Dourados – MS sábado, 18 de maio de 2024
25º
Meio ambiente

Fenômeno La Niña deve permanecer e prolongar secas e chuvas intensas

Estudos indicam que há cerca de 70% de chance que La Niña permaneça até este verão no Hemisfério Norte

10 Jun 2022 - 12h15Por ONU News
Mulher caminha até um ponto de transporte de água na Somália - Crédito: © UN Photo / Fardosa HusseinMulher caminha até um ponto de transporte de água na Somália - Crédito: © UN Photo / Fardosa Hussein

Segundo a Organização Meteorológica Mundial, OMM, o evento climático La Ninã deve continuar até pelo menos agosto e possivelmente até o outono do Hemisfério Norte e início do inverno, este ano.

Algumas previsões sugerem que os efeitos podem persistir até 2023, o que seria o terceiro la Niña consecutivo no Hemisfério Norte desde 1950. O fenômeno afeta os padrões de temperatura e precipitação e aumenta secas e inundações em diferentes partes do mundo.

Efeitos do La Niña

O evento climático é responsável pelo resfriamento em grande escala das temperaturas da superfície oceânica no Oceano Pacífico equatorial central e oriental, juntamente com mudanças na circulação atmosférica tropical, ou seja, ventos, pressão e precipitação.

Geralmente o La Niña tem impactos opostos no clima do El Niño, que é a fase quente da chamada Oscilação Sul do El Niño.

Os efeitos do La Niña podem ser observados na seca em curso no Chifre da África e no sul da América do Sul, assim como nas chuvas acima da média no Sudeste Asiático e na Australásia e nas previsões para uma temporada de furacões no Atlântico acima da média.

Ação humana

No entanto, segundo a OMM, todos os eventos climáticos que ocorrem naturalmente são agravados pela mudança climática induzida pelo ser humano, que aumenta a temperatura global, deixa o clima mais extremo e impacta os padrões sazonais de precipitação e temperatura.

De acordo com secretário-geral da OMM, Petteri Taalas, os efeitos da ação humana no clima amplificam os impactos de eventos naturais como La Niña e estão influenciando, cada vez mais, os padrões climáticos, em particular por meio de calor e seca mais intensos e o risco associado de incêndios florestais, dilúvios recordes de chuvas e inundações.

O líder da OMM afirma que previsões sazonais aprimoradas podem contribuir na redução dos impactos para população. Os dados permitem planejar com antecedência e proteger setores sensíveis ao clima, como agricultura, segurança alimentar, saúde e redução de risco de desastres.

Lembrando o objetivo de universalizar o acesso aos sistemas de alerta precoce nos próximos cinco anos, Petteri Taalas declara que a OMM está se esforçando para atingir a meta e proteger o planeta contra riscos relacionados ao clima e a água.

Presença prologada do La Niña

O atual evento La Niña começou em setembro de 2020 e continuou até meados de maio de 2022 em todo o Pacífico tropical.

Segundo a OMM, houve um enfraquecimento temporário dos componentes oceânicos do La Niña durante janeiro e fevereiro de 2022, mas voltaram a se fortalecer desde março de 2022.

Os estudos da OMM indicam que há cerca de 70% de chance de que as condições atuais de La Niña permaneçam até o verão boreal de 2022 e cerca de 50 a 60% durante os meses de julho a setembro de 2022.

Existem algumas indicações de que a probabilidade pode aumentar novamente ligeiramente durante o outono boreal de 2022 e o início do inverno boreal de 2022-23.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Decisão do FMI pode gerar US$ 80 bilhões em recursos para países em desenvolvimento
Desenvolvimento econômico

Decisão do FMI pode gerar US$ 80 bilhões em recursos para países em desenvolvimento

17/05/2024 22:30
Decisão do FMI pode gerar US$ 80 bilhões em recursos para países em desenvolvimento
Chefe de direitos humanos pede a comandantes que parem escalada da violência no Sudão
Paz e segurança

Chefe de direitos humanos pede a comandantes que parem escalada da violência no Sudão

17/05/2024 21:15
Chefe de direitos humanos pede a comandantes que parem escalada da violência no Sudão
Crise na Ucrânia piora com ataques de drones e bombas planadoras contra civis
Paz e segurança

Crise na Ucrânia piora com ataques de drones e bombas planadoras contra civis

17/05/2024 20:15
Crise na Ucrânia piora com ataques de drones e bombas planadoras contra civis
Atividades médicas ficam cada vez mais limitadas em Gaza
Ajuda humanitária

Atividades médicas ficam cada vez mais limitadas em Gaza

17/05/2024 14:45
Atividades médicas ficam cada vez mais limitadas em Gaza
ONU revisa previsão econômica global para cima, mas mantém cautela
Desenvolvimento econômico

ONU revisa previsão econômica global para cima, mas mantém cautela

16/05/2024 21:45
ONU revisa previsão econômica global para cima, mas mantém cautela
Últimas Notícias