unidas e disposta a ajudar uns aos outros. É assim que acontece com os Mazzini, clã da matriarca Regina Tamanini Mazzini e do patriarca Carlos Mazzini, ambos falecidos.


Descendentes de Italianos, o casal é de Santa catarina. Lavradores, eles residiram em várias cidades e só vieram para Mato Grosso do Sul quando o filho mais velho, Adilvo Mazzini, hoje com 72 anos, decidiu se mudar para Rio Brilhante, em 1966. “A família toda me acompanhou, embora anos mais tarde irmãos meus mudaram para a grande São Paulo e Espírito Santo”, conta o mais velho de 14 irmãos.

Como cada irmão foi constituindo família e muitos mudaram de cidade, a convivência entre os Mazzini foi se distanciando e os encontros, com a presença em peso de todos eles, passou a ser realizado quando alguém falecia, muito típico, atualmente, entre muitas famílias. No ano de 2007 a família teve a perda de um dos irmãos, o Pedro.


“Após o falecimento do nosso irmão fiquei me questionando sobre esse encontro da família somente nesses momentos mais difíceis. Meu irmão mais novo, o Ivo, também me questionou sobre isso. Conversamos muito e a partir daí decidimos dar um novo rumo para a nossa história, de realizar encontros em momentos alegres”, lembra Adilvo Mazzini, professor aposentado e maestro do extinto coral Guaraoby em Dourados.


E foi em 2008 que os Mazzini realizaram o primeiro encontro, na cidade de Rio Brilhante. Naquele ano, e também no ano seguinte, foi preciso colocar crachá com o nome de cada um. Nos netos colocava-se o nome das crianças e o nome dos pais, para facilitar ainda mais a identificação. Após esses dois anos não foi mais preciso. Todos já se conheciam e os laços familiares se estreitaram tanto que redescobriram o valor e a essência da família.


No mês passado, entre os dias 15 e 17, foi realizado o 8º encontro dos Mazzini em Dourados. A festa, numa chácara alugada na cidade, reuniu cerca de 80 pessoas do núcleo familiar de Regina e Carlos Mazzini. Ela faleceu em 1999, aos 76 anos de idade, e ele em 2014, aos 91 anos. O casal deixou uma herança familiar de 14 filhos (8 homens (1 falecido) e 6 mulheres), 28 netos, 18 bisnetos e 1 tataraneto.


O próximo encontro já foi agendado entre os dias 13 e 15 de janeiro do ano que vem, em Presidente Prudente (SP).

Deixe seu Comentário