Dourados – MS segunda, 26 de outubro de 2020
Dourados
28º max
20º min
Influx
Dia-a-Dia

Índios da Bororó recebem leite em pó vencido

06 Jul 2011 - 22h08
Índio terena mostra produtos da Cesta; nos detalhes o leite em pó comido por ratos e feijão
Fotos: Homero Torres


 - Índio terena mostra produtos da Cesta; nos detalhes o leite em pó comido por ratos e feijão Fotos: Homero Torres -
João Rocha


DOURADOS – A Fundação Nacional do Índio (Funai), de Dourados, está sendo acusada por índios da Aldeia Bo-roró, de ter distribuído dentro das cestas básicas, pacotes de leite em pó, com prazo de validade vencido, muitos deles estavam ruídos por ratos, oferecendo sérios riscos a saúde da comunidade. Além do leite o macarrão vence no próximo dia 19, o arroz e o óleo no próximo mês, já o feijão está embalado em sacos plásticos, sem a possibilidade de identifica-ção do prazo de validade.

A família de seo Carlos Machado, índio terena, que mora na Aldeia Bororó, foi uma das que recebeu as cestas bási-cas. “Isso é um absurdo, nem bicho bebe um leite desse. Já está cheirado mau. Eu peguei o produto e levei até o médico do posto. Ele ficou horrorizado quando mostrei o saco aberto pelos ratos. O doutor disse para não bebermos porque pode-ríamos ficar doente”, desabafou o índio terena.

A agente de saúde Maria de Fátima acredita que vários indígenas já consumiram o produto por conta da necessidade que as famílias passam dentro da Reserva de Dourados. “Essa não é a primeira vez a comunidade reclama que as cestas estão vindo com produtos vencidos. Isso é um crime contra a saúde dos indígenas de Dourados”, declarou a profissional da saúde.

A reportagem foi até a sede regional da Funai, em Dourados, localizada na Avenida Marcelino Pires, em frente a Pra-ça do Cinqüentenário, onde encontrou funcionários preparando uma nova remessa de cestas que serão entregues hoje na Aldeia Jaguapiru, todas estavam com o leite em pó com prazo de validade vencido.

Os alimentos ficam estocado em um galpão no prédio do órgão, onde são montadas as cestas básicas para distribuição nas nove aldeias e assentamentos que são de responsabilidade da Funai de Dourados.
O leite em pó foi entregue ao órgão há cerca de dois meses, quando ainda falta um mês para o vencimento, no entanto o produto só começou a ser entregue na quarta-feira, quando já estava vencido há mais de 20 dias.
A reportagem aguardou a chegada da chefe regional da Funai, Maria Aparecida Mendes para que prestasse esclareci-mentos sobre o fato. Ela confirmou que sabia que o produto estava vencido e mesmo assim ordenou a entrega, porque recebeu a informação de uma pessoa de que o leite em pó poderia ser consumido até um mês após o vencimento.

Quanto ao fato de vários pacotes apresentarem furos causados por ratos, a chefe do órgão, confirmou que vários deles chegaram a ser retirados de cestas por terem sido comidos por ratos. “Nós pegamos os produtos abertos e doamos para criadores de porcos. A Funai procurou retirar todos os que tinham sido ruídos, inclusive fizemos a detetização do prédio, para acabarmos com os roedores”, explicou.

Para justificar as falhas, Maria Aparecida denunciou que a Funai de Dourados está sucateada e faltam funcionários para ajudar na separação dos alimentos. “O órgão não conta com o mínimo de estrutura. Para fazermos as separações, sempre precisamos contar com a ajuda de voluntários. Dá última vez o Exército nos apoiou”, disse a chefe regional.

#####COBERTORES
Em pleno inverno, onde ca queda de temperatura foi brusca, inclusive com registro de geada na região, a reportagem encontrou centenas de cobertores e mantas empilhadas no galpão da Funai. Maria Aparecida informou que já realizou entregas nas Aldeias Jaguapiru e Bororó e que não entregou o restante por falta de condições.


Deixe seu Comentário