Dourados – MS terça, 27 de fevereiro de 2024
25º
IPVA parcela 2
Clima e Meio Ambiente

ONU alerta que última década foi a mais quente já registrada

Aceleração da mudança climática é impulsionada por ações humanas, aponta novo relatório da Organização Meteorológica Mundial, OMM

05 Dez 2023 - 21h45Por ONU News
Túnel de iceberg fotografado em Portal Point, na Antártida - Crédito: Unsplash/Derek OyenTúnel de iceberg fotografado em Portal Point, na Antártida - Crédito: Unsplash/Derek Oyen

Esta última década foi confirmada como a mais quente já registrada, mantendo uma tendência alarmante de 30 anos, impulsionada "por emissões de gases de efeito estufa de atividades humanas".

As declarações foram feitas pelo secretário-geral da Organização Meteorológica Mundial, OMM, Petteri Taalas, ao apresentar um novo relatório da agência da ONU nesta terça-feira durante a COP28, em Dubai. 

Uma onda de calor incomum, precoce e excepcionalmente intensa estabeleceu novos recordes de temperatura na Europa, representando uma grande ameaça para a saúde das pessoas, a agricultura e o ambienteUma onda de calor incomum, precoce e excepcionalmente intensa estabeleceu novos recordes de temperatura na Europa, representando uma grande ameaça para a saúde das pessoas, a agricultura e o ambiente - Foto: OMM

 

Emissões e combustíveis fósseis

Marcada por recordes de temperatura em terra e no oceano, a década entre 2011 e 2020 registrou um aumento contínuo nas concentrações de gases do efeito estufa, o que acelerou a dramática perda de geleiras e o aumento do nível do mar.

No evento, os países concordaram com um novo fundo voluntário para compensar nações vulneráveis por perdas e danos devido às mudanças climáticas. 

No entanto, há negociações difíceis nos próximos dias sobre metas para reduzir as emissões de gases do efeito estufa e eliminar o uso de combustíveis fósseis. 

Transformação

O relatório do Estado do Clima revela que entre 2011 e 2020, mais países registraram temperaturas recordes do que em qualquer outra década. Ele também alerta para a "transformação particularmente profunda" ocorrendo nas regiões polares e em áreas de grandes altitudes. 

A OMM ainda alerta que os impactos climáticos estão minando o desenvolvimento sustentável, com impactos severos na segurança alimentar global, deslocamentos e migrações. 

Aquecimento contínuo

Segundo o secretário-geral da OMM, cada década desde a década de 1990 foi mais quente que a anterior e não há sinais de reversão dessa tendência.

Petteri Taalas enfatiza que é necessário reduzir as emissões de gases do efeito estufa como prioridade máxima e primordial para o planeta, a fim de evitar que as mudanças climáticas fiquem fora de controle

O relatório retrata um cenário preocupante, mas também destaca avanços positivos, como os esforços internacionais bem-sucedidos para eliminar os produtos químicos que destroem a camada de ozônio sob o Protocolo de Montreal, resultando em um buraco de ozônio menor na Antártida durante o período de 2011 a 2020. 

Além disso, avanços em previsões, sistemas de alerta precoce e gestão coordenada de desastres reduziram as vítimas de eventos extremos, embora as perdas econômicas tenham aumentado, observaram os pesquisadores da OMM. 

No entanto, o relatório destaca a necessidade de medidas mais substanciais. De fato, enquanto o financiamento climático público e privado quase dobrou de 2011 a 2020, um aumento sete vezes maior é necessário até o final desta década para alcançar os objetivos climáticos.

Os sistemas de refrigeração são um grande contribuinte para as mudanças climáticas.Os sistemas de refrigeração são um grande contribuinte para as mudanças climáticas - Foto: © Unsplash/Sergei A

 

Ar-condicionado

Com o aumento das temperaturas, o que gera uma maior demanda por condicionadores de ar e outros equipamentos de resfriamento, outro relatório lançado durante as negociações climáticas da COP28 aponta um caminho para reduzir as emissões no setor de resfriamento.

Mais de 60 países aderiram a um chamado “compromisso de resfriamento” para reduzir o impacto climático, o que também poderia proporcionar “acesso universal a resfriamento que salva vidas, aliviar a pressão sobre as redes de energia e economizar trilhões de dólares até 2050”.

O Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente, Pnuma, estima que mais de 1 bilhão de pessoas correm alto risco devido ao calor extremo pela falta de acesso ao resfriamento - a grande maioria vive na África e na Ásia.

Ondas mortais de calor

Além disso, quase um terço da população mundial está exposto a ondas de calor mortais por mais de 20 dias ao ano. O resfriamento traz alívio às pessoas e é essencial para várias áreas e serviços críticos, como segurança alimentar global e entrega de vacinas por meio de refrigeração.

Mas ao mesmo tempo, o resfriamento convencional, como o ar-condicionado, é um grande impulsionador das mudanças climáticas, responsável por mais de 7% das emissões globais de gases de efeito estufa. Se não forem gerenciadas adequadamente, as necessidades energéticas para o resfriamento de espaços triplicarão até 2050, juntamente com as emissões associadas.

Se as tendências de crescimento atuais continuarem, os equipamentos de resfriamento representarão 20% do consumo total de eletricidade e podem mais que dobrar até 2050.

Manter-se fresco durante uma onda de calor é especialmente importante para as crianças que têm mais dificuldade em regular a temperatura corporal do que os adultos.Manter-se fresco durante uma onda de calor é especialmente importante para as crianças que têm mais dificuldade em regular a temperatura corporal do que os adultos - Foto: © Unsplash/Andrew Seaman

 

Devoradores de energia

Os sistemas de resfriamento atuais, como condicionadores de ar e geladeiras, consomem enormes quantidades de energia. O relatório do Pnuma mostra que medidas para reduzir o consumo de energia dos equipamentos poderiam levar a uma redução de pelo menos 60% das emissões setoriais previstas para 2050.

A diretora executiva do Pnuma, Inger Andersen, afirmou que o setor de resfriamento deve crescer para proteger a todos do aumento das temperaturas, manter a qualidade e segurança dos alimentos, manter as vacinas estáveis e economias produtivas. 

No entanto, ela ressaltou que esse crescimento não deve vir “à custa da transição energética e de impactos climáticos mais intensos”

Compromisso Global de Resfriamento

O relatório foi lançado em apoio ao Compromisso Global de Resfriamento, uma iniciativa conjunta entre os Emirados Árabes Unidos como anfitrião da COP28 e a 'Cool Coalition' liderada pelo Pnuma.

Ele delineia ações a serem tomadas em estratégias de resfriamento passivo, como isolamento, sombreamento natural, ventilação e superfícies refletivas, padrões de eficiência energética mais altos e uma rápida redução de hidrofluorocarbonetos, que aquecem o clima.

Seguir as recomendações do relatório poderia reduzir as emissões previstas para 2050 em cerca de 3,8 bilhões de toneladas de CO2 equivalente.

 

Deixe seu Comentário

Leia Também

Unea-6 e multilateralismo: Diversas vozes para consenso ambiental
Clima e Meio Ambiente

Unea-6 e multilateralismo: Diversas vozes para consenso ambiental

há 32 minutos atrás
Unea-6 e multilateralismo: Diversas vozes para consenso ambiental
Unea-6 segue em Nairóbi com anúncio de prêmios a iniciativas para salvar o planeta
Clima e Meio Ambiente

Unea-6 segue em Nairóbi com anúncio de prêmios a iniciativas para salvar o planeta

27/02/2024 20:45
Unea-6 segue em Nairóbi com anúncio de prêmios a iniciativas para salvar o planeta
Restrições de acesso à ajuda humanitária em Gaza geram preocupação da ONU
Ajuda humanitária

Restrições de acesso à ajuda humanitária em Gaza geram preocupação da ONU

27/02/2024 19:45
Restrições de acesso à ajuda humanitária em Gaza geram preocupação da ONU
O que é a Assembleia da ONU do Meio Ambiente e porque ela importa
Clima e Meio Ambiente

O que é a Assembleia da ONU do Meio Ambiente e porque ela importa

26/02/2024 21:45
O que é a Assembleia da ONU do Meio Ambiente e porque ela importa
Abertura da Unea-6 reforça unidade global através da diplomacia ambiental
Clima e Meio Ambiente

Abertura da Unea-6 reforça unidade global através da diplomacia ambiental

26/02/2024 20:45
Abertura da Unea-6 reforça unidade global através da diplomacia ambiental
Últimas Notícias