Dourados – MS quarta, 15 de julho de 2020
Dourados
28º max
14º min
Respeito à Vida/ALMS (Ramal)
Internacional

Retorno à prisão e duras sentenças para Bahá’ís no Irã apesar da crise de saúde

27 Mai 2020 - 19h00Por Comunidade Bahá'i do Brasil

Nos últimos dias, dois Bahá’ís em Isfahan foram arbitrariamente presos; sete Bahá’ís em Shiraz foram sentenciados com longas penas de prisão, as quais variam de um a treze anos; as penas de cinco Bahá’ís em Karaj previamente sentenciados a um ano de prisão foram confirmadas na corte de apelação; outro Bahá’í em Ghaemshahr, sentenciado a onze anos, foi chamado para a prisão; e dois Bahá’ís – um em Shiraz e outro em Karaj – libertados em razão da pandemia do corona vírus (COVID-19) foram chamados de volta à prisão, deixando-os numa situação vulnerável à doença. Isso apesar dos amplamente difundidos apelos internacionais para a libertação dos prisioneiros de consciência no Irã, tendo em vista correrem risco de morte associado a propagação da infecção nas prisões.

Aqueles sentenciados à prisão em Shiraz foram presos sob a alegação absurda de que seus esforços na área de meio ambiente e de educação para crianças caracterizavam “propaganda contra o regime” e “formação de grupos contra o regime”.

“A Comunidade Internacional Bahá’í está horrorizada com as sentenças aplicadas a esses indivíduos inocentes, os quais eram culpados de nada além de servir abnegadamente às suas comunidades”, disse Diane Ala’i, Representante da Comunidade Internacional Bahá’í na ONU em Genebra. “Num tempo em que o governo deveria estar encorajando e promovendo apoio mútuo e assistência entre os cidadãos, ao contrário, penaliza e condena aqueles que tentam ajudar outros”. 

Dois Bahá’ís que haviam sido libertados por meio de um indulto em razão da pandemia foram chamados novamente para a prisão nos últimos dias.

“Esses indivíduos não são criminosos e eles não devem estar na prisão”, disse a Sra. Ala’i. “Durante a pandemia global, quando presídios são epicentros da infecção, colocar esses bahá’ís de volta na prisão é semelhante a condená-los à sentença de morte”. 

Os Bahá’ís no Irã tem sido sistematicamente perseguidos desde a Revolução Islâmica no Irã em 1979. Eles são barrados de numerosos negócios, cargos e empregos no setor público. A eles é negado o direito de estudar em universidades, são rotineiramente presos, interrogados, e aprisionados, suas propriedades confiscadas, seus cemitérios profanados, e seus meios de subsistência privados são frequentemente interrompidos ou bloqueados – tudo por causa de suas crenças. A perseguição aos Bahá’ís no Irã tem sido amplamente documentada e condenada pelos organismos da ONU e pela comunidade internacional por quatro décadas.

“A comunidade Bahá’í não só compartilha das muitas consequências econômicas e de saúde da pandemia atual com o resto da população”, continua a Sra. Ala’i. “Mas também enfrenta níveis adicionais de pressão, lhe sendo negado o direito de ter empregos públicos, o de estudar em universidades, e tendo que suportar detenções arbitrárias e aprisionamento apenas por causa de sua fé.  Esse é o tratamento abominável sobre uma comunidade inteira em um tempo em que vidas e subsistência no Irã já estão sob severa constrição”. 

“A Comunidade Bahá’í do Brasil também está bastante consternada com a situação dos bahá’ís no Irã”, acrescenta Renata Amado Bahrampour, assessora de Política Externa da Comunidade Bahá’í do Brasil. “Nesse período em que toda a humanidade está enfrentando privações dos mais diversos tipos em razão da pandemia, é inadmissível que, no Irã, os bahá’ís ainda tenham que estar suportando injustas e severas violações de direitos humanos”, pontua ela. “É nossa esperança que o chamado da ONU e de outros organismos internacionais para a soltura dos presos de consciência, incluindo os bahá’ís, seja ouvido pelo governo iraniano”, conclui.

Os dois bahá’ís aprisionados em Isfahan são Sr. Shahzad Hosseini and Sr. Shayan Hosseini. Os sete Bahá’ís sentenciados em Shiraz são Sr. Navid Bazmandegan, Sra. Bahareh Ghaderi, Sra. Soudabeh Haghighat, Sra. Niloufar Hakimi, Sr. Ehsan Mahboub, Sra. Noura Pourmoradian, Sra. Elaheh Samizadeh. Aqueles em Karaj são Sr. Abol-Fazl Ansari, Sr. Rouin Kohansal, Sr. Mohammad Sadegh Rezaie, and Sr. Rouhollah Zibaie. Os três Bahá’ís chamados à prisão são Sr. Ali Ahmadi, Sr. Nematollah Bangaleh, and Sr. Farhad Fahandej.

Deixe seu Comentário

Leia Também

China deve ter alívio na oferta de carne suína no 4° trimestre, diz ministério
Economia

China deve ter alívio na oferta de carne suína no 4° trimestre, diz ministério

13/07/2020 19:10
China deve ter alívio na oferta de carne suína no 4° trimestre, diz ministério
OMS: transmissão de vírus pelo ar pode se dar em procedimento médico
Covid-19

OMS: transmissão de vírus pelo ar pode se dar em procedimento médico

09/07/2020 14:11
OMS: transmissão de vírus pelo ar pode se dar em procedimento médico
Exportações de carne de aves em MS disparam com rígido protocolo de biossegurança
Exportação

Exportações de carne de aves em MS disparam com rígido protocolo de biossegurança

08/07/2020 11:28
Exportações de carne de aves em MS disparam com rígido protocolo de biossegurança
Coronavírus pode ser transmitido pelo ar
Saúde

Coronavírus pode ser transmitido pelo ar

07/07/2020 17:39
Coronavírus pode ser transmitido pelo ar
Seis frigoríficos do Brasil têm exportações de carne suspensas para a China por preocupações com a Covid-19
Covid-19

Seis frigoríficos do Brasil têm exportações de carne suspensas para a China por preocupações com a Covid-19

06/07/2020 16:55
Seis frigoríficos do Brasil têm exportações de carne suspensas para a China por preocupações com a Covid-19
Últimas Notícias