Dourados – MS sábado, 04 de abril de 2020
Dourados
30º max
16º min
Mundo

Enchentes já deixam 19 mortos e 200 mil desabrigados na Austrália

13 Jan 2011 - 13h35
Moradias parcialmente destruídas pela chuva em Toowoomba na quarta-feira - Crédito: Foto: AFPMoradias parcialmente destruídas pela chuva em Toowoomba na quarta-feira - Crédito: Foto: AFP
As fortes chuvas que castigam o estado de Queensland, na Austrália, já deixaram pelo 19 mortos, 66 feridos e 200 mil desabrigados, informou o governo nesta quinta-feira (13).

Um jovem de 24 anos tragado por um esgoto quando tentava visitar o pai se tornou o primeiro morto pela chuva em Brisbane, a terceira maior cidade da Austrália, alagada pelo rio de mesmo nome.

Apesar da alta, o nível do rio Brisbane ficou um metro abaixo dos 5,5 do máximo previsto pelas autoridades, o que teria colocado em perigo toda a área metropolitana, de dois milhões de habitantes.

O alívio não evitou uma enorme esteira de destruição, e se mantém o estado de alerta em todos os estados da Austrália, à exceção do território da capital federal, Camberra.

Quase 14.500 casas e estabelecimentos de Brisbane estão totalmente submersos, além de outros 19.700 parcialmente inundados, e 100 mil imóveis estão sem eletricidade e a provisão de água potável é intermitente.

\"Alguns moradores poderão retornar a suas casas em dois dias; outros terão que esperar meses. Os mais desafortunados, jamais poderão\", disse a chefe do foverno de Queensland, Anna Bligh.

\"Cerca de 75% do nosso estado experimentou um alto nível de destruição com as furiosas enchentes, e agora teremos pela frente uma reconstrução de proporções de pós-guerra\", acrescentou Bligh.

Ao sul de Queensland, as enchentes já deixaram isoladas 4.500 pessoas no estado de Nova Gales do Sul, e a previsão é que cheguem a Victoria.

#####Impacto

Especialistas acreditam que o impacto na economia australiana será superior ao deixado em 2005 pelo furacão Katrina nos Estados Unidos.

Uma área equivalente à da África do Sul foi oficialmente declarada em situação de calamidade. A temporada de chuvas ainda vai durar mais dois meses, e as autoridades alertam que as represas locais precisariam de pelo menos mais sete dias para baixar a níveis seguros.

O Departamento de Meteorologia previu que uma tempestade no mar do Coral, na costa norte de Queensland, deve se tornar um ciclone dentro de 24 a 48 horas. Embora isso deva causar mais chuvas, a previsão é de que o ciclone se afaste da costa. Mas, como o solo está encharcado e as represas estão cheias, quaisquer novas chuvas representam uma ameaça ao Estado.

O dilúvio foi atribuído ao fenômeno climático La Niña, que acontece nas águas do Pacífico. O ano passado foi o terceiro mais chuvoso já registrado na Austrália, e os meteorologistas preveem uma temporada de ciclones mais intensa do que a média.

(G1.com)

Deixe seu Comentário

Leia Também

Pesquisa sobre coronavírus indica baixa consciência da crise
Internacional

Pesquisa sobre coronavírus indica baixa consciência da crise

03/04/2020 14:22
Pesquisa sobre coronavírus indica baixa consciência da crise
Internacional

África tem mais de 7 mil casos de covid-19 em 50 países

03/04/2020 12:50
Casal de MS está preso no topo do Himalaia após medidas de prevenção à Covid-19 na Índia
VIAJANTES

Casal de MS está preso no topo do Himalaia após medidas de prevenção à Covid-19 na Índia

03/04/2020 09:28
Casal de MS está preso no topo do Himalaia após medidas de prevenção à Covid-19 na Índia
ONU-HABITAT lembra importância dos governos locais e regionais no enfrentamento à COVID-19
Sociedade

ONU-HABITAT lembra importância dos governos locais e regionais no enfrentamento à COVID-19

02/04/2020 17:33
ONU-HABITAT lembra importância dos governos locais e regionais no enfrentamento à COVID-19
Dívidas são causa e consequência frequentes de violações dos direitos humanos, diz especialista da ONU
Cotidiano

Dívidas são causa e consequência frequentes de violações dos direitos humanos, diz especialista da ONU

02/04/2020 14:48
Dívidas são causa e consequência frequentes de violações dos direitos humanos, diz especialista da ONU
Últimas Notícias