Dourados – MS sábado, 23 de janeiro de 2021
Dourados
30º max
21º min
Influx
Mundo

Premiê britânico defende ex-assessor em caso de escutas

20 Jul 2011 - 07h59
O premiê britânico, David Cameron, fala sobre o caso dos grampos nesta quarta-feira - Crédito: Foto: APO premiê britânico, David Cameron, fala sobre o caso dos grampos nesta quarta-feira - Crédito: Foto: AP
O premiê do Reino Unido, David Cameron, disse nesta quarta-feira (20) que sua equipe agiu de maneira "totalmente correta" no relacionamento com a polícia no caso dos grampos telefônicos do tabloide "News of the World".

Cameron fala sobre o caso das escutas ilegais na Câmara dos Comuns, que na véspera ouviu o magnata da mídia Rupert Murdoch, dono do grupo responsável pelos supostos crimes.

Cameron afirmou que seu ex-chefe de imprensa, Andy Coulson, deve ser processado se estiver implicado nas escutas, mas disse que "todo mundo é inocente até prova em contrário".

Coulson foi diretor do tabloide entre 2003 e 2007, época em que ocorreram as escutas denunciadas.

O premiê disse ao Parlamento que assume a responsabilidade pela contratação de Coulson, mas que lamenta o "furor" que a decisão causou.

Cameron, defendeu nesta quarta-feira a forma com que seu gabinete tratou com a polícia diante das acusações de grampos telefônicos e subornos.

"Publicamos a troca integral de e-mails entre o chefe de gabinete e John Yates, e o documento mostra que meu gabinete se comportou de forma correta', disse Cameron ao Parlamento, acrescentando que não infringiu as leis parlamentares sobre o comportamento de ministros.

Cameron se pronunciou no início de uma sessão de emergência da Câmara dos Comuns para discutir a crise ue abalou o império midiático do australiano Murdoch, minou a confiança na polícia e gerou dúvidas sobre a capacidade de julgamento do primeiro-ministro.

Falhas da polícia

A comissão parlamentar que apura o caso das escutas acusou nesta quarta (20) a polícia por ter acumulado uma série de falhas na investigação sobre o escândalo. O grupo News Corp tentou deliberadamente abafar as investigações, segundo um relatório preliminar dos legisladores.

Os onze membros da comissão classificam de "muito pobre" a primeira investigação realizada pela Scotland Yard no período 2005-2006.

O magnata das comunicações Rupert Murdoch compareceu na véspera ante esta comissão e limitou sua responsabilidade no escândalo das escutas ilegais.

Em um comunicado emitido nesta quarta, Murdoch garantiu que seu grupo converterá, após o escândalo das escutas ilegais na Grã Bretanha, "em uma companhia mais forte".

"Quero que todos vocês saibam que tenho a absoluta confiança de que vamos emergir como uma companhia mais forte", disse Murdoch através de um comunicado dirigido a seus empregados.

"Vai nos custar tempo reconstruir a confiança e a credibilidade, mas estamos decididos a cumprir com as expectativas de nossos acionistas, clientes, colegas e sócios", disse.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Joe Biden toma posse como 46º presidente dos Estados Unidos
Mundo

Joe Biden toma posse como 46º presidente dos Estados Unidos

20/01/2021 15:26
Joe Biden toma posse como 46º presidente dos Estados Unidos
Sorteio põe mexicanos ou coreanos em caminho brasileiro no Mundial
Futebol

Sorteio põe mexicanos ou coreanos em caminho brasileiro no Mundial

20/01/2021 09:57
Sorteio põe mexicanos ou coreanos em caminho brasileiro no Mundial
Aberto da Austrália: brasileiros iniciam treinos em meio a quarentena
Tênis

Aberto da Austrália: brasileiros iniciam treinos em meio a quarentena

20/01/2021 07:52
Aberto da Austrália: brasileiros iniciam treinos em meio a quarentena
Boeing 737-500 some do radar logo após decolar na Indonésia
Mundo

Boeing 737-500 some do radar logo após decolar na Indonésia

09/01/2021 10:02
Boeing 737-500 some do radar logo após decolar na Indonésia
Mundo

Trump diz que não vai à posse de Biden

08/01/2021 15:04
Últimas Notícias