Dourados – MS sexta, 18 de setembro de 2020
Dourados
33º max
19º min
PREFEITURA DE DOURADOS

Dourados realizará diagnóstico dos territórios de vulnerabilidade

02 Ago 2016 - 13h41
Foto: Divulgação - Foto: Divulgação -
A Prefeitura de Dourados realizou na semana passada, durante dois dias, um Seminário sobre Vigilância Socioassistencial, cujo objetivo é obter informações territorializadas sobre as situações de vulnerabilidade e risco que incidem sobre famílias e pessoas, no município.

O seminário aconteceu no no Cras (Centro de Referência de Assistência Social) do Jardim Água Boa, com a presença da professora Dirce Koga, renomada consultora, com destaque nacional na área. Ela vai prestar assessoria por seis meses na área da Vigilância Socioassistencial, em Dourados.

A secretária municipal de Assistência Social, Ledi Ferla, explica que nesta primeira fase será iniciada com um diagnóstico realizado nos territórios de atuação da Secretaria de Assistencial Social no município.

Ela lembra que a Vigilância Socioassistencial é um dos objetivos da Loas (Lei Orgânica de Assistência Social), e exerce uma função de vigilância, que se mantém alerta para identificar as situações de vulnerabilidade e risco social vivenciadas por famílias e pessoas, como, conflitos familiares, violência e abandono, renda insuficiente para garantir a própria subsistência, entre outras situações.

"A atual administração, com política de Assistencial Social, pretende efetivar o caráter preventivo e proativo da política, na busca da redução das situações de vulnerabilidade e risco a que estão expostas a população", explica a secretária.

Segundo ela, com o aprimoramento da assistência no município, se buscou aproximar as ofertas dos serviços socioassistenciais da população, atentando para as potencialidades das famílias.

"Neste sentido, investir na criação da Vigilância Socioassistencial é fundamental, pois auxiliará no processo de planejamento, execução, monitoramento e avaliação dos serviços e produzirá, de forma constante, informações sobre os problemas sociais de uma região e sobre a rede de assistência social disponível para combatê-los", explica a secretária.

Deixe seu Comentário