Dourados – MS sábado, 26 de setembro de 2020
Dourados
38º max
21º min
Exército

Forças Armadas iniciam operação na fronteira

15 Jun 2016 - 06h00
General Paulo Humberto coordena a Operação Ágata 11 na fronteira Oeste do país. - Crédito: Foto: Elvio LopesGeneral Paulo Humberto coordena a Operação Ágata 11 na fronteira Oeste do país. - Crédito: Foto: Elvio Lopes
Deflagrada na segunda-feira, sem anúncio prévio, a Operação Ágata 11 já está em curso nos 16.886 quilômetros de fronteira brasileira com 10 países sul-americanos, envolvendo 18 mil militares do Exército, Marinha e Aeronáutica. Em Mato Grosso do Sul, na Área de Operação Oeste, as Forças Armadas estão mobilizando três mil homens e sua coordenação centralizada no Comando Militar do Oeste (CMO), sob o comando do general de Exército Paulo Humberto Cesar de Oliveira.


Com a participação de órgãos de segurança pública federais, estaduais e municipais, a Área de Operações Oeste é responsável pelos estados de Mato Grosso e Mato Grosso do Sul, que fazem fronteiras com Bolívia e Paraguai, numa extensão de 2.503 quilômetros, com ações de combate a ilícitos – crimes de tráfico de drogas, contrabando, roubos de veículos e outros – e ações cívico sociais (Aciso), atendendo a população em Corumbá, Ladário e Ponta Porã e, em Mato Grosso, na cidade de Cáceres.


Compõem a força militar na Área de Operações Oeste a Marinha, com o efetivo do 6º Distrito Naval de Ladário; as tropas das organizações militares subordinadas ao CMO – 4ª Brigada de Cavalaria Mecanizada – Brigada Guaicurus, de Dourados; 18ª Brigada de Infantaria de Fronteira, de Corumbá e 13ª Brigada de Infantaria Motorizada, de Cuiabá (MT) e ainda, pela Força Aérea Brasileira (FAB), a estrutura da Base Aérea de Campo Grande.


Durante a Ágata 11, entre Comodoro – cidade localizada no oeste de Mato Grosso e que faz fronteira com a Bolívia e divisa com Rondônia – poderão ser utilizados helicópteros da Aviação do Exército e apoio logístico para as forças empregadas na região. Na área de operações, além das agências e órgãos federais, a Ágata 11 conta como importante apoio de órgãos estaduais, como a Polícia Militar e Polícia Civil dos Estados de Mato Grosso e Mato Grosso do Sul, Gabinete de Gestão Integrada de Fronteiras (GGIFron), Agência Estadual de Defesa Sanitária, Animal e Vegetal, do Estado do Mato Grosso do Sul (Iagro), Secretaria de Fazenda Estadual (Sefaz), Departamento de Operações de Fronteira (DOF), Grupo de Atuação Especial de Repressão ao Crime Organizado (Gaeco), entre outras.

Jogos Olímpicos


Em função dos Jogos Olímpicos, o Ministério da Defesa optou por uma mobilização que envolvesse toda a faixa de fronteira terrestre, e em áreas específicas de fronteira fluvial, assim como ocorreu em edições anteriores desta Operação. Durante a mobilização, militares estarão atentos aos principais crimes transfronteiriços como narcotráfico, contrabando e descaminho, tráfico de armas e munições, crimes ambientais, contrabando de veículos, imigração e garimpo ilegais.


Além do combate aos ilícitos, a Ágata contempla também Ações Cívico-Sociais (ACISO), que consistem em atividades como atendimento médico, odontológico e hospitalar aos locais onde concentram famílias carentes.

Deixe seu Comentário