Dourados – MS terça, 11 de maio de 2021
Dourados
30º max
17º min
Vacinação 2
Mundo

Premiê da Hungria consegue aprovar Constituição ultraconservadora

18 Abr 2011 - 18h15
Manifestantes protestam contra a nova Constituição húngara nesta segunda-feira - Crédito: Foto: ReutersManifestantes protestam contra a nova Constituição húngara nesta segunda-feira - Crédito: Foto: Reuters
O primeiro-ministro conservador da Hungria, Viktor Orban, conseguiu nesta segunda-feira (18) uma vitória pessoal com a aprovação, pelo Parlamento, de uma nova Constituição, que inclui referências a Deus, ao cristianismo e à família tradicional, e qualificada de \"golpe\" constitucional pela oposição.

No total, 262 deputados votaram a favor, 44 contra e um parlamentar se absteve, numa votação previsível, uma vez que o partido da situação, Fidesz, dispõe, no Parlamento, de maioria de dois terços.

Os socialistas (MSZP) e a esquerda liberal-Verdes (LMP) boicotaram a votação, enquanto que a ultradireita (Jobbik) votou contra o texto, denominado por grande parte da imprensa húngara de \"Constituição Orban\".

\"Vivemos um momento histórico\", afirmou o presidente do parlamento, Laszlo Kövér (Fidesz).

\"O texto reconhece o cristianismo como base de nossa civilização, mas a Constituição garante a liberdade moral\", acrescentou, pedindo, depois, aos deputados que cantassem o hino nacional.

A nova constituição deve ainda ser assinada pelo chefe de Estado, Pal Schmitt, ligado a Viktor Orban, no dia 25 de abril, e entrará em vigor em 1º de janeiro de 2012.

As referências a Deus, ao cristianismo e à família tradicional causam polêmica na Hungria, onde uma série de manifestações da oposição, de organizações não governamentais (ONG) e movimentos cidadãos mobilizaram milhares de manifestantes nos últimos dias.

Segunda-feira, cidadãos convocados pelo Facebook contra a lei sobre meios de comunicação de Viktor Orban, qualificada de \"liberticida\" por seus detratores, organizaram manifestação perto do Parlamento para denunciar o que, para eles, significa o \"questionamento\" do Estado de direito.

No preâmbulo, cheio de fórmulas sobre o legado histórico cristão e nacionalista, a Constituição saúda \"a unidade espiritual e intelectual\" da nação húngara, \"desgarrada em várias partes devido a tormentas históricas\".

Seus detratores consideram que esta Constituição viola as liberdades fundamentais e constitui essencialmente um meio para Viktor Orban fortalecer seu poder.

Organizações feministas, de defesa dos direitos humanos, ou associações de defesa dos homossexuais afirmaram que o projeto de Constituição é \"discriminatório\" e \"antidemocrático\" e, ao mesmo tempo, marcado por \"uma ideologia cristã de direita\".

Preocupam-se, em particular, pela sorte dos ateus, homossexuais e famílias monoparentais.

Estimam que a porta está aberta para uma possível proibição do aborto, pois a constituição estipula que \"a vida do feto deve ser protegida a partir do momento da concepção\".

Além disso, o Comitê de Orçamento do Banco Central, composto por membros ligados a Viktor Orban, terá direito de veto sobre o orçamento e o chefe de Estado, Pal Schmitt, poderá dissolver o Parlamento.

Viktor Orban se justifica ao declarar que a constituição anterior era da época em que a Hungria pertencia ao bloco comunista, depois da Segunda Guerra Mundial, tendo sido modificada, no entanto, em 1989, depois da derrubada do bloco soviético.

O secretário-geral da Organização das Nações Unidas (ONU), Ban Ki-moon, de visita nesta segunda-feira a Budapeste, mencionou \"as preocupações internacionais\" em torno da carta, e chegou a pedir a Viktor Orban que \"busque conselhos de organismos \"como a ONU e o Conselho da Europa\".

Deixe seu Comentário

Leia Também

Tiroteio deixa pelo menos 11 mortos em escola na Rússia
Internacional

Tiroteio deixa pelo menos 11 mortos em escola na Rússia

há 35 minutos atrás
Tiroteio deixa pelo menos 11 mortos em escola na Rússia
Na OMS, Queiroga faz apelo por liberação de vacinas contra covid-19
Saúde

Na OMS, Queiroga faz apelo por liberação de vacinas contra covid-19

30/04/2021 18:30
Na OMS, Queiroga faz apelo por liberação de vacinas contra covid-19
Autoridades iranianas proíbem bahá’ís de ter um enterro digno
Mundo

Autoridades iranianas proíbem bahá’ís de ter um enterro digno

26/04/2021 14:12
Autoridades iranianas proíbem bahá’ís de ter um enterro digno
Cortes em razão da covid-19 impactam programa antidoping
Olimpíada

Cortes em razão da covid-19 impactam programa antidoping

15/04/2021 10:00
Cortes em razão da covid-19 impactam programa antidoping
Casa Branca anuncia retirada de tropas do Afeganistão até setembro
mundo

Casa Branca anuncia retirada de tropas do Afeganistão até setembro

14/04/2021 13:15
Casa Branca anuncia retirada de tropas do Afeganistão até setembro
Últimas Notícias