Dourados – MS terça, 29 de setembro de 2020
Dourados
37º max
21º min
Dia-a-Dia

Chuva na MS-156 alaga e desabriga famílias indígenas

03 Mar 2016 - 06h00
A forte chuva de 11 mm, de  53 minutos na madrugada de ontem em Dourados, alagou  trecho da MS-156. - Crédito: Foto: Hedio FazanA forte chuva de 11 mm, de 53 minutos na madrugada de ontem em Dourados, alagou trecho da MS-156. - Crédito: Foto: Hedio Fazan
A forte chuva de 11 milímetros e que durou 53 minutos, na madrugada de ontem em Dourados, alagou trecho da MS-156, entre Dourados e Itaporã, na rotatória das aldeias Jaguapiru e Bororó, agravando a situação de pelo menos 15 famílias, que tiveram de deixar suas casas.


Revoltados, os índios bloquearam o trecho na manhã de ontem por cerca de duas horas para chamar atenção das autoridades da gravidade da situação. Eles chegaram ameaçar a cortar o asfalto para fazer a drenagem da enxurrada, caso nenhuma providência fosse tomada.


O transtorno foi geral, veículos ficaram barrados na MS, só foram liberadas ambulâncias. Alguns automóveis tiveram que fazer desvio através de um caminho lateral, correndo riscos, já que a enxurrada cobria a estrada.
Passageiros de um ônibus de Itaporã com destino a Dourados decidiram seguir o restante do trajeto a pé, até o centro da cidade.


De acordo com os moradores, as casas estão sofrendo com inundações desde domingo passado e, com as chuvas de ontem e o solo encharcado e algumas residências ainda alagadas, a situação se agravou.


Os moradores contam que, desde quando o Governo do Estado duplicou a rodovia, entregue em 2011, nenhuma providência foi tomada para que as casas não sofressem com alagamento. E com as fortes chuvas que vêm ocorrendo em Dourados a situação só piorou. “A enxurrada não tem para onde escorrer e acaba caindo direto nas casas que ficam à beira da rodovia”, conta Leodiane Reginaldo Morales. Ela, disse que na casa dela, a água chegou até a cintura e que perdeu todos os móveis.


A dona de casa conta que desde domingo está abrigada na casa de um irmão com a família porque teve que abandonar a moradia. “É impossível ficar na casa, perdi tudo que tinha e meus vizinhos também”, desabafa.


Desbloqueio


Depois de pelo menos duas horas de protestos e rodovia bloqueada, os moradores decidiram liberar a pista com a chegada das equipes da Empresa de Saneamento de Mato Grosso do Sul, das prefeituras de Itaporã e Dourados.


De acordo com o gerente regional da Sanesul de Dourados, Paulo César Torraca, o Departamento de Estradas de Rodagem de Mato Grosso do Sul (Dersul) autorizou cortar o asfalto para introduzir tubulações a fim de drenar a água.


Durante os trabalhos, uma parte da pista foi liberada para que os veículos pudessem trafegar. “Com essa drenagem o problema deverá ser solucionado, não tinha outra alternativa a não ser cortar o asfalto”, disse Torraca.


Apesar da drenagem, algumas casas ainda devem demorar pelo menos dois dias para secar totalmente.
O líder indígena Valdenir Ribeiro Ramires informou que os moradores pretendem se reunir com os prefeitos de Itaporã e Dourados para que intermediem um encontro com o governador Reinaldo Azambuja com objetivo de solicitar uma solução para as famílias que tiveram prejuízos com as chuvas naquele local. Ele conta que, na época em que a duplicação da MS-156 entre Dourados e Itaporã estava sendo feita, os moradores e reuniram com os engenheiros e relataram que o problema de alagamento poderia acontecer, mas as providencias não foram tomadas.


Ele disse que os moradores vão montar uma comissão para verificar os prejuízos das famílias e solicitar ressarcimento por parte do governo.


A duplicação da MS-156 iniciou em 2008 e foi entregue em novembro de 2011, durante o governo André Puccinelli (PMDB). Na época, os investimentos no local foram de aproximadamente R$ 25 milhões.

Deixe seu Comentário