Dourados – MS sábado, 26 de setembro de 2020
Dourados
38º max
21º min
Dia-a-Dia

HU vai acompanhar grávidas com zika e fetos com microcefalia

22 Fev 2016 - 09h44
Reunião do grupo de trabalho para implantação do Ambulatório de Investigação do Zika Vírus do HU-UFGD. - Reunião do grupo de trabalho para implantação do Ambulatório de Investigação do Zika Vírus do HU-UFGD. -
O Hospital Universitário da Universidade Federal da Grande Dourados (UFGD) vai acompanhar grávidas com sintomas de zika vírus e fetos que já tenham sido diagnosticados com microcefalia, a malformação causada pela infecção do vírus. O trabalho começa na primeira semana de março.


Motivados pelo aumento dos casos de infecção pelo Zika Vírus e sua possível ligação com o nascimento de bebês com microcefalia, profissionais de diversos setores do hospital se mobilizaram para a implantação do serviço, inédito na rede pública de Mato Grosso do Sul.


Coordenado pelo médico e professor da UFGD/Fiocruz, Júlio Croda, o Ambulatório de Investigação de Zika Vírus do HU será composto por médicos (infectologista, obstetras e pediatra), além de enfermeiros, assistentes sociais e psicólogos. O objetivo é que a cada visita, a paciente possa, em um único lugar, ser acompanhada por todos esses profissionais.


Público-alvo


Serão duas categorias de gestantes atendidas: as que apresentem algum tipo de exantema (mancha avermelhada na pele) com duração inferior a sete dias e as que já tenham feito ultrassonografia na qual ficou evidenciada microcefalia ou qualquer alteração no sistema nervoso central compatível com infecção congênita.


As mulheres que se encaixam no primeiro grupo, devem procurar assistência no Pronto Atendimento de Ginecologia e Obstetrícia (PAGO) do HU-UFGD, seja com encaminhamento de algum profissional de saúde, seja por conta própria. Lá, elas passarão imediatamente por uma coleta de material para confirmação da infecção e receberão as instruções para agendar sua consulta no Ambulatório de Investigação de Zika Vírus.
As amostras recolhidas serão enviadas ao Laboratório do HU-UFGD, para serem congeladas, e encaminhadas à Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), no Paraná, onde, todos os exames serão realizados.


As gestantes do segundo grupo precisam ser encaminhadas ao Ambulatório pelo médico que que realiza o seu pré-natal e que tenha identificado microcefalia ou alguma lesão no sistema nervoso central que sugira infecção pelo Zika Vírus. Elas devem agendar seu horário pessoalmente na recepção ambulatorial do HU-UFGD e, no dia marcado, comparecer ao hospital com o encaminhamento de seu médico e as ultrassonografias já realizadas.


Em ambos os casos, as pacientes deverão prosseguir com seu pré-natal convencional, porém, paralelamente, receberão atenção diferenciada no Ambulatório de Investigação de Zika Vírus, assim como seus bebês, após o nascimento.

Deixe seu Comentário