Dourados – MS sábado, 18 de maio de 2024
20º
Mundo

Sahel está perto de recorde de sete anos de casos de pessoas com fome

Burquina Fasso, Chade, Mali e Níger próximos de registrar níveis de emergência

21 Mai 2022 - 18h00Por ONU News
Desnutrição pode afetar  7,7 milhões de crianças menores de cinco anos no Sahe - Crédito: UN Photo/Eskinder DebebeDesnutrição pode afetar 7,7 milhões de crianças menores de cinco anos no Sahe - Crédito: UN Photo/Eskinder Debebe

Até 18 milhões de pessoas enfrentarão grave insegurança alimentar no próximo trimestre na região africana do Sahel.

Nesta sexta-feira, o Escritório das Nações Unidas para os Assuntos Humanitários, Ocha, alertou que o número é o mais alto desde 2014.

Famílias

Prevê-se que a situação da desnutrição afete  7,7 milhões de crianças menores de cinco anos. No momento, existem 1,8 milhão em estado grave.

O Ocha alerta que esse número pode chegar a 2,4 milhões se não houver mais ajuda até o final do ano.

O subsecretário-geral para Assuntos Humanitários, Martin Griffiths, advertiu sobre o cenário onde “famílias inteiras estão à beira da fome”.

O também coordenador da Ajuda de Emergência  apontou como motivos a combinação de violência, insegurança, pobreza profunda e preços recordes de alimentos que acentuam a desnutrição e levam milhões de habitantes à margem da sobrevivência.

A alta de preços dos alimentos é impulsionada pelo conflito entre a Rússia e a Ucrânia. A situação ameaça transformar a crise de segurança alimentar em um desastre humanitário.

Escassez

O chefe humanitário disse que se o mundo não agir agora, as pessoas perecerão.

A situação é alarmante em Burquina Fasso, Chade, Mali e Níger. Cerca de 1,7 milhão de pessoas devem  atingir emergência em insegurança alimentar na época de escassez entre junho e agosto.

A etapa é caraterizada por  “grandes lacunas” no consumo de alimentos, altos níveis de desnutrição aguda e mortes associadas.

Nessa realidade, as famílias são forçadas a vender, por exemplo, suas ferramentas agrícolas e outros bens necessários para o sustento e sobrevivência.

O Fundo Central de resposta de Emergência colocou US$ 30 milhões para  ajudar a atender às necessidades mais urgentes de segurança alimentar e nutrição.

Comunidades resilientes

O valor faz subir para US$ 95 milhões o montante concedido ao Sahel desde o início do ano, incluindo a Mauritânia e Nigéria.  

Griffiths alertou que “não há tempo a perder” diante de uma realidade em que “vidas estão em jogo”.

O chefe humanitário destacou que o montante liberado pode apoiar, mas não  substitui o apoio de doadores que é necessário para manter a resposta e ajudar a construir comunidades resilientes.

Para 2022, a região requer um total de US$ 3,8 bilhões para garantir a entrega de ajuda.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Decisão do FMI pode gerar US$ 80 bilhões em recursos para países em desenvolvimento
Desenvolvimento econômico

Decisão do FMI pode gerar US$ 80 bilhões em recursos para países em desenvolvimento

17/05/2024 22:30
Decisão do FMI pode gerar US$ 80 bilhões em recursos para países em desenvolvimento
Chefe de direitos humanos pede a comandantes que parem escalada da violência no Sudão
Paz e segurança

Chefe de direitos humanos pede a comandantes que parem escalada da violência no Sudão

17/05/2024 21:15
Chefe de direitos humanos pede a comandantes que parem escalada da violência no Sudão
Crise na Ucrânia piora com ataques de drones e bombas planadoras contra civis
Paz e segurança

Crise na Ucrânia piora com ataques de drones e bombas planadoras contra civis

17/05/2024 20:15
Crise na Ucrânia piora com ataques de drones e bombas planadoras contra civis
Atividades médicas ficam cada vez mais limitadas em Gaza
Ajuda humanitária

Atividades médicas ficam cada vez mais limitadas em Gaza

17/05/2024 14:45
Atividades médicas ficam cada vez mais limitadas em Gaza
ONU revisa previsão econômica global para cima, mas mantém cautela
Desenvolvimento econômico

ONU revisa previsão econômica global para cima, mas mantém cautela

16/05/2024 21:45
ONU revisa previsão econômica global para cima, mas mantém cautela
Últimas Notícias