Dourados – MS domingo, 23 de fevereiro de 2020
Dourados
31º max
20º min
Mundo

Hospital anuncia morte de idosa, mas ela estava viva

10 Jan 2011 - 16h50
foto: G1 - foto: G1 -
Depois de viver momentos de agonia e tristeza, familiares da aposentada Maria da Conceição Souza, de 92 anos, estudam maneiras de processar o Hospital estadual Albert Schweitzer, em Realengo, na Zona Oeste do Rio. Na última sexta-feira (7), a idosa foi dada como morta pela unidade de saúde. No entanto, ela estava viva, dormindo em um quarto do 7º andar do hospital.

Segundo a família da idosa, tudo começou quando um dos bisnetos da aposentada, Rodrigo Garcia Pereira, recebeu uma ligação de um funcionário do Albert Schweitzer que comunicava o falecimento da idosa, que estava internada na unidade desde quarta-feira (5). Após o telefonema, os familiares foram ao hospital para providenciar a documentação do enterro.

\"Logo que o Rodrigo chegou lá, o cara que atesta o falecimento pediu para ele retirar logo o atestado de óbito. Foi quando ele providenciou o documento e até o funeral\", disse Valmir Brandão de Souza Pinheiro, que também é bisneto da aposentada.

Ainda de acordo com Valmir Brandão, depois de providenciarem a certidão de óbito, os familiares foram ver o corpo da idosa. No entanto, ao chegarem ao local logo perceberam que o cadáver não era o da idosa.

\"Eles ainda tentaram discutir com o Rodrigo, dizendo que ela seria sim sua bisavó. Foi quando ele perguntou a funcionário: Como é que não conheço minha avó? Você quer saber mais que eu?\", conta o bisneto da idosa.

Rodrigo então acionou um policial que fica no hospital para que o ajudasse a encontrar a paciente. \"Eles vasculharam todos os andares e a encontraram viva, dormindo no sétimo andar do prédio\", explica Valmir.

Funcionário que atestou óbito foi demitido
Procurada pelo G1, a Secretaria estadual de Saúde informou que o diretor do Hospital Estadual Albert Schweitzer, Dilson Pereira, determinou abertura de sindicância para identificar os responsáveis pelo erro que levou à troca da ficha de identificação das pacientes. Ainda de acordo com a Secretaria, por falta de condições emocionais, a família não chegou a fazer o reconhecimento do corpo, mas deu andamento na documentação para fazer o sepultamento do corpo.

Segundo o diretor da unidade, o funcionário que entregou a guia de óbito antes do reconhecimento do corpo foi demitido na manhã desta segunda-feira (10). Pereira explica que, por questão de rotina, a paciente foi trocada de leito na sexta-feira, porém a troca do prontuário médico não foi feita, o que ocasionou a falha na comunicação do óbito. Segundo o diretor, a família foi chamada para uma reunião às 10h desta segunda (11) para providenciar a anulação da certidão de óbito, mas até as 11h05, ninguém havia comparecido à unidade.

Família ficou ao lado de idosa até alta médica
Com receio de que algo anormal pudesse acontecer novamente, os familiares permaneceram ao lado da aposentada até que ela fosse liberada pelos médicos para que voltasse para casa, o que aconteceu durante a manhã de sábado (8).

Segundo Valmir, mesmo com toda a confusão, o hospital não prestou qualquer tipo de assistência. \"Eles não nos informaram de nada. Não deram qualquer auxílio. Trocaram ela de andar e simplesmente não anotaram a mudança. Foi o Rodrigo que correu atrás de tudo\", conta o bisneto.

Depois do trauma, a família agora pretende processar o hospital. \"Nesta segunda, fomos chamados para ir ao hospital. A mãe do Rodrigo já deve ir com um advogado\", disse Valmir.

Funeral providenciado
O telefonema do hospital comunicando o falecimento da idosa mobilizou a família, que antes das 19h de sexta já tinha tirado toda a documentação e providenciado o funeral da aposentada.

Segundo Valmir, o enterro também já estava encaminhado. \"Quando encontraram ela viva, um caixão já aguardava no carro da funerária lá embaixo\", disse ele.

Internada após crise de bronquite
De acordo com a família da idosa, que vive no bairro de Jardim Metrópoles, em São João de Meriti, na Baixada Fluminense, a aposentada estava na casa de uma sobrinha em Realengo, na Zona Oeste, para passar as festas de fim ano, quando sofreu uma crise de bronquite.

Após o susto, Maria da Conceição passa bem e se recupera em casa, na Baixada. (Fonte: G1)

Deixe seu Comentário

Leia Também

Completa amanhã, 75 anos da histórica tomada de Monte Castello
2ª Guerra Mundial

Completa amanhã, 75 anos da histórica tomada de Monte Castello

20/02/2020 17:00
Completa amanhã, 75 anos da histórica tomada de Monte Castello
Novo Coronavírus: Brasil apresenta ações para enfrentamento da doença
Saúde

Novo Coronavírus: Brasil apresenta ações para enfrentamento da doença

20/02/2020 12:00
Novo Coronavírus: Brasil apresenta ações para enfrentamento da doença
Com apoio da ONU no Brasil, Gâmbia entra em nova fase do programa de alimentação escolar
Sociedade

Com apoio da ONU no Brasil, Gâmbia entra em nova fase do programa de alimentação escolar

20/02/2020 11:30
Com apoio da ONU no Brasil, Gâmbia entra em nova fase do programa de alimentação escolar
Campanha

Embaixadores da Juventude debatem em Lisboa combate à violência contra mulher

19/02/2020 15:45
Recopa Sul-Americana: Flamengo e Independiente Del Valle jogam hoje
Esporte

Recopa Sul-Americana: Flamengo e Independiente Del Valle jogam hoje

19/02/2020 14:45
Recopa Sul-Americana: Flamengo e Independiente Del Valle jogam hoje
Últimas Notícias