Dourados – MS terça, 18 de fevereiro de 2020
Dourados
35º max
23º min
Dia-a-Dia

Manifesto cobra proteção à mulher

26 Nov 2010 - 01h47
Valdely dos Santos lembra que sem estrutura não adianta denunciar
Foto: Div - Valdely dos Santos lembra que sem estrutura não adianta denunciar Foto: Div -
DOURADOS - Mulheres de Dourados saíram às ruas para protestar contra falhas em serviços públicos. O evento aconteceu na última terça-feira, na semana de Combate a Violência contra a Mulher. Com bandeirolas, faixas e cartazes, elas tomaram o bairro Canaã I.

A coordenadora do Movimento Popular da Mulher, Irmã Jandira Luvison, explica que o local é exemplo de precariedade nos serviços prestados à mulher douradense. \"Há cerca de sete meses, uma gestante que tentava atendimento no serviço público, morreu juntamente com o filho que esperava. Ele aguardou três vezes ser atendi-da e foi orientada a voltar para a casa. Com fortes dores em casa decidiu voltar ao hospital.

Um médico teria dito que iria atendê-la em 40 minutos. Cerca de uma hora depois, sem atendimento, a mulher morreu vítima de hemorragia, junta-mente com o bebê. Uma situação horrível”, conta. Jandira também conta que no mesmo bairro, uma mulher de 50 anos morreu vítima da violência, por falta de atendi-mento público adequado. “A caminhada passou pela casa das duas vítimas, onde os corpos de ambas foram velados”, destacou.

Para a dona-de-casa Valdely Fátima dos Santos, não adianta falar em conscientizar as mulheres para denunciarem seus agressores, se não há estrutura para isto. “Uma conhecida ligou para o serviço 190, das 20h30 até a meia-noite. Na ocasião informaram que não havia viatura ou até mesmo combustível disponível para a equipe deslocar-se até a casa dela. A mulher podia ter morrido”, reclama.

No dia seguinte procurou a Delegacia da Mulher. “Foi uma experiência lamentável. Ela teve que levar papel sulfite para que as atendentes pudessem confeccionar o boletim de ocorrência. Não havia funcionários para a limpeza do local”.

#####OUTRO LADO

A Secretária de assistência Social de Dourados, Maria Fátima Silveira de Alencar, disse que a secretaria, juntamente com a prefeita Délia Razuk, está unindo forças para buscar resolver o problema da Delegacia da Mulher, que hoje é ad-ministrada pelo Estado.

Segundo a secretária, prova disso foi a aquisição de um carro e uma moto, na semana passada. Os veículos serão des-tinados exclusivamente para o atendimento à mulher na delegacia. Ela diz que apesar de alguns problemas, as políticas públicas para as mulheres estão avançando em Dourados. “O nos-so Centro de Atendimento à Mulher é prova de investimento. São psicólogos, assistentes sociais e demais profissionais que dão auxílio às mulheres em situação de risco. Temos um abrigo, para receber as vítimas que é referência no Estado”.

#####PM

O comando da Polícia Militar informou ao O PROGRESSO que não faltam viaturas ou combustível. Segundo o co-mandante, coronel Marcos dos Santos, o que pode ter ocorrido no caso de Valdely foi a indisponiblidade do atendimento imediato. “Priorizamos estas situações de violência pela vulnerabilidade da vítima, porém em alguns casos as equipes já estão atendendo outras ocorrências de mesmo grau de gravidade”, explicou.

Deixe seu Comentário