Dourados – MS segunda, 13 de julho de 2020
Dourados
31º max
19º min
Respeito à Vida/ALMS (Ramal)
Dia-a-Dia

Câmara Municipal debate lixões clandestinos

23 Nov 2015 - 09h07
Vereadores que estiveram em O PROGRESSO anunciando a audiência pública. - Crédito: Foto: Marcos RibeiroVereadores que estiveram em O PROGRESSO anunciando a audiência pública. - Crédito: Foto: Marcos Ribeiro
A Comissão de Meio Ambiente da Câmara Municipal de Dourados promove na quarta-feira uma audiência pública a partir das 19h30 para discutir a problemática dos “lixões clandestinos” que se formam em função da falta de consciência de pessoas que insistem no descarte irregular do lixo. A audiência pública terá a participação do promotor de justiça para o Meio Ambiente de Dourados, Ricardo Rotuno.

Haverá palestras e entrega de certificado para os participantes. Serão convidados todos os organismos ligados ao meio ambiente em Dourados. A Comissão do Meio Ambiente na Câmara é formada pelos vereadores Madson Valente - presidente, Alan Guedes, membro, Raphael Mattos, membro, e também proponente e, Silas Zanata, vice.

Ao longo dos anos, o lixo passou a ser uma questão de interesse global. O descarte inadequado tem trazido graves problemas a todas as nações. As principais preocupações estão voltadas para as repercussões que podem ter sobre a saúde humana e sobre o meio ambiente (solo, água, ar e paisagens).

O “lixo” é uma grande diversidade de resíduos sólidos de diferentes procedências, dentre eles, o resíduo sólido urbano gerado em residências. O lixo faz parte da história do homem, já que sua produção é inevitável.
Com a maioria das pessoas vivendo hoje em dia nas cidades e com o avanço mundial da indústria provocando mudanças nos hábitos de consumo da população, vem-se gerando um lixo diferente em quantidade e diversidade.

No Brasil, a geração do lixo ainda é, em sua maioria, de procedência orgânica. O lixo representa, hoje, uma grande ameaça à vida no Planeta por duas razões fundamentais: a sua quantidade e seus perigos tóxicos. Do material descartado no Brasil, 76% é abandonado a céu aberto em locais impróprios, permitindo a proliferação de vetores capazes de transmitir várias doenças.

A matéria orgânica disposta de forma desordenada entra em processo de putrefação, formando outra mistura complexa de gases de metano, dióxido de carbono, sulfídrico, amônia e outros ácidos orgânicos voláteis, os quais, quando em contato com o sistema respiratório de seres humanos, podem causar lesões irreversíveis e levar à morte. Outro problema é a contaminação dos recursos hídricos devido à migração de chorume.

Deixe seu Comentário