Dourados – MS quarta, 20 de fevereiro de 2019
Pauta
Economia

Governo discute amortecimento nos preços de combustíveis

04 Jun 2018 - 09h40
O Ministério de Minas e Energia (MME) estuda a criação de uma política de amortecimento de preços dos combustíveis que chegue ao bolso do consumidor. Nesta segunda-feira (4), técnicos do MME e do Ministério da Fazenda, que integram o grupo de trabalho criado para discutir o assunto, têm reunião marcada. Estão incluídos na discussão os combustíveis derivados do petróleo, como a gasolina.

O acordo firmado com os caminhoneiros para o fim do movimento de paralisação define a redução de R$ 0,46 no preço do diesel nas bombas. Agora, a intenção é incluir na discussão também os demais combustíveis, criando um mecanismo que proteja o consumidor final da volatilidade dos preços.

Segundo o MME, o grupo de trabalho vai convidar especialistas no assunto para ajudar a construir uma solução que permita, por um lado, a continuidade da prática de preços livres ao produtor e importador e, por outro, o amortecimento dos preços ao consumidor. A primeira reunião do grupo ocorreu na última sexta-feira (1º), com participação de técnicos da Agência Nacional do Petróleo (ANP).

"[Essa política de proteção] terá que preservar a atual prática de preços de mercado para o produtor e importador, o que é tido pela atual administração como um ponto fundamental para a atração de investimentos para o setor. Vai trazer previsibilidade e segurança ao consumidor e ao investidor", diz a pasta em nota.

Flutuações

As flutuações, no entanto, impactam o consumidor. Ontem (2) a Petrobras aumentou em 2,25% o preço da gasolina em suas refinarias. Com isso, o litro do combustível ficou 4 centavos mais caro, ao passar de R$ 1,9671 para R$ 2,0113, de acordo com a estatal.

Em um mês, o combustível acumula alta de preço de 11,29%, ou seja, de 20 centavos por litro, já que, em 1º de maio, o combustível era negociado nas refinarias a R$ 1,8072. O preço do diesel, que recuou 30 centavos desde o dia 23 de maio, no ápice da greve dos caminhoneiros, será mantido em R$ 2,0316 por 60 dias.

O Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Econômicos (Dieese) diz, em nota técnica, que a política de preços resultou, entre o final de abril e maio, em 16 reajustes do preço da gasolina e do diesel nas refinarias. Para o consumidor final, os preços médios nas bombas de combustíveis subiram, considerando os impostos federais e estaduais, de R$ 3,40 para R$ 5, no caso do litro de gasolina (crescimento de 47%), e de R$ 2,89 para R$ 4,00, para o litro do óleo diesel (alta de 38,4%).

Deixe seu Comentário

Leia Também

Morre Karl Lagerfeld aos 85 anos
Ícone na moda

Morre Karl Lagerfeld aos 85 anos

19/02/2019 10:35
Morre Karl Lagerfeld aos 85 anos
Trump anuncia declaração nacional para construir muro
Mundo

Trump anuncia declaração nacional para construir muro

15/02/2019 15:19
Trump anuncia declaração nacional para construir muro
Tendência de comportamento que influencia o consumo
Variedade

Tendência de comportamento que influencia o consumo

12/02/2019 15:23
Tendência de comportamento que influencia o consumo
Vinte pessoas morrem nos EUA devido a grave onda de frio
temperatura baixa

Vinte pessoas morrem nos EUA devido a grave onda de frio

01/02/2019 07:25
Vinte pessoas morrem nos EUA devido a grave onda de frio
União Europeia defende eleições livres e confiáveis na Venezuela
política

União Europeia defende eleições livres e confiáveis na Venezuela

24/01/2019 07:02
União Europeia defende eleições livres e confiáveis na Venezuela
Últimas Notícias