Dourados – MS quinta, 22 de outubro de 2020
Dourados
34º max
21º min
Influx
Dia-a-Dia

Cosip não é revertida à iluminação

31 Mai 2011 - 22h40
Contribuintes que solicitam troca de lâmpada não estão sendo atendidos - Crédito: Foto: Hedio Fazan/PROGRESSOContribuintes que solicitam troca de lâmpada não estão sendo atendidos - Crédito: Foto: Hedio Fazan/PROGRESSO
DOURADOS – Contribuintes que solicitam trocas de lâmpadas no postes enfrentam problemas. Eles pagam o imposto de ‘Contribuição para custeio de iluminação pública’ (Cosip), mas não recebem a devolutiva. A falta de materiais para reparo de serviços estão suspensos em Dourados. Enquanto isso a população fica no escuro.

O PROGRESSO obteve informações de funcionários do setor ‘Disque lâmpada’ da Prefeitura que este serviço está paralisado há quase cinco meses. A prefeitura nega e diz que não faz tanto tempo assim. Todos os meses, contribuintes que consomem acima de 100 Kwh/ mês pagam pela Cosip.

O valor varia de acordo com o gasto da energia. Esse imposto existe em Dourados há nove anos, criado pelo então prefeito Laerte Tetila, por meio da lei complementar 061 de dezembro de 2002. Estima-se que cerca de 54 mil contribuintes pagam pelo imposto. O valor vem especificado na conta de energia elétrica.

Luiza Melo diz que há mais de dois meses mantém contato com o Disque Lâmpada da prefeitura, setor responsável pela troca de lâmpadas na cidade. “Até agora a informação que tive é a que o serviço está suspenso, não há material e nem mão de obra para realizar o serviço”, disse ela.

A consumidora questiona o fato de pagar todo o mês pelo tributo e não recebê-lo quando mais precisa. A reportagem contatou o serviço Disque Lâmpada e confirmou com os atendentes que o serviço está paralisado há meses por falta de materiais. Não está, inclusive, anotando a solicitação da troca de lâmpada, por parte de pessoas que precisam do reparo.

O PROFRESSO também apurou o valor arrecadado pela Cosip nos últimos cinco meses. O montante atingiu R$ 2,9 milhões. Em janeiro foi de R$ 544.018,64, fevereiro R$ 601.032.99, março 566.632.12, abril R$ 597.228,12 e maio R$ 597.215.94.

PREFEITURA

O secretário de serviços urbanos, Luis Roberto Martins de Araújo, disse que o problema da troca de lâmpada está relacionada a falta de reator e de relé - espécie de interruptor elétrico que serve para ligar ou desligar dispositivos.

No entanto, nem toda a troca de lâmpada é necessário, como também a troca dos equipamentos que estão em falta. Luis Roberto garantiu que o problema será solucionado entre 20 a 30 dias. “Fizemos uma licitação de materiais no dia 16 de maio. Se tudo der certo em até um mês estaremos atendendo todos os contribuintes”, afirmou.


Ele também garante que o setor Disque Lâmpada possui três equipes para fazer o reparo de serviços. Explica, ainda, que não sabia que os atendentes deixaram de anotar a solicitação dos contribuintes. “Isso não pode acontecer. Vamos verificar isso”, acrescentou.

À reportagem, ele disse que desde que a atual administração assumiu a prefeitura, na segunda quinzena de fevereiro, vários reparos na iluminação pública foram feitas, como na praça em homenagem à colônia nipônica, na Avenida Toshinobu Katayama. Outros locais que também receberam reparos, segundo o secretário, foram as luminárias das Avenidas Marcelino Pires, Joaquim Teixeira Alves e Weimar Torres.

“Nesses 90 dias de administração não fizemos um trabalho de manutenção individual. Atendemos por região”, comentou. Dessa forma, o contribuinte de determinado bairro que precisa trocar de lâmpada não é atendido, já que o bairro dele não está no cronograma da Secretaria de Serviços Urbanos.

Deixe seu Comentário