Dourados – MS domingo, 23 de fevereiro de 2020
Dourados
31º max
16º min
Dia-a-Dia

Hayel ganha luminárias econômicas

11 Nov 2010 - 18h47
Garapeiros querem novo projeto para reduzir custos em obra de quiosques 
Créditoa: A. Frota
 - Garapeiros querem novo projeto para reduzir custos em obra de quiosques Créditoa: A. Frota -




A Secretaria Municipal de Serviços Urbanos (Semsur) iniciou a implantação de luminárias retráteis na Rua Hayel Bon Faker, uma das vias mais movimentadas de Dourados. Instaladas mais próximas ao chão, os novos modelos melhoram a iluminação. O material também é mais resistente que as luminárias convencionais. O trabalho, ini-ciado no Trevo da Bandeira, na saída para Ponta Porã, será feito em toda a extensão da rua.

Conforme o secretário municipal de Serviços Urbanos, Tahan Sales Mustafa, a troca do sistema das luminárias aten-de às necessidades do município. “As árvores em Dourados encobrem a iluminação e deixa as ruas muito escuras o que facilita a insegurança e violência. Além de readequar, este trabalho vai representar uma economia significativa no con-sumo de energia”, afirma.
Além da avenida, alguns pontos críticos com falta de iluminação também receberão as novas luminárias, instaladas abaixo da copa das árvores. O material tem maior resistência e é totalmente vedado, o que evita desgaste com a exposi-ção ao tempo e acúmulo de poeira, aumentando assim a vida útil da lâmpada.

De acordo com o secretário, a luminosidade destas lâmpadas é três vezes mais forte que da comum. “Com esta troca, teremos uma economia de energia e material. Com relação ao consumo de energia, a diferença é de 5% a 8%”, explicou.

#####GARAPEIROS

Representantes dos garapeiros da área central de Dourados, Adão Machado e José Francisco Neto debateram com a prefeita Délia Razuk possíveis alterações no projeto de quiosque exigido para a comercialização de caldo de cana no centro da cidade.

De acordo com os garapeiros, o projeto é de alto custo, o que impossibilita a construção do quiosque. “Prontificamos a nos adequar as exigências dos setores de saúde, mas está complicado, pois o valor é muito alto até para um financia-mento. A Promotoria tem nos vigiado muito, precisamos de uma ajuda da prefeitura para que reveja o projeto”, afirmou Adão Machado.

A prefeita se colocou à disposição da categoria para conversar com a Secretaria Municipal de Obras e discutir sobre alterações que podem ser feitas sem comprometer a segurança, higiene e qualidade do produto. “Vamos marcar uma reu-nião para conversarmos com o secretário de Obras e ver, por exemplo, materiais que podem ser trocados e que represen-taria uma diminuição no custo da obra”, enfatizou.

José Francisco Neto disse que os garapeiros têm interesse em se adequarem e para isso alguns já fizeram até o curso de capacitação. “Tivemos aula de limpeza e desinfecção de ambiente, controle de praga, qualidade da água, descarte de resíduos, enfim, tudo que é necessário para oferecer o melhor aos nossos clientes”, afirmou. Na próxima semana, os garapeiros voltam a se reunir com a prefeita, dessa vez com a presença do secretário municipal de Obras, Antonio No-gueira.

Deixe seu Comentário