Dourados – MS sábado, 24 de outubro de 2020
Dourados
31º max
21º min
Influx
Dia-a-Dia

Dourados se despede de Lídio Verão

10 Mai 2011 - 22h38
Funeral reuniu familiares e amigos do pioneiro Lídio Nunes Verão, que foi homenageado - Crédito: Foto : Hedio Fazan/PROGRESSOFuneral reuniu familiares e amigos do pioneiro Lídio Nunes Verão, que foi homenageado - Crédito: Foto : Hedio Fazan/PROGRESSO
DOURADOS – Ontem foi dia de luto para a família Verão e a legião de amigos de Lídio, que morreu aos 85 anos, na tarde de segunda-feira. O douradense que dividiu a vida com Geny, entre as cidades de Itaporã e Dourados, deixa saudades.

Durante o sepultamento ocorrido na manhã de ontem, no Parque de Dourados, esposa, os cinco filhos Wilson, Weimar, Vander (editor chefe do jornal O PROGRESSO), Valdo e Celia, noras, genro, netos, bisnetos, sobrinhos, entre outros, deram um adeus emocionado, em meio às lágrimas, flores e palmas em tributo à vida exemplar de Lídio Verão que no ano passado sofreu um duro golpe quando um dos filhos gêmeos, Vilmar, morreu vítima de infarto. “Pensamos que ele não iria aguentar, mas foi forte”, conta o filho Vander Verão, de 53 anos.

O problema é que o fã incondicional do O PROGRESSO, jornal que ajudou a propagar nos idos dos anos 60, sofreu um acidente justamente quando se abaixou, como fazia todos os dias, para apanhar o matutino. A queda resultou em fratura que se complicou por conta do diabetes. Ele foi internado, piorou até morrer na Unidade de Terapia Intensiva do Hospital da Vida.

O féretro deixou a capela, na Vila Industrial, seguida por um cortejo até o cemitério onde parentes e amigos, inclusive colegas da imprensa de Dourados, aguardavam para prestar as últimas homenagens.
Entre diversos emails e telegramas, flores e telefonemas que chegaram até o final do dia, um chama a atenção. Foi enviado à Vander Verão, pelo articulista Manoel Cardoso com o seguinte teor:

“Este é um momento em que não temos muito a dizer, mas pensei muito em te mandar uma mensagem contando uma historinha que aconteceu comigo no Dia das Mães. Fui até o túmulo da minha mãe fazer umas preces e tive a sensação que ela sorria, parecia feliz. Acho que as orações que tenho feito têm surtido efeito, ela deve estar com espiritos iluminados.


Seu pai me parece uma pessoa que vai receber os mesmos cuidados e hoje já fiz algumas preces que é a forma de chegarmos mais próximo dele. Meu padrinho dizia que os pais não morrem, eles mudam de estágio. Vamos acreditar nisso, sempre é confor-tante. Um abraço e que Deus o ilumine e dê forças à sua família, especialmente à sua mãe”, finaliza Manoel Cardoso.

Deixe seu Comentário