Dourados – MS sábado, 18 de maio de 2024
18º
Economia

Múltiplas crises atrasam principais avanços para o desenvolvimento sustentável

Covid-19, conflitos e mudança climática tiveram impactos 'catastróficos' nos progressos dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável, avalia novo relatório das Nações Unidas;

07 Jul 2022 - 18h15Por ONU News
Choques climáticos e condições climáticas extremas estão alimentando o deslocamento em massa e aumentando as necessidades humanitárias em todo o Chifre da África - Crédito:  UNFPA Ethiopia/Paula SeijoChoques climáticos e condições climáticas extremas estão alimentando o deslocamento em massa e aumentando as necessidades humanitárias em todo o Chifre da África - Crédito: UNFPA Ethiopia/Paula Seijo

A crise climática, a pandemia de Covid-19 e o aumento do número de conflitos em todo o mundo colocam em risco os 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável, ODS.

É isso que aponta o Relatório de Objetivos de Desenvolvimento Sustentável 2022, divulgado nesta quinta-feira pelas Nações Unidas.

Desafios crescentes e impactos da pandemia

O relatório destaca a gravidade e a magnitude dos desafios, com crises em cascata criando impactos na alimentação e nutrição, saúde, educação, meio ambiente e paz e segurança, e afetando todos os ODS, além do plano para sociedades mais resilientes, pacíficas e igualitárias.

De acordo com os últimos dados apresentados no estudo, a pandemia de Covid-19 causou danos aos avanços de todos os objetivos e seus efeitos ainda estão longe de terminar. O levantamento destaca que as mortes relacionadas ao coronavírus, direta e indiretamente, atingiram 15 milhões até o final de 2021.

Mais de quatro anos de progresso no alívio da pobreza foram eliminados, empurrando mais 93 milhões de pessoas em todo o mundo para a pobreza extrema em 2020.

Segundo a estimativa apresentada, cerca de 147 milhões de crianças também perderam mais da metade de suas aulas presenciais nos últimos dois anos.

A pandemia também interrompeu severamente os serviços essenciais de saúde, prejudicando o progresso conquistado com muito esforço no ODS 3, de saúde e bem-estar.

Emergência climática

Além das consequências da crise de saúde, o relatório afirma que o mundo está à beira de uma catástrofe climática, a qual bilhões de pessoas já estão sentindo as consequências.

Os dados levantados apontam que as emissões de CO2 relacionadas à energia para 2021 aumentaram 6%, atingindo o nível mais alto de todos os tempos e eliminando completamente os declínios relacionados à pandemia.

Para evitar os piores efeitos das mudanças climáticas, conforme estabelecido no Acordo de Paris, as emissões globais de gases de efeito estufa precisarão atingir o pico antes de 2025 e depois diminuir 43% até 2030, caindo para zero líquido até 2050. No entanto, com os atuais compromissos nacionais voluntários para ação climática, as emissões de gases de efeito estufa aumentarão em quase 14% na próxima década.

Guerra na Ucrânia

O texto lembra que a guerra na Ucrânia está criando uma das maiores crises de refugiados dos tempos modernos. Em maio de 2022, mais de 100 milhões de pessoas foram deslocadas à força de suas casas.

O conflito também fez com que os preços dos alimentos, combustíveis e fertilizantes disparassem, comprometeu ainda mais as cadeias de suprimentos e o comércio global, agitou os mercados financeiros e ameaçou a segurança alimentar em todo mundo, assim como os fluxos de ajuda humanitária.

O crescimento econômico global projetado para 2022 foi reduzido em 0,9% devido à guerra na Ucrânia e possíveis novas ondas da pandemia.

Os países e grupos populacionais mais vulneráveis do mundo são afetados desproporcionalmente. As mulheres sofreram uma maior parte das perdas de emprego combinadas com o aumento do trabalho de cuidados em casa. Algumas evidências sugerem que a violência contra as mulheres foi exacerbada pela pandemia.

Os jovens continuam a ter taxas de desemprego mais altas do que antes da pandemia, e o trabalho infantil e o casamento infantil estão aumentando. Os países menos desenvolvidos lutam com um crescimento econômico fraco, inflação crescente, grandes interrupções na cadeia de suprimentos, incertezas políticas e dívidas insustentáveis.

Um roteiro para fora da crise

Segundo a análise do relatório, o mundo está “à beira de um momento crítico”. Para a ONU, a única forma de não falhar em ajudar os mais vulneráveis do mundo é intensificando esforços para resgatar os ODS e proporcionar um progresso significativo para as pessoas e o planeta até 2030.

De acordo com o Subsecretário-Geral das Nações Unidas para Assuntos Econômicos e Sociais, Liu Zhenmin, o roteiro estabelecido nos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável é claro”

Para ele, assim como o impacto das crises é agravado quando elas estão vinculadas, as soluções podem estar conectadas. Liu Zhenmin avalia que quando fortalecemos os sistemas de proteção social, melhoramos os serviços públicos e investimos em energia limpa, as causas profundas do aumento da desigualdade, degradação ambiental e mudanças climáticas também são abordadas.

O relatório também enfatiza que, para sair mais forte da crise e se preparar para desafios desconhecidos à frente, o financiamento de infraestrutura de dados e informações deve ser uma prioridade para os governos nacionais e a comunidade internacional.

Fatos e números

Confira outros dados destacados na publicação:

  • As crises combinadas podem levar elevar em mais 75 milhões o número de pessoas vivendo em extrema pobreza em 2022, em comparação com as projeções pré-pandemia.
  • Cerca de 1 em cada 10 pessoas em todo o mundo sofre de fome e quase 1 em cada 3 pessoas não tem acesso regular a uma alimentação adequada.
  • A cobertura de vacinação caiu pela primeira vez em 10 anos e as mortes por tuberculose e malária aumentaram.
  • Em 2020, a prevalência global de ansiedade e depressão aumentou cerca de 25%, sendo os jovens e as mulheres os mais afetados.
  • Em 2021, estima-se que 17 milhões de toneladas métricas de plástico entraram nos oceanos do mundo e o volume de poluição plástica que entra no oceano deve dobrar ou triplicar até 2040.
  • Cerca de 24 milhões de alunos do nível pré-primário ao universitário correm o risco de não regressar à escola.
  • O número de usuários da Internet aumentou em 782 milhões para atingir 4,9 bilhões de pessoas em 2021, de 4,1 bilhões em 2019.

O Relatório de Desenvolvimento Sustentável 2022 apresenta dados fornecidos por mais de 200 países e áreas ao redor do mundo.

Segundo os autores, embora os resultados deste ano demonstrem os impactos das crises atuais nos Objetivos, ele demonstra que realizar os ODS é necessário para enfrentar nossos desafios globais.

A conclusão do estudo avalia que alcançar os ODS exige ação transformadora urgente e abordagens baseadas em evidências em escala global.

 

Deixe seu Comentário

Leia Também

ONU diz que 85% dos Estados-membros criminalizam atos contra a vida selvagem
Legislação e prevenção de crimes

ONU diz que 85% dos Estados-membros criminalizam atos contra a vida selvagem

18/05/2024 20:30
ONU diz que 85% dos Estados-membros criminalizam atos contra a vida selvagem
ONU confirma chegada de alimentos em Gaza via doca flutuante
Ajuda humanitária

ONU confirma chegada de alimentos em Gaza via doca flutuante

18/05/2024 19:30
ONU confirma chegada de alimentos em Gaza via doca flutuante
Decisão do FMI pode gerar US$ 80 bilhões em recursos para países em desenvolvimento
Desenvolvimento econômico

Decisão do FMI pode gerar US$ 80 bilhões em recursos para países em desenvolvimento

17/05/2024 22:30
Decisão do FMI pode gerar US$ 80 bilhões em recursos para países em desenvolvimento
Chefe de direitos humanos pede a comandantes que parem escalada da violência no Sudão
Paz e segurança

Chefe de direitos humanos pede a comandantes que parem escalada da violência no Sudão

17/05/2024 21:15
Chefe de direitos humanos pede a comandantes que parem escalada da violência no Sudão
Crise na Ucrânia piora com ataques de drones e bombas planadoras contra civis
Paz e segurança

Crise na Ucrânia piora com ataques de drones e bombas planadoras contra civis

17/05/2024 20:15
Crise na Ucrânia piora com ataques de drones e bombas planadoras contra civis
Últimas Notícias