Dourados – MS quinta, 01 de outubro de 2020
Dourados
41º max
24º min
Documentação

Em MS, pelo menos 20 mil aguardam pela emissão de RG

10 Jun 2016 - 06h00
Emissão do documento não está sendo feita por falta de papel. - Crédito: Foto: Cido CostaEmissão do documento não está sendo feita por falta de papel. - Crédito: Foto: Cido Costa
Pelo menos 20 mil cidadãos sul-mato-grossenses estão na fila de espera pela Carteira de Identidade, o RG, em Mato Grosso do Sul. Isso porque a há dois meses, a Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública (Sejusp) deixou de emitir o documento por causa de mudança na empresa terceirizada. O governo decidiu pela troca, para gerar economia nos cofres públicos, mas isso gerou transtornos para as pessoas que precisam do documento para viajar ou fazer transações financeiras.


A transição de uma empresa para outra fez com que a emissão do documento fosse interrompida para instalação de novos maquinários e treinamento de pessoal. Para piorar a situação, houve atraso da remessa de papel pela Casa da Moeda, para impressão do documento. A mesma situação também ocorre para a emissão de passaportes.


De acordo com a Assessoria de Comunicação do Sejusp, o documento está sendo feito, mas aguarda a chegada do papel para a impressão. A expectativa é que o problema seja resolvido até dia 15 e que a partir do dia 17 comecem as impressões. Mensalmente são emitidos em Mato Grosso do Sul até 12 mil carteiras de identidades. Apesar dos documentos represados, aguardando pela impressão, os agendamentos para solicitação do RG, através do site do Sejusp, está normal. Se a pessoa solicitar hoje o agendamento, provavelmente vai conseguir marcar a partir do próximo dia 20, em diante. Para agendar uma data para solicitar a RG, a pessoa tem que acessar o http://servicos.sejusp.ms.gov.br. A primeira via é gratuita, já para a segunda, a pessoa tem que desembolsar 4 Ufems, R$ 94,52 (uma Uferms está hoje R$ 23,63).

RG


Atualmente, muita gente usa a carteira de habilitação como documento de identidade, porque é aceita na maioria das situações. Mas o RG ainda é fundamental para identificar uma pessoa e pode até substituir o passaporte, em viagens para o exterior. Segundo o diretor do Instituto de Identificação de Mato Grosso do Sul, Rubens Cyles Pereira, para os adultos, o cuidado deve ser com o tempo de emissão. Documentos de identidade com mais de dez anos, não são aceitos em muitos lugares, como nos países do Mercosul. Para viajar para Argentina e Uruguai, por exemplo, é preciso ter o documento atualizado.


Toda vez que há alteração no nome, seja por casamento ou divórcio, é preciso de novo RG, assim como no processo de adoção. O RG é um documento que vale em todo o território nacional, mas a emissão é feita de maneira separada em cada estado. Portanto, se alguém se mudou e perdeu o documento, só poderá tirar a segunda via no estado onde fez a primeira. A outra opção é tirar novo RG no estado atual, só que haverá alteração no número e um valor a ser pago.

Deixe seu Comentário